Estudo sobre padrão Cristão, Namoro e Casamento


Introdução

O Profeta desta Era, William Marrion Branham foi feliz em seus dois casamentos por adotar um verdadeiro namoro; no seu primeiro casamento, não teríamos tempo para detalhar toda sua vida e sua felicidade, ele propriamente conta em uma das suas mensagem intitulada, “A História de minha Vida”, como Deus cruzou o seu caminho, deixando-o passar por uma experiência amarga perdendo sua amada esposa Hope, “Deus deu, Deus tomou” ele disse, mas o Senhor Jesus não desampara jamais, mais tarde deu-lhe outra esposa chamada Meda com a qual foi também muito feliz e viveu até a sua morte. No decorrer deste estudo passaremos algumas experiências do nosso amado profeta, contadas por ele mesmo.”

Neste estudo gostaríamos de falar sobre o padrão cristão do namoro e casamento, usando referências das mensagens pregadas pelo profeta desta era, e pelos pastores desta mensagem; serão usadas neste, a sequência de mensagens “Casamento Compartilhado” pregada pelo Pr. Joaquim Gonçalves (Goiânia), busquei também em alguns livros edificantes, como “Alvos para a Vida” (Charles Wesley Clay), “O que um jovem esposo deve saber” (Sylvanus Stall), “O Poder do Pensamento Positivo” (John R. Bisagno), “A Felicidade Conjugal” (Dr. Haroldo Shryock), “Colunas do Caráter” (Dr. S. Júlio Schwantes) e outros .


Estudo sobre o Padrão Cristão do Namoro e Casamento

A vida cristã é vida completa, vida abundante. Precisamos imitar a Jesus, que crescia em sabedoria, em estatura e em graça diante de Deus e dos homens… isto é, no físico, na mente, no espírito e na moral, ou em outras palavras numa vida íntegra e completa.

Não é só escolher um alvo para a vida, mas é avançar dia após dia em direção ao alvo e não voltar para trás, é não ficar parado, é avançar sempre.

O importante não é a velocidade com que corremos, mas a direção em que vamos andando; a persistência vale muito mais do que a incerteza.

O valor principal do namoro é oferecer aos jovens namorados a oportunidade de se compreenderem melhor um ao outro, visando, possivelmente a união permanente no futuro. O namoro não deve esconder as verdadeiras características dos namorados, não deve fazer aparecer aquilo que não é na realidade; ao contrário deve ser a expressão franca e sincera daquilo que está no coração e na alma dos indivíduos. O namoro puro e cristão leva dois indivíduos à se conhecerem mutuamente; se depois de chegarem à este conhecimento resolverem que foram feitos um para o outro, se tornam noivos e mais tarde se casam, se a conclusão for outra, separam-se na mesma pureza e na mesma fé com que entraram na experiência. A dificuldade e tristeza é que, neste último caso, nem sempre os dois concordam em desmanchar o namoro.

“Se você gosta de uma pessoa excelente e Deus não aprova, você deve ficar contente, pois, é sinal que Deus tem algo ainda melhor para você.”

O namoro é o período de amizade especial. É o namoro um interessante período, de romance e companheirismo. É também um período importantíssimo no que diz respeito à vida dos que se amam, não apenas por causa das decisões de longo alcance que tomam, mas pelo feitio que imprimem em sua amizade. Se a amizade prossegue na vida matrimonial, os hábitos, costumes e atitudes firmadas durante o namoro fixarão as relações pessoais da vida posterior.

O caso típico é o moço que toma a iniciativa de demostrar à moça que a admira. Esta corresponde com um sorriso de aprovação e gestos delicados que lhe dão segurança de acolher as atenções dele.

Ouvindo algumas opiniões de jovens cristãos à respeito deste assunto resolvi passá-las mostrando o verdadeiro ensinamento cristão através desta mensagem verdadeira que nos foi enviada nesta última era. (Malaquias 4:5 ; Apocalipse 10:7)

“O namoro cristão é constituído por algumas fases ou etapas a que todo jovem deve transpor: a primeira etapa se dá quando o jovem ou a jovem se enamora por alguém; ele(a) procura conhecê-lo (a) melhor, tenta conquistar sua amizade e assim verificar se dali pode ocorrer um relacionamento a dois. Nesta etapa, eles estão sempre em meio à outros jovens, nunca estão sozinhos ou distantes.

Na Segunda etapa, se eles resolverem namorar, o jovem pede permissão aos pais da moça e começam um relacionamento sério, visando um conhecimento total entre os dois, é a fase das perguntas, dos elogios mútuos, das palavras de carinho, é neste tempo que os dois vão se conhecer realmente, maneiras, gostos e preferências, tudo deve ser verificado nesta etapa; a responsabilidade nesta fase é pouca, uma decisão repentina para terminar o namoro é normal, pois se está numa fase de descobertas, tudo pode acontecer.

Se o namoro perdurar, se os dois estiverem firmes entram na etapa final, a qual os dois jovens passam a pensar num compromisso mais sério: o casamento. Eles devem orar e juntos pedirem à Deus para os guiar sobre quais decisões tomar. O rapaz já deve ter em mente uma moradia, uma boa colocação profissional, condições reais para sustentar uma família; a moça igualmente pensando em seus enxovais, se preparando para ser uma verdadeira esposa. Nesta etapa, as tentações são muito grandes, os dois jovens devem sempre estar em oração para terem vitória sobre todas as lutas.

Um namoro verdadeiro hoje em dia está muito difícil de se ter; o mundo está numa condição terrível, os jovens cristãos devem estar firmados na Palavra de Deus para conseguirem vencer. A depravação da juventude mundana está tão grande que chega a afetar alguns jovens cristãos, alguns cedem à tentação e se perdem, se está numa época que só a misericórdia de Deus poderá salvá-los.

Sobre quando começar, para o moço cristão deve ser a partir dos dezoito anos (relativamente), suas idéias são mais claras, seus objetivos futuros já começam a se firmar, a maioridade lhe dá uma grande responsabilidade, apesar de ser depois dos vinte e um anos que ele está suficientemente maduro, e pronto para a vida. Quanto à moça, dos seus dezesseis anos em diante ela já tem capacidade de sustentar um relacionamento afetivo (a idade é relativa, depende também da pessoa), um namoro sério. Nisto tudo que se foi falado a posição de ambas as famílias é essencial, servindo como uma coluna forte ao lado desses jovens, dando-lhes apoio, experiência, conselhos e sobretudo, AMOR!

Na frase: “Tudo o que se começa bem, termina bem”…, eis uma verdade incontestável, o namoro sério, debaixo de orações, com o temor de Deus no meio dos dois jovens, um grande respeito entre os dois, tudo isto acrescentando uma escolha certa, com certeza tudo acabará bem e com Deus sempre abençoando.” (um irmão em Cristo)

A condição nossa para o rapto envolve além da eleição, da predestinação, “o casamento”. Se existe um passo, uma realização na vida que deve ser tomada, deve ser legítima e não é só por documento, é o casamento pois envolve principalmente o amor ágape, o amor de Deus.

O perigo do namoro está em deixar o fator biológico (sexual) predominar, com prejuízo dos fatores espirituais. O instinto sexual é tão forte que uma vez despertado, facilmente prevalece sobre a razão e o bom senso; o namoro não deve, portanto, estimular este instinto. O físico tem o seu valor e sua beleza, mas tudo isto é secundário em comparação com os fatores espirituais. O jovem par de namorados que se torna escravo dos seus instintos e relega para plano secundário os aspectos espirituais do namoro, está perdendo metade do gozo da experiência do namoro. “Creio que a razão de tudo isto (divórcios) é que o homem e a mulher se tem distanciado de Deus. Se o homem e a mulher oram sobre o assunto e não se deixam levar por um par de olhos ou por um corpo bem formado, ou coisas deste tipo; ou qualquer outra paixão humana, mas sim primeiro buscam a Deus e lhe pedem: Senhor, é este o teu plano?. . .(Escolhendo uma noiva parg. 39). O jovem que adotar padrão cristão no namoro, será infinitivamente mais feliz do aquele que nesta fase de sua vida, esquece-se de Jesus.

A moça e o rapaz tem que ter o potencial, a atração do amor, a fidelidade, a sinceridade, a lucidez, o sentimento de responsabilidade e a atração entre o sexo. O amor é causado inicialmente em nível físico e em atração mútua, mas essa atração mútua entre eles não é tudo.

“Não tem pecado nenhum pegar na mão da moça, você tem que estabelecer seus próprios limites, você conhece suas emoções, sua sensibilidade.” (Pr. Joaquim Gonçalves – Casamento Compartilhado n° 3).

Os jovens que respeitarem um ao outro e se disciplinarem, hão de colher suas recompensas. Claro que é difícil e, ficará ainda mais. O domínio próprio é uma conquista diária, em que as pequenas vitórias de hoje preparam as vitórias maiores de amanhã.

Você moça (o), sabe que o casamento é a principal coisa de sua vida, depois da salvação. Você tem direito de dizer ao rapaz, sim ou não, mostre suas idéias, sua maneira de ser, tudo deve ser esclarecido antes porque você precisa conhecê-la (o), e não é essa coisa nojenta, suja de viver junto para ver se vai dar certo primeiro; Não! Você tem que conhecê-la (o), conhecer suas idéias, maneiras, opinião e há coisas que você vai conhecer só depois do casamento.

Agora um jovem par deve manter por certo tempo o namoro antes de se comprometerem a casar-se. De fato, é desejável que a amizade prossiga baseada na compreensão comum por certo período, antes que o jovem faça o pedido de casamento. Este período preliminar de namoro, permite que se desenvolva mais penetração nas respectivas personalidades, de modo que o moço venha saber se realmente deseja a moça por esposa. E a ela permitirá tomar uma firme decisão, de modo a ter resposta pronta quando o pretendente fizer proposta de casamento. Portanto, a primeira parte do namoro é um período durante o qual o par pergunta um ao outro: -“Como nos amamos um ao outro?”

É bom que a moça veja o seu eleito com trajes de trabalho, e o moço se acostume a ver a futura esposa com um avental na cozinha.


O Namoro é conhecimento.

Conhecer: ter noção ou conhecimento de; saber. Ser muito versado em; conhecer bem. Ter relações ou convivência com. Estar ou ficar certo, convencido de; reconhecer. Conhecedor. O namoro cristão é diferente ao do mundo. No mundo, eles tem muita liberdade, falta de respeito para com o outro. Eles já se conhecem no namoro ou até antes, é um namoro mundano, para muitos é até um passa tempo. Apesar que… para ter um namoro mundano, não precisa estar no mundo, apenas o jeito em que o casal age no seu namoro, desrespeitando um ao outro com muita liberdade; isto já é um namoro mundano.

Para nós cristãos, o namoro é um processo para o casamento, é algo sério!

O profeta cita em uma de suas mensagens intitulada “Escolhendo uma noiva”: – O homem ou vice-versa, deveria orar sinceramente porque poderia arruinar a sua vida completamente. Recordem que o voto é: Até que morte os separe.

Quando Deus te dá alguém, Ele te dá por completo, vindicação, Amor. Não é preciso fazer propósitos. É somente espera em Deus.

Nossa escolha determina o nosso caráter.

Vou contar uma história do moço de Chicago que o profeta William Branham nos conta em uma de suas mensagens intitulada “A Revelação dos Sete Selos“, no 6° selo parágrafo 44,47 ao 67:

– Existiu uma grande companhia de carne de gado com seus escritórios instalados neste extremo do país, e os ranchos onde se criam as reses estavam ali no oeste. Um dia o filho do presidente da companhia foi ali ao rancho para fazer uma visita de inspeção. O que cuidava do rancho tinha umas filhas muito belas, e ao saber que vinha este homem importante, se vestiram todas ao estilo do oeste.

…estas jovens se vestiram da melhor maneira possível para receberem a este jovem, e cada uma abrigava a esperança de conquistá-lo.

Agora, também vivia naquele rancho uma prima dessas moças, a qual era órfã. Ela fazia o trabalho pesado de casa, porque as outras tinham que cuidar de suas unhas e não podiam lavar as louças para não irritarem a pele tão delicada.

Finalmente chegou este homem rico e o foram receber em sua carruagem de cavalos, e tudo estava cheio de alegria. Naquela noite tiveram um baile e ali estiveram todos os rancheiros vizinhos, e todos estavam festejando, e esta festa se prolongou por uns dois ou três dias.

Então numa das noites da festa, este jovem saiu para tomar ar fresco e para se separar um pouco destas moças. A olhar para o curral, viu uma jovem um pouco andrajosa que estava carregando uma vasilha de água suja onde havia lavado as louças. Ele pensou: “Eu nunca tenho visto esta moça antes. De onde haverá saído? E nisso se propôs chegar até onde ela estava.

Ao chegar frente a ela, notou que estava descalço. Então ela parou e abaixou sua cabeça, pois já sabia quem era aquele jovem, e ela não podia ocultar sua timidez em presença dele. Apenas era uma prima das outras jovens, cujo o pai cuidava daquele enorme rancho. E ela permanecia com sua vista para o solo, porque estava tão envergonhada por estar descalço. Então ele lhe perguntou: “Como te chamas?” E ela disse seu nome. Logo lhe perguntou: “Por que não estás ali na festa com as demais?” Ela lhe respondeu com certas escusas. Então, na noite seguinte ele foi vê-la de novo. Enquanto todos estavam felizes em seu barulho e alvoroço, ele estava ali sentado no curral, esperando quando aquela jovem viesse jogar água suja. Quando ela chegou, lhe disse:

“Conheces o verdadeiro propósito de minha vinda aqui?”

Lhe respondeu: “Não senhor, não sei”.

Meu propósito ao vir aqui, tem sido de buscar uma esposa, e em ti tenho encontrado o caráter que elas não tem”. Disse: “Te casarás comigo?”

Ela respondeu surpreendida: “Eu? Ora, eu nunca poderia pensar em tal coisa.”Ela sabia que aquele jovem era o filho do dono de todos aquele ranchos, das máquinas empacotadoras e quantas coisa mais.

Ele lhe disse: “Sim. É que não tenho podido encontrar uma esposa a meu gosto em toda a cidade de Chicago de onde venho. Eu quero uma verdadeira esposa, uma esposa com caráter. E tudo o que tenho procurado tenho encontrado em ti. Te casarás comigo?”

Lhe respondeu: “Sim”.

Então ele lhe disse que ia regressar. Lhe disse: “Prepara-te. Dentro de um ano, a partir de hoje, voltarei por ti e te levarei para longe deste lugar, e então já não terás que trabalhar desta maneira. Nós iremos a Chicago e te construirei uma casa como nunca tens visto.”

Ela disse: “Ora, eu nunca tenho tido um lar; sou órfã.”

Ele lhe disse: “Pois vou construir uma casa para você. Eu voltarei por ti.”

Ela começou a contar os dias, e se propôs trabalhar em tudo possível para economizar suficiente dinheiro para comprar seu vestido de casamento. (É um tipo perfeito da noiva). Ela estava se preparando. Quando as primas viram o vestido de casamento que havia comprado, lhe disseram: “Pobrezinha, você em verdade pensa que um homem como aquele vai ter algo que ver com uma pobre órfã como você?”

Ela lhe respondeu: “Porém ele me prometeu, e eu creio em sua palavra.”

“Pobrezinha, ele simplesmente está criticando de ti. Se ele houvesse, vindo para esse propósito, haveria escolhido a uma de nós.”

“Porém ele me prometeu, e eu o estou esperando.”

Os dias seguiram passando rapidamente, e por fim chegou o dia marcado. A certa hora ele chegaria. Ela pois se vestiu com seu vestido de casamento, ainda que até esse dia não havia voltado a ouvir nada dele, ela sabia que viria. Se vestiu e preparou tudo. Agora estavam rindo dela, já que aquele jovem havia vindo e nenhuma delas havia ouvido nada disto, para elas era uma coisa muito misteriosa. E em verdade assim ainda é.

Porém aquela jovem estava baseada na promessa que ele lhe havia feito, de que voltaria por ela. E as primas estavam rindo e fazendo toda classe de zombaria, mas ela se manteve em calma, sem nenhuma vergonha. Estava totalmente limpa, vestida com seu vestido de casamento e tinha um ramalhete de flores em sua mão. Ali estava com suas flores na mão, esperando-lhe. Lhe diziam: “Vês? Eu te disse , ele não vem.”

Respondeu: “Ainda faltam cinco minutos. Ele chegará.”Continuaram com sua zombaria; mas ao passar os cinco minutos se começou a ouvir o galope dos cavalos correndo e as rodas rodando. A carruagem parou frente a ela. Ela saltou dentre as primas e saiu correndo para sua carruagem, ao mesmo tempo que ele vinha se encontrar com ela. Então a recebeu em seus braços, e lhe disse: “Amada, tudo já tem terminado”. Deixou as primas assombradas, e se foi para Chicago ao novo lar que lhe havia sido prometido.

O casamento é uma revelação de coração para coração, o segredo é ser paciente, orar e esperar.

A oração é a arma que temos para vencer todos os desafios. Tudo que deseja orando, crendo recebereis. E porque não orar para um verdadeiro casamento?

Em todo desafio somos mais do que vencedores. (uma irmã em Cristo)

O Namoro, que é essencialmente um preparo para a vida conjugal, deve conter em si uma prática maneira de tratar. Você deve antes de casar, estar seguro de que a escolha do companheiro(a) da vida é sólida, e que tenha tomado precauções para evitar que esta amizade ponha em perigo sua futura felicidade.


O segundo passo é o Noivado, ele deve estabelecer na mente dos dois a certeza absoluta de que o casamento terá bom êxito. Pode ser difícil a alguns jovens de natureza mais sociável desenvolverem uma atitude de mais afastamento para com os outros do sexo oposto. É o noivado o tempo em que se deve educar e cultivar esta restrição (limitar), pois não há fator mais importante ao êxito no casamento que a capacidade de “ser apenas dele ou dela enquanto ambos viverem”. Aqueles que tomarem a sério os princípios de Cristo nesta área do namoro, do noivado e do casamento, terão grande ventura, os que falharem correrão o risco de viverem numa espécie de inferno aqui na terra .

Moço, moça, você ora porque Deus te dá um sinal, tem que se conhecerem, ele (a) precisa de conhecer algo desse rapaz, dessa moça. Achegue-se a Deus sinceramente. Assim você deve fazer a eleição correta. Você tem que planejar, olhar e orar quando você está escolhendo, escolher uma esposa é algo mui sério . . . porque o voto é até que a morte os separe. ( Esc. uma noiva – fim do prg. 48,69 e38)

Não existe na vida de um moço, período de mais profundas alegrias e de maiores expectativas, do que o período em que ele e a sua noiva se preparam para o estabelecimento do seu próprio lar. São dias de alegres sonhos, dias de grandes ideais e de inúmeros planos a serem executados, dias que determinarão, em grande parte, o fracasso ou o bom êxito do futuro lar.

Agora, onde morar depois de casados é um dos problemas. Às vezes isto é resolvido, facilmente, outras não. Às vezes os noivos decidem ficar morando com os pais, o que não é recomendável, exceto em casos excepcionais, porque na maior das hipóteses aumenta as probabilidades de desarmonia.

“Quem casa quer casa”, diz o refrão popular. O ideal é morarem, os recém-casados, em casa própria, mesmo que seja pequena e humilde, porque só assim estarão começando um novo lar.

Um casal pode ser pobre em bens deste mundo, porém grandemente ricos em gozo e satisfação, que lhe advêm da harmoniosa fusão produzida pela completa união de suas vidas. Talvez não possuam luxos desta vida, porém podem desfrutar a maior felicidade possível aos seres humanos além da grande felicidade de conhecer à Cristo.

Viver em lar que seja vosso, sentar-se á própria mesa, será para vós mesmos a grande satisfação; a esposa trabalhará por embelezar esse lar, e os elogios e palavras de admiração, e de agradecimento que o marido lhe qualifique serão para ela um grande estimulante e uma recompensa. No entanto, muitos não tem condição de ter uma casa própria, mas isso não os privará de ter um “lar”.

“Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa só carne.”(Efésios 5:31). Entretanto, não se deve casar sem a aprovação deles. “Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque é justo.” (Efésios 6:1).
Aconselho-os a darem ouvido a seus pais se eles desaprovarem o companheiro(a) que escolheram. Deve-se lembrar de que os pais tem o conhecimento necessário para discernir as qualidades que vocês precisam encontrar no outro, talvez muito melhor do que vocês mesmos. Muitos problemas poderiam ter sido evitados se os filhos dessem ouvidos à avaliação cuidadosa dos pais antes de se casarem.

“A Bíblia não especifica qual a melhor idade para se casar, mas estabelece o princípio de que o homem deve ser capaz de total independência dos pais, para estabelecer seu próprio lar.”

O matrimônio é o estado no qual um homem e uma mulher podem viver juntos em relação sexual com aprovação de seu grupo social.

Casamento: união solene entre duas pessoas de sexos diferentes, com legitimação religiosa e/ou civil.

Agora existem dois tipos de casamento:

Casamento normal: União amorosa inclusive sexual, que permite adaptações contínuas nos mais diversos graus com relação ao casal, por amor.

Por atração em todos os aspectos estabelecendo conseções mútuas (dos dois), essas adaptações e conseções jamais podem ser iguais fora do matrimônio, se aquele casal não se casa, não tem como sofrer as coisas do casamento.

A Pessoa normal é capaz de amar e trabalhar, o homem que mais amou mais trabalhou (JESUS), quem mais ama mais trabalha; amar é próprio de todos os seres, e é próprio de ser normal amar e trabalhar.

Casamento Neurótico: onde as conseções mútuas são sufocadas, o ceder não existe, casamento sofrido, inibidos, fechados, às vezes por complexos, por razões pessoais, familiares ou sociais.

Casamento misto (encaixa-se no casamento neurótico): casar-se com alguém que não tem a mesma fé. O profeta disse que, Acabe fez essa coisa maligna.

O tempo é que vai responde se seu casamento é neurótico ou compartilhado normal.
No casamento, ele se põe no lugar dela, ela se põe no lugar dele.

Força de coesão interna:

Atração poderosa entre o sexo (biológico)
Amor ( uma necessidade humana e vital ( psicológica)
Fidelidade: pré-disposição de fidelidade, você cresce fiel.
Lucidez
Sinceridade
Sentimento de responsabilidade.

Casamento Normal é convivência, dia-a-dia, amor não é para ser pregado é para ser vivido, é interno permanente, ele está nela, ela está nele, acompanhamento interno, não é um acompanhamento cansativo de mente, este acompanhamento interno mesmo na ausência do outro. No casamento tudo que um fizer terá que ser vivido pelo outro sendo contra ou à favor.

Vamos a algumas sugestões concretas para jovens que desejam encontrar a verdadeira atitude cristã em suas vidas para um exemplar namoro e um verdadeiro casamento:

Cuidado com seus olhos. São as portas do coração e através dele penetra a maioria das coisas que causam problemas. Disse Jó : “Fiz acordo com meus olhos; como pois os fixaria numa virgem?” (Jó 31:1). Você pode pensar que Jó deve ter tido problemas, tropeçando no escuro com os olhos fechados. Mas espere. Há maneiras de olhar. Você não pode impedir o primeiro olhar, mas pode evitar o segundo. Para que sua vida seja construtiva, você terá que começar aprendendo a controlar seus olhos. Pois tendemos a nos transformar naquilo que pensamos. Você diz: “Mas, às vezes não se pode deixar de olhar.” Não, você não pode impedir que os pássaros voem acima de sua cabeça, mas pode impedí-los de fazer ninhos em seus cabelos. Cuidado com seus olhos!

Cuidado com sua mente. Não deixe que pensamentos maus lá permaneçam. Assim como o homem pensa, assim ele é. A batalha está mais na mente, por isso o homem é responsável por certos absurdos.

Cuidado com seus lábios. Eles falam o que há no coração. O que John me diz sobre Bill me revela mais a respeito de John do que de Bill. “Quando alguém diz uma coisa má de ti, se tu pensas te vingar disso, mostra que espírito tens; quando alguém dizer alguma coisa má de você, então lhe diga alguma coisa boa, se não podes dizer, então não diga nada. Deixe a coisa quieta, e quando haja passado tudo, ore por ela.” (William Branham – As três etapas-pg 15). Portanto cuidado com o que diz.

Cuidado com o que lê. As bancas de jornais estão cheias de sujeira. Evite-as como uma peste. Temos o suficiente que ler, o profeta nos disse que o verdadeiro cristão lê as mensagens , a Bíblia e ora todos os dias, então não procure lá fora o que ler se alimente da Palavra de Deus, e Deus te ajudará a vencer as provas.

Cuidado com o que veste. Não me dirijo aos homens mas às mulheres. As pernas masculinas, cabeludas e ossudas, não são atraentes, mas o mesmo não se aplica à mulher. Uma moça antes de se tornar cristã, se veste para impressionar os homens, mas uma moça cristã, se veste como se Jesus Cristo fosse seu par aonde quer que vá. Vista-se como se Jesus Cristo fosse seu acompanhante e não terão chance de errar. Dê o exemplo moça, você é filha do Rei, vista-se como tal.

Evite companhias erradas. Moça se aquele moço não a respeita o suficiente, deixe ele de lado. O amor não busca a si próprio – se ele realmente a ama, há de respeitá-la. A liberdade dos jovens de hoje está demais. Se aquele rapaz não a respeita o bastante para manter as mãos quietas, busque um que a respeite, para conseguir isso “ORE MAIS DO QUE TUDO”. “Se você beija na boca de um homem (mulher) que não é seu esposo você comete adultério.” Por isso, assegure-se em Deus, Sua Palavra dar-lhe-à forças para resistir à Satanás.

Finalmente assegure-se de ter Jesus Cristo em seu coração, Deus quer o que é melhor para você. Mantenha-o em seu coração, em sua vida, caso contrário fracassará. Qualquer pessoa pode ser mais um na multidão, ouse ser diferente, suba contra a corrente, somente peixes mortos vão a favor da corrente; e se o chamarem de fanático? Trata-se de sua vida, sua consciência e seu futuro! E um dia quando eles estiverem chorando você estará sorrindo, quando estiverem acabados, você estará apenas começando a viver. Mantenha-O em seu coração e em sua vida – ou terá pouca chande de vencer.

Jovens, “dêem uma polegada ao demônio e ele tomará uma milha. Dêem-lhe um segundo e ele tomará toda uma vida. Dêem-lhe uma palavra e ele escreverá um livro. Dêem-lhe um pensamento e formará uma personalidade.”

Às vezes não damos conta de praticar todo este contexto, o importante é quando Ele chegar, nos encontrar lutando, temos de nos esforçar para estar onde Deus nos colocou, permaneça onde Cristo ti colocou, e “se você tem barreiras que não pode transpor, encomende-as à Deus, nosso Deus pode fazer o que não podemos fazer”, você não tem que correr para lado nenhum, fique onde Deus te firmou e diga: “Cuida Senhor, e o que não estiver bom, o Senhor tira”, somente a pessoa que obedece pode estar totalmente descansada;

O Amor é um sentimento que predispõe alguém a desejar o bem do outro, é um sentimento de dedicação absoluta de um ser a outro; inclinação sexual forte por pessoa doutro sexo, afeição, amizade, simpatia.

Obviamente, “o mundo” não tem uma definição clara do amor. Os significados da palavra variam de acordo com experiências e pontos de vista individuais. O amor pode ser paixão, afeição, sentimento romântico, amizade, bem-querer, “apaixonite aguda”, ou inúmeras combinações dessas qualidades. Mas, quase sempre, o amor, da forma como o mundo o vê, inclui a expectativa de receber alguma coisa de volta.
A Bíblia revela outro tipo de amor que o mundo não compreende.

O amor ágape é incondicional, é dar sem medir o custo, o amor ágape é sobrenatural! É um amor derramado sobre nós em linda abundância, nada buscando além do que é melhor para nós. Acima da paixão, o amor cego.

A cegueira é terrível desvantagem, especialmente em relação à escolha do companheiro ou companheira da vida. O amor é cego para aqueles que não cuidam de ver. Se, bem cedo, se der devida atenção aos fatores que inclinam a favorecer a compatibilidade conjugal, dificilmente se errará na escolha; você tem que estabelecer que é a coisa mais importante da sua vida depois da salvação, é “o casamento”.

O amor verdadeiro se baseia em eleição seletiva individualizada. Um casal que se elegeu entre si, arrebente onde tiver que arrebentar, chegarão no fim juntos. Pois não podemos persistir na frase: “O amor é frágil”, não, o amor é forte e muitas vezes exigente. O amor é uma árvore que deve ser regada. Para o amor não existe pregação, existe prática. Você vai provar que a ama depois, não é agora não.

“O Amor não fica ali parado como uma pedra, tem que ser feito como pão, refeito o tempo todo, renovado.”

O amor é um sentimento sujeito ao dinamismo, ele está sujeito também à modificações em diversas etapas da vida (idade, filhos, saúde, variação do humor,etc.)

“Amar é olhar juntos na mesma direção, é uma unidade, companheirismo, é estar no mesmo barco.”

O profeta desta Era “Willian Branham”, nos conta em uma de suas mensagens intitulada “História de Minha vida“, um episódio de sua vida; ele nos fala a respeito de seu casamento com Hope :

…E assim eu me lembro que eu – eu resolvi que tinha que pedí-la em casamento, ou tinha que deixá-la e deixar que algum bom homem se casasse com ela, alguém que fosse bom para ela. Eu poderia ser bom para ela, mas eu-eu-eu estava ganhando só vinte centavos por hora. Por isso eu não podia oferecer uma vida muito boa para ela. E eu … Com toda família que nós tínhamos para cuidar, e papai decaído em saúde, e eu tinha que cuidar de todos eles, assim que eu estava tendo muita dificuldade.

Assim pensei: “Pois, a única coisa para eu fazer é dizê-la que eu-eu-(ela)-eu-eu não voltarei, porque eu tinha muita consideração por ela para estragar a vida dela e perder tempo comigo.” E então pensei: “Se algum puder conseguí-la e se casar com ela, e formar um lar admirável. E talvez se eu não pudesse me casar com ela, eu poderia – poderia saber que estava contente.

E assim pensei: “Mas eu – eu mal – eu mal posso desistir dela!”E eu estava numa situação terrível. E dia após dia eu pensava nisso. De forma que, eu era muito tímido para pedí-la em casamento. Toda noite eu resolvia:”Vou pedí-la.” E ora, o que é isso, borboleta, ou algo que vem no seu …? Todos vocês irmãos aí provavelmente tiveram a mesma experiência nisso. E uma sensação muito engraçada. Meu rosto ficava quente. Eu- eu não sabia. Eu não podia pedí-la.

Assim suponho que você se pergunta como eu cheguei a me casar. Você sabe de uma coisa? Escrevi uma carta para ela e a pedi. E assim seu …Agora, não foi “estimada senhorita,” foi um pouco mais (você sabe) no lado do amor do que isso. Não era simplesmente um – um acordo, era … eu-eu escrevi o melhor que pude.

E eu tinha um pouco de medo da mãe dela. Sua mãe era… era meia severa. E, mas seu pai era um velho holandês bom, um velho bom mesmo. Ele era um organizador da fraternidade e guarda-freios na estrada de ferro, ganhando mais ou menos quinhentos dólares por mês naquele tempo. E eu ganhava vinte centavos por hora, para casar-me com a filha dele. Ai! Eu sabia que isso nunca funcionaria. E sua mãe era muito … Agora, ela é uma mulher simpática. E ela-ela era mais ou menos uma destas de alta sociedade, você sabe, e meio vaidosa ,você sabe, e de maneira que ela não precisava muito de mim de qualquer modo. Eu apenas era um simples jovem caipira do campo, e ela pensava que Hope devia namorar um tipo de moço um pouco melhor, e eu-eu-eu creio que ela tinha razão. E assim . . . Mas eu-eu não pensava assim naquele tempo.

De maneira que pensei: “Bem, agora, não sei como. Eu-eu não posso pedir o pai dela, eu-eu com certeza não vou pedir à sua mãe. E desse modo tenho que pedi-la primeiro”. Assim escrevi uma carta. E aquela manhã a caminho para o trabalho, a coloquei na caixa de correspondência. A correspondência… Nós iríamos à igreja quarta-feira a noite, e isso foi na segunda-feira de manhã. Tentei o dia todo, no domingo, dizê-la que queria casar, e simplesmente não podia juntar coragem.

Assim que a coloquei na caixa de correspondência. E no trabalho aquele dia aconteci de pensar: ” E se a mãe dela pegou aquela carta?” Oh, que coisa! Então sabia que estava arruinado se – se ela a pegou, porque ela não me queria muito. Bem, eu estava suando frio.

E aquela quarta-feira a noite quando vim, ó, que coisa, pensei: “Como vou chegar lá? Se a mãe dela pegou aquela carta ela me tratará duro, por isso espero que ela a recebeu.” Eu a escrevi para “Hope”. Esse era seu nome, Hope. Assim eu disse: “Eu só escreverei aqui para Hope.”E assim… E achei que talvez ela não tenha pego a carta.

Desse modo eu sabia que não parar lá fora e buzinar para ela vir. Ora, ora! E qualquer moço que não tem coragem suficiente de chegar até à casa e bater na porta e perguntar pela moça, não tem nada que sair com ela, de qualquer maneira. Isso é exatamente certo. Que tolice. Que atitude barata.

E assim parei meu velho Ford, você sabe, e tinha dado brilho nele. E desse modo fui e bati na porta. Misericórdia! A mãe dela veio à porta. Quase não consegui pegar o fôlego. Eu disse : “Como- como- como vai, Sra. Brumbach?”é…

Ela disse: “Como vai, William?”

Eu pensei: “Que coisa, William!”

E-e ela disse: “Você vai entrar?”

Eu disse: “Obrigado.”Entrei. Eu disse: “A Hope está quase pronta?”

E bem naquela hora vem Hope dando pulinhos pela casa, apenas uma garota de mais ou menos dezesseis. E ela disse: “Oi, Billy!”

E eu disse: “Oi, Hope.” E eu disse: “Você está quase pronta para ir a igreja?”

Ela disse: “Num minutinho.”

Pensei: “Ó, que coisa! Ela não a pegou. Ela não a pegou. Que bom, que bom, que bom. Hope também não a recebeu, por isso tudo estará bem, porque ela a teria mencionado a mim.” Assim que me senti bem.

E então quando saí da igreja, me ocorreu de pensar: “E se ela a recebeu?” Vê? E não podia ouvir o que o Doutor Davis estava dizendo. Eu olhei do lado dela, e pensei: “Se talvez ela só está segurando para não falar, e vai me dizer umas verdades mesmo quando sair daqui por tê-la pedido.” E não podia ouvir o que o irmão Davis estava dizendo. E-e eu olhava do lado dela, e pensei: “Que coisa! Detesto deixá-la, mas… E eu- eu … a demonstração dos fatos certamente virá.

Assim, após a igreja começamos a andar juntos pela rua, indo para casa, e – e assim fomos até o velho Ford. E de modo que o tempo todo a lua está brilhando forte, você sabe, olhei de lado e ela era bonita. Que coisa, eu olhava para ela e pensava: “Que coisa! Como gostaria de tê-la por esposa, mas suponho que não posso.”

E de modo que andei um pouco mais, você sabe e olhei para ela de novo. Eu disse: “Como –como você se sente hoje à noite?”

Ela disse: “Ah! Estou bem.”

E paramos no velho Ford e começamos a sair, você sabe, pelo lado, virar a esquina e ir para a sua casa. E estava indo até à porta com ela. E pensei: “Sabe, ela provavelmente nem recebeu a carta, por isso é melhor esquecer. De qualquer modo eu terei outra semana de graça.” Por isso comecei a me sentir bem.

Ela disse: “Billy?”

Eu disse: “Sim.”

Ela disse: “Recebi sua carta.” Que coisa!

Eu disse: “Você recebeu?”

Ela disse: “Sim.” Bem, ela simplesmente continuou andando, não disse nenhuma palavra.

Pensei: “Mulher, me diz alguma coisa. Mande-me embora, ou me diz o que você acha disso.” E eu disse: “Você-você a leu?”

Ela disse: “Sim.”

Que coisa! Você sabe como uma mulher pode manter você em suspense. Oh, eu-eu não falei isso com intenção de criticar, está vendo. Vê? Mas, de qualquer modo você sabe, eu-eu pensei: “Porque você não diz alguma coisa?” Vê? E continuei. Eu disse: “Você a leu toda?”

E ela … ” Sim.”

Assim estávamos quase à porta, e pensei: “Que coisa! Não me leve até à varanda porque talvez não possa correr mais do que eles, por isso me diga agora.”E continuei esperando.

E ela disse: “Billy, eu gostaria muito de fazer isso.” Ela disse: “Eu lhe amo.”Deus abençõe sua alma agora, ela está na Glória. Ela disse: “Eu lhe amo.” Disse: “Eu acho que devemos dizer ao nosso pai, aos pais a esse respeito. Você não acha?”

E eu disse: “Querida, ouça, vamos começar isto fazendo uma proposta de meio a meio.” Eu disse: “Eu direi a seu pai se você disser à sua mãe.” Jogando a pior parte nas mãos dela , para começar.

Ela disse: “Muito bem, se você disser ao papai primeiro.”

Eu disse: “Está bem, direi a ele no Domingo à noite.”

E assim a noite de Domingo veio, eu a trouxe para casa, da igreja, e eu… Ela ficava olhando para mim. E eu olhei, e era nove e meia, era hora de eu ir. De modo que Charlie estava sentado à sua escrivaninha, datilografando. E a Sra. Brumbach sentada no canto, fazendo um tipo de crochê, você sabe, ou aqueles pequenos aros que você coloca em cima de coisas, você sabe. Não sei como se chama isso. E então ela estava fazendo um pouco daquele tipo de coisa. E Hope ficava olhando para mim, e franzia a sobrancelha para mim, você sabe, dando sinal em direção ao pai dela. E eu . . . Ó, que coisa! Eu pensei: “E se ele disser: ‘Não’?” Assim comecei a andar em direção à porta, eu disse: “Bem, acho que é melhor eu ir.”

E fui até à porta, e-e ela começou à vir até a porta comigo. Ela sempre vinha até à porta para me dizer boa noite.” Assim que comecei a ir em direção da porta, e ela disse: “Você não vai dizer para ele?

E eu disse: “Quê!”Eu disse: “Com toda certeza estou tentando, mas eu-eu-eu não sei como vou fazer isso.”

E ela disse: “Eu volto e você o chama para fora.”De maneira que ela voltou e me deixou em pé lá.

E eu disse: “Charlie.”

Ele virou e disse: “Sim, Billy.”

Eu disse: “Poderia conversar com o senhor só um minuto?”

Ele disse: “Claro.” Ele se virou de sua escrivaninha. Sra. Brumbach olhou para ele, olhou para Hope, e olhou para mim.

E eu disse: “O senhor faria o favor de sair na varanda?”

E ele disse: “Sim, eu sairei.”De modo que ele saiu para a varanda.

Eu disse: “Com certeza é uma noite bonita, não é?”

E ele disse: “Sim, é.”

Eu disse: “Com certeza tem feito calor.”

“Certamente que tem,”ele olhou para mim.

Eu disse: “Tenho trabalhado tanto,”eu disse, “sabe, até minhas mãos estão criando calos”.

Ele disse: “Pode se casar com ela, Bill.”Ó, que coisa! “Pode se casar com ela.”

Pensei: “Ó, assim é melhor.” Eu disse: “O senhor realmente fala sério, Charlie? Ele disse… Eu disse: “Charlie, olhe, sei que ela é sua filha, e o senhor tem dinheiro.

E ele estendeu sua mão e me pegou pela mão. Ele disse: “Bill, ouça, dinheiro não é tudo na vida humana.”Ele disse…

Eu disse: “Charlie, eu-eu só ganho vinte centavos por hora, mas eu a amo e ela me ama. E eu lhe prometo, Charlie, que trabalharei até que estes… os calos se gastem das minhas mãos, para ganhar o pão para ela. Serei o mais fiel que posso para ela.”

Ele disse: “Acredito, Bill.”Ele disse: “Ouça, Bill, quero lhe contar.” Disse: “Sabe, felicidades, não se necessita completamente de dinheiro para ser feliz.”Disse: “Apenas seja bom para ela. E sei que você será.”

Eu disse: “Obrigado, Charlie. Farei isso com certeza.”

Então foi a vez dela de dizer à mamãe. Não sei como ela se arranjou, mas nós nos casamos.” ( História de minha vida parag. 105 ao 140)

Fidelidade é ser fiel, digno de fé, leal, honrado, que não falha, seguro, verídico.

Aquele que é fiel no mínimo, é fiel no máximo; a fidelidade não deve ser cobrada, se você não pode ser fiel no seu namoro, não será fiel no casamento.

A fidelidade liberada essa sim é que permite o amor durável, e você não pode pensar em vida duradoura com ausência de crises, de lutas, com alterações do desejo; Deus não gosta de nada por força, por violência, coabite com ela com entendimento. A fidelidade não é um direito de propriedade sobre o outro, isto acaba com o casamento.

O homem na hora certa em casa representa fidelidade, ele na igreja é fidelidade com Deus, a sua presença significa fidelidade.

Mas, ao contrário da fidelidade, a infidelidade tem rompido muitos pactos de fidelidade; “vírus da infidelidade” é ser um homem volúvel, vulnerável em sua personalidade, em seu caráter.

Bases motivações para a fidelidade:

Impregnação * infiltrar-se em; penetrar, imbuir. Embebe-se, ensopar-se.

Satisfação

Lucidez, que tem ou apresenta clareza, penetração da inteligência ou da razão. (Lúcido) É perspicaz, não é a sabedoria intelectual, cada pessoa tem o seu mundo. “O homem é certo ter mais lucidez que a mulher.”

Vale o conhecimento, vale ser esclarecido, mas a lucidez mata, “a lucidez do mundo”, quanto mais conhecimento você tem mais você se condena, mas… a lucidez de Deus, se você tem falta de sabedoria, peça à Deus pois, a sabedoria no lar é indispensável, sem o qual, o lar cai. A lucidez é para discernir o certo do errado, o bem do mal, é somente a lucidez que tem a perspicácia para ver.

A lucidez tem um caráter mais íntimo, sabedoria com o manejo com a mulher, com o homem.

Sincero é aquele que se expressa sem intenção de enganar, verdadeiro, autêntico; sinceridade.

A pessoa sincera não tem como ser fingida, a falta de sinceridade afasta o casal; não existe sinceridade sem caráter, não existe caráter sem fidelidade.

Você conhece o caráter através da sinceridade, o sincero diz: sim, sim; não, não!

A sinceridade fornece auto-crítica. Há pessoas que nunca olham para si próprias, mas também não deixe o diabo explorar sua sinceridade, não se acumule de complexos de inferioridade, nada de complexo, seja mais sincero.

Um fator muito importante é saber pedir desculpas com franqueza, para assegurar o respeito e o devotamento do cônjuge. Foi sábia a pessoa que afirmou: não dever o marido ou a esposa jamais dormir abrigando mágoas no coração, o respeito deve ser mútuo, nas palavras, na reverência.

A sinceridade é franca, mas antes de tudo ela ama. A Sinceridade é uma qualidade indispensável no casamento. A sinceridade deve vir junto com a sabedoria, a lucidez.
Agora, ser sincero não quer dizer que é para falar tudo em relação ao outro, assim você mata o outro, o diálogo tem seus limites, ser sincero não significa dizer tudo, expor sua vida para os outros, isto é falta de pudor.

Respeitar a sinceridade interior de cada um, é saber que cada um é humano.

O diálogo é uma arma tremenda para o casamento, solução para problemas; a sinceridade contribui para encorajar, animar.

Sentimento de responsabilidade- deveres domésticos para os homens, isto não vai fazê-lo um homossexual, isto é sentimento de responsabilidade, casar com um homem que não tem sentimento de responsabilidade é a pior desgraça que tem.

No período inicial do casamento, quando os cônjuges estão se adaptando um com o outro, convém que o marido se familiarize com os deveres domésticos. Isto não somente lhe dará maior percepção dos problemas da esposa em manter o lar, como também assegura a ela que o lar é a coisa de interesse e preocupação mútua.

Sentimento de responsabilidade traz força de coesão interna (união íntima das partes de um todo, ligado)

Temos que aprender a respeitar a liberdade interior de cada um que, o próprio Deus respeita.

“A parte externa é que recebe o bombardeio, mas a parte interna está para sustentar o edifício.”

Forças de dissociação:

Incompatibilidade física e psíquica- você tem que compreender seu marido, sua esposa, seus filhos;

O casamento foi dado primeiramente para procriação, para ter um leito sem mácula, onde ele pode reclinar sua cabeça…

Falta de diálogo- comunicação, através da qual você esclarece as suas idéias.

Um homem que não tem diálogo é muito difícil, o macho tem muito que ouvir da fêmea e vice-versa.

O fracasso da comunicação – você tem que sempre estar pronto para sofrer danos e perdas; este fracasso faz parte das dificuldades da vida.

Chantagem sentimental – explorando afetos, emoções e diálogos;

No diálogo há espontaneidade é importante desde que não perturbe o outro, a ponto de que a pessoa desista de falar com você, “Não adianta falar com ele, ele não deixa eu falar”, aí faz escondido.

Falta de comunicação; “eu tenho medo de falar com ela, dá um ataque de nervos”; aí você inibe a outras pessoa, deve-se escutar o outro, entender o que ele está querendo dizer!

Há diálogos de sentimentos, existe diálogo em silêncio:

  • Diálogo intelectual;
  • Diálogo espiritual;
  • Diálogo sexual.

O diálogo sexual não esgota o diálogo normal e analisa de uma maneira fundamental e correta, se há diálogo na cama, tem que haver diálogo na mesa, no quintal, etc. , todo o problema do casal, cada um tem a arma do diálogo.

O casamento, o amor é uma maneira de reeducar, valorizar. O amor conjugal é formado de: interesses, projetos compartilhados, ternura, curiosidade e desafios.

O amor se estimula com desafios, ele gosta de ser desafiado. A vida sem desafios fica monótona, e você está sempre saindo na frente vitorioso.

Desafio – ato de desafiar

Desafios que a todo momento devem ser renovados.

Interesses e projetos compartilhados – tira o machismo, inclusive o desejo de filhos, pois os desejos devem ser os mesmos, é normal que o homem sacrifique mais seus desejos pela mulher. Os filhos são resultado de uma vida amorosa.

Ninguém se basta a si mesmo, é a dois.

Os sintomas legais para o moço ou a moça conhecer o outro:

Se ele (a) é dizimista;

Respeita e honra o dia da ressurreição;

Vai às escolas dominicais;

Não se associa e come com mal dizentes;

Tem facilidade de brincar, mas de orar não;

Não tem asseio, não tem asseio com determinadas palavras;

Se respeita seu pai e mãe;

E não demonstre potencial entre estes 7 pontos.

O casamento que começa errado vai terminar errado, e depois não vá culpar à terceiros, a culpa é toda sua. Há situações que caímos, que são buscadas por nós, pela nossa teimosia, pelas nossas próprias mãos. Por isso não ignoremos estes pontos principais para conhecer o caráter cristão do outro companheiro.

“A verdadeira grandeza de um homem é medida pela força dos sentimentos que ele domina, e não pelos sentimentos que o dominam.”

Em quase todos os momentos da vida precisamos estar prontos para tomar uma decisão, na vida temos duas das quais são as mais importantes, “a primeira é tomar a decisão de onde hão de passar a eternidade, a outra decisão que temos que fazer na vida, é eleger o companheiro ou a companheira de toda a vida. Ao rapaz e a moça que se lançam à vida tem sido dado direito de fazer uma seleção.” (“Escolhendo uma noiva” parág. 27)

“NÃO SE CASE COM ALGUÉM QUE NÃO SEJA UM CRISTÃO.” ( II Coríntios 6:14)

Cristão: relativo ao cristianismo, ou que professa. Cristianismo : baseados nos ensinamentos, pessoa e vida de Jesus Cristo.

E nenhum crente nunca deve se casar com um descrente sob circunstância alguma. Deve sempre casar-se com crente. Mas Acabe fez esta coisa malígna. E sem dúvida Jesabel era uma mulher bonita. E ele foi pela sua aparência ao invés de ir pelo que ela era. Que… Então muitas pessoas cometem aquele mesmo engano nestes dias.” (Esteja Certo de Deus prg. 6-7)

Outro fator muito importante é que devem estabelecer desde o início uma parte importante em seu lar, formando o propósito de ter o culto doméstico e estar sempre nas reuniões ou seja, no companheirismo cristão, onde não existir harmonia e cooperação entre os pais em relação a fé, dificilmente conseguirá um lar feliz. “Busque caráter, caráter de Cristo, essa é a única forma de você escolher. Primeiro busque caráter, e logo se você a ama, bem.” (Profeta William Marrion Branham)

Ouçamos mais uma opinião de um jovem desta mensagem:

“Lembra-te do teu criador nos dias de tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas dizer: não tenho neles contentamento.

Antes que se escureçam o sol, e a luz, e a lua, e as estrelas, e tornem a vir as nuvens depois da chuva.

No dia em que tremerem . . . (ao 11) . . . As palavras dos sábios são como aguilhões, e como pregos bem fixados pelos mestres das congregações, que nos foram dadas pelo único Pastor (Jesus).

E, demais disto, filho (a) meu, atenta; não há limite para fazer livros, e o muito estudar enfado é da carne.

De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque este é o dever de todo homem.

Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau. (Amém)

Através desse capítulo de Eclesiastes 12, fiquei meditando a quantia que isto é aplicado na vida de jovens da mensagem completa do nosso profeta William Marrion Branham.

Aprendemos com o profeta a voltar à Palavra Original, ou seja, tudo tinha sido transtornado, inclusive o namoro cristão.

Sem entrar em detalhes sobre doutrinas, podemos refletir sobre o verdadeiro namoro cristão dentro da Palavra, onde a única consequência é um casamento abençoado, filhos abençoados, é mais um exemplo para jovens que buscam a felicidade em coisas vãs; disse o profeta:

. . . Naquela rocha eu firmo, que é Cristo Jesus com ternura, pois todos outros terrenos são areia movediça! …

O que para nós cristãos é vão, para o mundo é normal, e nós podemos afirmar que o que parece idiota e careta para o mundo, é a única forma de estarmos em comunhão constante com Cristo. Salomão disse: — “Vã é a formosura”(Prov. 31:30).

Com certeza, o eleito não prosperará se estiver na carne ou seja, praticando aquilo que não lhe convém. Tudo que fizer no seu namoro refletirá no seu casamento.

Certo dia, fui fazer um juramento da Bandeira Nacional para receber dispensa do exército; lá havia mais ou menos cem jovens, todos com suas respectivas “madrinhas”. No sermão o Coronel, sempre em alta voz, após deixar claro o que é patriotismo, encerrou perguntando à todos; – Quais “madrinhas” eram namoradas do dispensado. Teve mais ou menos 70% dos casais, em seguida dirigiu à eles colocando o exemplo para todos:

-Vocês respeitam essas moças o suficiente para que elas no futuro possam ser mães de seus filhos?

Houve um pequeno período em silêncio, e logo terminou sem mais tocar no assunto.

Eu admiro àquele homem, nunca mais esquecerei, pois ali eu vi que eu era um dos únicos ou o único que tinha já aquilo em mim. Eu acho que é tudo a graça de Deus. Na mensagem “Escolhendo uma Noiva”, o profeta diz que se um jovem se casar com uma mundana, isto mostra que ele ou ela caiu da graça.

Mas o que pode ser o namoro? Creio que é a coisa mais pura e sincera que podemos ter em uma fase. Época de conhecimentos, se resume em um aprofundamento de uma grande amizade.

Dali podemos perceber se isto é Amor.

Mas algo me intriga, é o namoro fora da mensagem. Não é só namorar denominacionais ou mundanos, é simplesmente ter um namoro como o mundano. Não é preciso entrar em detalhes. (namoro errado, só traz maldição)

Creio que Deus nos tem dado jovens capazes de suportar o mundo e as tentações, como disse antes e tem que ficar marcado: “Tudo refletirá no seu casamento”.

Para tudo que vamos fazer é necessário muita oração, quanto mais para o namoro e futuro casamento.

-“Mais oração, mais benção; pouca oração, pouca benção; nada de oração, nada de benção.”(W.M.B)

Tanto o namoro, quanto o casamento é necessário compreensão de ambas as partes. A troca de elogios é fundamental como estimulante de um namoro. É preciso ter sinceridade, não uma sinceridade grosseira.

No mundo o estimulante é o sexo, onde mesmo antes do casamento já existe, sendo assim, não tem nenhuma diferença após o casamento. Por isso há tantos divórcios, eles se asseguram apenas no que lhe traz felicidade momentânea. Um momento que eles fiquem sem o “carinho”, já converte-se em brigas, mesmo no namoro. O mundo não sabe que o namoro é para ver se realmente um aceita o outro como são, independentes de prazer ou não.

Não quer dizer que o cristão não tem prazer. O cristão é o sêr mais completo e feliz. Só temos uma diferença que parece tão simples e fácil de pronunciar, mas é só para aqueles que O temem. Essa diferença se chama “Jesus”. Não é tão simples como todos pensam. Isto é o que há em um namoro de um verdadeiro cristão, pois Ele é Amor. (um irmão em Cristo)

É como já mencionamos, se o jovem ama a moça o suficiente a respeitará.

Gostaria de passar para vocês, qual é o desejo de uma mulher; o que toda moça almeja encontrar em seu amado; o que toda esposa almeja encontrar em seu marido:
“Desejo de Mulher”( Escrito pelo Pr. Joaquim Gonçalves Silva)

… Sem querer magoar qualquer sentimento, principalmente o masculino, deixamos aqui bem claro os seguintes pontos: quem ama, não fala, manifesta; quem gosta, não diz, age. Quando um homem se interessa verdadeiramente por uma mulher, nunca justifica falhas próprias ou de alguém; nunca lamenta passado, presente ou futuro. Simplesmente toma atitudes sérias e objetivas; adquire responsabilidade e enfrenta qualquer tipo de problema. Não recorda ou remonta frustrações, mas encara com seriedade aquilo que deseja. Não procura a quem diz que ama ou gosta nos momentos difíceis de sua vida, mas nos momentos de melhores condições mentais, físicas, espirituais, morais e até mesmo financeiras.

O homem que procura uma mulher somente quando está arrasado, fraco, abatido, desprezado, é porque está almejando uma escora ou apoio para a presente fase, mas, quando esta passa, esquece-se dessa mesma mulher.

O homem que tem sentimento briga por tudo que quer; sabendo porque quer, quando quer e onde quer. Homem que só dá valor à mulher quando está no lixo, na poeira, na lama ou na sarjeta, como muitos se julgam estar, é semelhante ao homem que só dá valor ao amigo quando este está longe, à liberdade quando se encontra preso e à própria mãe quando esta se encontra morta.

Um homem quando ama verdadeiramente uma mulher, não se deixa dominar por sentimentalismo torpe, banal e vulgar; restabelece-se de seus fracassos; equilibra-se emocionalmente, mentalmente, espiritualmente e materialmente. Adquire responsabilidades reais e palpáveis; constrói primeiro em volta de si um mundo, não de ilusões, mas real, objetivo, com toda a segurança, conforto e satisfação, para depois ir em busca daquilo que diz ou de quem diz que amam, ou gosta, ou admira ou quer bem.

Existe dentro de qualquer ser humano o sentimento, e a razão, e, estes devem estar constantemente em equilíbrio, para que haja harmonia para consigo mesmo e o seu semelhante; quando este ser humano perde o equilíbrio e deixa-se dominar pelos sentimentos ou pelo razão ao extremo, o fim dele é trágico e irremediável.

Nenhuma mulher deseja viver com um homem que se diz fraco, que demonstra ser fraco e que na realidade é fraco; isto porque o desejo de toda mulher é estar segura, amparada, protegida e acima de tudo: amada.

Nenhuma mulher gosta de promessas vãs de qualquer homem, mas, de atitudes ou ações que demonstrem alta personalidade e firmeza de caráter.

Nenhuma mulher quer ser enganada com frases românticas.

Nenhuma mulher gosta de ouvir lamúrias, pesares ou qualquer tipo de choro, mas, sempre espera ouvir de um homem, verdadeiramente homem, palavras fortes, de coragem, de otimismo, de luta, de vitória e de firmeza.

O Homem para recuperar a confiança de uma mulher, tem que nascer de novo, ser um homem modificado, um outro homem, totalmente diferente em todas as circunstâncias da hora, tempo e lugar; tem que absorver na íntegra e deixar circular em seu próprio sangue , cérebro e alma, todas as condições apresentadas acima. Despertar para o mundo e para as realidades. Levantar-se de entre os mortos e adquirir conhecimento de causa, sabedoria, mantendo-se de pé, de cabeça erguida, olhando não para cima, nem tão pouco para baixo, mas, para frente, onde caminhando com firmeza pode seu intento alcançar.

O Desejo de mulher é expressado desta forma, de dentro do seu corpo, alma vida e sangue, a fim de que qualquer homem possa obter um parecer seu, uma sugestão, uma resposta, uma conclusão, uma atitude ou qualquer opinião sua.

“O Fundo clama o Fundo, e para Fundo clamando há um Fundo que responde no Profundo…”

Agora, o sêr ideal não existe! “Aquele objeto que eu mandei preparar!” Não, não é assim!! O sêr ideal é fazer de seus compromissos um momento de devoção. É uma eleição, você escolhe, você elege. O próprio homem (mulher) que você casou é sempre um novo homem, é uma renovação para você.

Quando Deus deu ao homem uma esposa, lhe deu o melhor que podia dar-lhe com exceção da salvação; agora é conveniente que se um cristão tem de escolher uma esposa, ele deve escolher uma mulher genuinamente nascida de novo, porém quando se trata de tomar o lugar do homem, então é a pior coisa à qual o homem pode apegar-se. A sua escolha reflete seu próprio caráter cristão. (Escolhendo uma Noiva – partes dos parágs. 54/52)

Faça seu próprio casamento; viva seu próprio casamento; viva seu próprio esposo; viva sua própria esposa, o casamento é o que os cônjuges fazem dele.

O casamento pode ser aqui mesmo e presentemente como, “um pedacinho do céu”, contudo este ideal somente será atingido quando o marido e a esposa se unem um ao outro e a Deus, de tal maneira que o lar seja impregnado daquele tributos cristãos que servem a base a toda verdadeira felicidade.

Doação – Ato ou efeito de doar; transmitir gratuitamente.

O casamento deve ser um relacionamento de doação. Enquanto o marido está dando amor, dando cada partícula de energia, cada partícula de conhecimento que possui para fazer o que é o melhor para a esposa e a família, a esposa deve reagir a esse amor. Essa reação conduzirá a uma disposição em satisfazer as necessidades do marido, antes mesmo que ele peça.

Sabemos que a submissão tem de ser uma dádiva dela para ele, por contrair a todas as tendências naturais. À medida que é ofertada, ela libera um manancial sobrenatural de amor entre marido e mulher.

Se essas duas atitudes de amor e submissão forem ignoradas, dificilmente, possivelmente um desastre, estará à espreita do casal. Se o amor e a submissão forem colocados em ação, um casamento maravilhoso resultará, pois Deus muito simplesmente diz que é dessa forma que Ele o planejou. “O marido deve ser o cabeça do lar e a esposa respeite seu marido”.

Casamento é uma evolução um para o outro, ele(a) nunca deve perder a importância para você; o amor conjugal compartilhado é permanência do amor atrativo.

Agora é na convivência que descobrimos o bom e o ruim de cada um. A natureza humana é de tal modo constituída que duas pessoas instalaram a vida conjugal, apresenta-se-lhes mais fácil descobrir faltas no outro cônjuge do que admitir os próprios defeitos. Podem, portanto, ocorrer desavenças que seriam evitadas se o casal tivesse a necessária prudência e discernimento bastante de suas próprias personalidades, para corrigir-lhes as deficiências antes que estas venham a produzir graves tensões.

Vocês estão casados para melhor e para pior! Frequentemente, porém, as personalidades não se manifestam senão quando uma nova complicação na vida matrimonial a descubram. Ninguém deve fingir que é diferente do que realmente é; devemos aceitá-lo(a) da maneira que é. É claro que, muitas das nossas maneiras e gostos podemos sacrificar um pelo outro; “nenhum conflito é tão severo como o daquele que luta para dominar o eu”.

De quando em quando, quase todo casal tem uma desinteligência. Isto porém não significa necessariamente que não sejam felizes.

Certo jovem afirmava, depois de quatro anos de casado, que, ele e sua esposa jamais haviam trocado palavras iradas. Afirmava que viviam em perfeito acordo sobre todos os assuntos que consideravam. Quando porém estivemos em contato com a esposa, tornou-se patente que o motivo desta perfeita harmonia consistia no fato de que a probrezinha não ousava erguer a voz em protesto contra as normas que seu voluntarioso esposo lhe havia imposto. Certamente não era feliz, ainda que jamais houvessem brigado.

Não tem nada de errado, um homem atender um conselho de uma esposa, uma opinião, ouvir o não da mulher, mas aí entra o machismo ignorante! Agora, bem entendido, naquilo que ela tem direito, de acordo com a Bíblia!

Quando a esposa tem problemas, deve o marido de bom grado compartilhá-los com ela. Quando o marido os tem, fará bem em buscar o conselho dela. Somente quando trabalham com respeito mútuo, em julgamento, podem experimentar aquele sadio companheirismo que os faz verdadeiramente felizes.

O maior desejo do amor é o de encontrar um amor correspondente. A maior mágoa do amor é o de, o outro não acreditar nele. Mas se ela puder olhar para o marido com os olhos cheios de reverência, ele se tornará um rei dentre os homens.

Por sua vez, ele deve dar à esposa o lugar de honra, um lugar de privilégio e cuidados especiais. Muitos homens tem esposas de segunda categoria porque lhes dão tratamento de segunda categoria. Eles jamais ganham a rainha com quem gostariam de estar casados; simplesmente não percebem que a esposa é, de muitas formas, um reflexo do marido. A esposa é elevada à posição de rainha pelo marido sábio e amoroso, à medida que os grandiosos princípios do casamento planejados por Deus são colocados em funcionamento.

A vida, o casamento, é um treinamento constante para sermos melhores cada dia um para o outro.

Domínio Próprio é coragem em outra forma; o domínio próprio é sempre melhor… nem mesmo Deus pode controlar-nos de fora e deixar-nos na posse da liberdade. O mais poderoso conquistador é aquele que conquista a si mesmo.

Tem que compartilhar, o casal compartilhado é único em sua dinâmica própria.

O casal compartilhado é fruto da fascinação de uma ilusão amorosa, tem que existir a poesia, o romance. Você tranquiliza uma pessoa, cada pessoa traz dentro de si este jeito de tranquilizador; a força da mulher é extraordinária, ela tem domínio afável, carinhosa.

Para a solidez do casamento, o caminho é:

* Amizade – Amor – em um sentimento agradável não há frustrações.

Casar é formar um lar, uma família, viver em função do outro toda a vida!

Quando se entra no campo de namoro e casamento, existem muitas teses e coisas diferentes em relação a isso. Através destas linhas, tentarei expressar minhas experiências pessoais baseado na mensagem à qual eu creio e que indubitavelmente, faz parte de minha vida.

Vejo no mundo uma mocidade solícita e perdida em meio as grandes influências que a mídia lhes imprime e que a sociedade lhes força a ver como a melhor saída e o mais belo caminho.

Na loucura das transformações decorrentes da idade adolescente e da força utilizada pela sociedade para que os adolescentes conheçam logo as coisas referentes à vida conjugal, muitos jovens tem passado por experiências amorosas e até sexuais durante sua adolescência; fato que marca suas vidas e que depois de amadurecidos, trazem consequências que muitas vezes, não terão retorno, pois, a maioria dos que passam por esse tipo de experiência, se mergulham neste mundo e se envolvem com todo o tipo de situações comprometedoras, o que faz com que suas personalidades sejam deformadas por não poderem ver em uma pessoa nada além da beleza física ou condição social entre outras coisas.

Nós, jovens que temos tido a oportunidade de participar de uma fé diferente, como também de conhecimentos preciosíssimos, temos aprendido a enxergar as pessoas como elas são através das ações e reações de cada uma.

Os maiores defeitos e as melhores virtudes de cada pessoa, estão expostos em cada pequeno gesto ou reação, o que mostra a personalidade de cada um.

Quando um rapaz ou moça se interessa por outro, deve-se levar em consideração estas minúcias.

Cada um deve observar as atitudes mais simples do outro para ver até que ponto pode se dar bem. Para que isso ocorra com sucesso, é necessário, primeiramente, que cada um conheça a si mesmo, sabendo firmemente as coisa que lhe agradam e as que lhe desagradam e, até que ponto desagradam.

Tendo em vista o que foi dito anteriormente e o fato de que não existem pessoas sem defeito, vejo que se deve buscar uma pessoa pela qual se tenha uma forte atração física, porém, não predominante; um sentimento puro que não tenha pressa com coisa alguma (que caracteriza a possibilidade de ser o início de um amor real); e que tenha defeitos suportáveis os quais, através do convívio se tornarão admiráveis e bonitos por se tratar da característica individual e própria do cônjuge.

Em um relacionamento, o meio e o fim depende de como foi o início. Se um namoro é com muitas ilusões, palavras bonitas e toques físicos, dificilmente isso chegará a um fim duradouro porque ambos se envolvem tanto nas baladas poéticas e românticas que não tem tempo para conhecer a fundo, procurar descobrir o que é oculto, conhecer e principalmente orar afim de conhecer a vontade perfeita de Deus.

Tenho visto muitos namoros de abraços e beijos que aparentam serem tão firmes, mas que na primeira dificuldade que lhes sobrevêm, não suportam a pressão e terminam. Esse tipo de namoro não tem a aprovação de Deus e se quebram facilmente por estar baseado em sensações físicas.

O namoro verdadeiramente cristão tem outro sentido, pois, o fato de não praticarem nenhum tipo de toque físico, lhes dá a oportunidade de construir um namoro baseado no diálogo, na troca de olhares profundos e compenetrados, na vontade de rever o(a) outro(a), na busca de expressão de sentimentos através de atitudes, o que por si só, já mostra muitas coisas do cônjuge desde que se esteja atento e, também oferece uma consciência tranquila diante de Deus por ter a certeza que Ele está observando tudo e agirá a favor de ambos conforme sua sinceridade.

Ao meu ver, um rapaz ou moça, nunca devem procurar um cônjuge. Na hora certa Deus envia a pessoa certa, da maneira certa e basta que você esteja buscando a Deus em primeiro lugar que todas as demais coisas serão acrescentadas.

“Enquanto eu buscava um amor, encontrava experiências e cabeçadas, mas, quando larguei tudo e busquei só ao Senhor, então Ele deixou que eu conhecesse um pouco do significado da palavra que eu buscava; o AMOR.” (um irmão em Cristo)

Consulte a Deus quando tiveres de escolher uma companheira(o) para a vida. Baseia a tua escolha em algo mais que a atração física. Escolhe uma companheira(o) na qual o teu interesse e o teu amor continuarão depois que as forças físicas começarem a desvanecer. Não procures, tão pouco, perfeição absoluta, porque tu mesmo não és perfeito.

“Passamos a amar não quando encontramos uma pessoa perfeita, mas quando aprendemos a ver perfeitamente uma pessoa imperfeita.”

A escolha do companheiro para o resto da vida é demasiadamente importante. Agora, que é este amor do qual se diz que uma pessoa está “caída”? É alguma coisa sobrenatural, predeterminada, infalível? Não; não é sequer misterioso. É simplesmente um estado de alegria intensa, estimulada pela atração mútua e física.

“Enamorar-se” é uma agradável experiência. Um casal enamorado procura a aprovação mútua.

“O jovem que se casa encontra-se desde o primeiro momento em condições de vida completamente novas. O amor transforma seu viver, dá-lhe mais profundeza e amplitude. Antes de casar-se, somente de si mesmo, parece, deveria preocupar-se; entretanto casado assume sobre seus ombros novas responsabilidades.

Já não vive para si, vive também para sua esposa, para seus filhos, o que também ocorre com a jovem esposa. E como o amor é a morte do egoísmo , deve esquecer-se de si mesmo e buscar na felicidade de outrem a sua própria.

O amor é um sentimento que tudo vivifica, anima nossas forças, enobrece e suaviza nosso ser, desenvolvendo e enriquecendo a alma de alegria. Se esses sentimentos e emoções não fossem tão fortes e poderosos, nenhum homem se atreveria a chamar sobre si os riscos do matrimônio, riscos e responsabilidades de variedade indefinida e que podem provir de causas tão distintas, de incompatibilidade de gostos e caracteres, de grandes diferenças cuja união se impõe.

Sem o amor, como se decidiria uma mulher a consagrar sua vida inteira a um homem?

Se amar vossa mulher e quereis a vossa ventura, guarde a fidelidade para com ela. Vós lhes deveis da mesma forma que ela vos deve. A pureza e a virtude não são exclusivas da mulher, são igualmente necessárias ao homem. Deus disse: “Não cometerás adultério”. A infidelidade é um crime para o homem como para a mulher. Em nome do amor que sentes por tua mulher e teus filhos, em nome do amor e o respeito que tendes a Deus, guarde a vossa(o) esposa(o) a fidelidade que lhe deveis, a que respeite os votos do matrimônio. Nele está tua felicidade presente e futura.

Agora a infidelidade não corresponde somente em procurar outra pessoa a qual não é sua esposa (seu esposo); Infidelidade com palavras, infiel na sinceridade, infidelidade no amor, etc… No casamento não pode haver infidelidade de nenhuma maneira ou forma, o casamento deve ser um ato de muitíssima sinceridade, fidelidade, é viver com quem se ama, se confia, é servir e ser servido, é trabalhar por alguém, é dar a vida um pelo outro; depois da salvação é a coisa mais maravilhosa que pode acontecer na vida de um(a) jovem.” (“O que um jovem esposo deve saber” Edição de 1937).

“O maior segredo é esperar em Deus. Esperar em Deus é uma atitude passiva, mas é algo muito ativo que implica muito trabalho.

Esperar em Deus exige que lutemos contra nossas próprias idéias, nossos arranjos, nossas saídas de emergência. Esperar em Deus demanda que lutemos contra a ansiedade, contra os temores, contra a falta de fé e contra o impulso de nossa carne de querer ajudar a Deus. Esperar em Deus leva-nos a voltar sempre os olhos para o Senhor,o invisível Soberano, e afastá-los de tudo que é visível, lógico e palpável – essas coisas querem provar que é inútil esperar Deus agir, por isso não devemos dar ouvidos às razões da carne.

Esperar em Deus não é cruzar os braços e esperar que as coisas simplesmente aconteçam, mas é dobrar os joelhos, orar e esperar o momento de Deus cumprir Sua vontade.

Esperar em Deus é mesmo chorando diante de Sua presença, dizer-lhe que ama Sua vontade, ainda que não a compreenda plenamente.

Espera em Deus é desistir de qualquer ação ou pensamento, a não ser o de descansar em Seus braços, confiante em Seu amor e desígnios.

“Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa. Espera . . . no Senhor, desde agora e para Sempre.” (Salmos 62:1/ 131:3)”

“Sobre ter um namoro correto, isto é essencial. Creio que quando há o temor de Deus, a auto-estima, o respeito e o amor para com a pessoa companheira, não há como deixar o pecado tomar lugar entre duas pessoas.

Guardei uma frase de um amigo que está conhecendo uma moça e também estou de acordo: – Quando nos assentamos juntos, o Senhor Jesus está entre nós dois. (em nós)

É um casal de namorados que temem a Deus e andam em Sua presença.

É tão bom fazer o correto desde o princípio e mesmo se adiante um dos dois resolverem romper e somente ir cada um para seu lado, sem comprometer a nenhum dos dois. Guardei também uma frase de alguém que disse: – “Se um dia eu estiver namorando e a pessoa(ele) tocar em meu corpo eu largo na mesma hora.”

Achei isto bonito é um ótimo exemplo para uma moça cristã. Deve-se saber provar, ver a intenção e a qualidade de caráter da pessoa.

Creio que todo cristão ou cristã que tem uma consciência (amor) para com Deus, que quer cumprir com os mandamentos de Deus não gostaria de se envolver em um namoro errado, e é onde todos devem vigiar e não dar liberdade á carne, não facilitar, evitar de estar em lugares separados e ter atitudes que contribuem ao pecado. (O pastor Joel Nintz pregou no encerramento do encontro em Moji Mirim dia 21/02/99: “Eu desafio um rapaz tentar colocar a mão numa moça cheia do Espírito Santo! Tem que ser vazia para ser conduzida. Aut.) O que devemos fazer é evitar; porque esta carne nunca se converterá, a única maneira de vencermos é viver uma vida submissa à Deus, enchermos cada vez mais com o Espírito Santo e oferecer em sacrifício, como um culto a Deus. (Romanos 12:1); onde o nosso eu tem que morrer dia à dia e em nossa alma fazer habitar pela graça de Deus o Espírito de Cristo.

“A fidelidade e o respeito são o reflexo do amor” (Quem é fiel obedece)

Além das consequências que pode causar um namoro errado, nos filhos que hão de vir e outras consequências mais, os dois podem se prenderem por afetos e carícias e pensar que isso é amor. “A escolha deve ser pelo que a pessoa é no interior, não pelo que ela oferece em seu exterior.”

Temos que saber colocar as coisas cada uma na hora certa. A pessoa que realmente ama se preocupa em fazer com que a outra se sinta feliz e realizada. (um irmão em Cristo)

Mas o que nem todos reconhecem é que, esses privilégios são só genuínos onde há amor genuíno. Ora, não pode haver amor verdadeiro onde não há responsabilidade. Amor irresponsável é indigno do nome. Onde a paixão impera não tem, e nem pode haver genuíno prazer, mas amargura e desapontamento.

A maior prova de amor é a distância, é quando você respeita a ausência.

O casamento bem-sucedido compreende mais do que uma agradável lua-de-mel. “Até que a morte nos separe” é o critério final pelo qual se terá que julgar um enlace matrimonial.

Não tem como desfazer um casamento, casamento não se corta com tesoura. (Pr. Joaquim Gonçalves 19/05/99- Esc. Dom.)

É uma relação sagrada e assim deve ser considerado para que perdure e tenha êxito. O pedirem juntos à Deus para que os guie e lhe dê tolerância, que capacite os desposados a atravessarem com êxito o período de adaptação que se segue à lua-de-mel. Então, à medida que experiências semelhantes exerçam efeitos similares na fusão das personalidades, ambos se sentirão cada vez maia atraídos pelos laços do companheirismo cristão.

Eu creio que o cristão sincero não somente atenta para as simples evidências a fim de saber se um amigo ou amiga dará um bom cônjuge, como faz disto objeto de oração, rogando ao Senhor conduzir e orientar o desenvolvimento desta amizade especial na decisão quanto a culminá-la em casamento. Quando o moço ou moça se aproximam do assunto do casamento com fé sincera, confiando em que Deus responda a suas orações e submetendo-se à direção divina, sabendo que o casamento é inteiramente “escolha”, pois a sua escolha determina o seu destino, mas se pedires à Deus com fé e sinceridade, Deus lhe dará uma direção a seguir.

Além disso, essa fé sincera posta em prática pelo casal, na vida doméstica, uma vez estabelecido o lar, assegura êxito, harmonia e felicidade. Os descontentamentos, as desavenças e críticas não podem perdurar no lar em que a afinidade cristã de pais e filhos os levam a ajoelharem-se juntos para a oração da manhã e da noite.

O moral é coisa intangível (em que não se pode tocar). É difícil de ser definido. É, porém, fácil de ser reconhecido quando está presente.

É o moral doméstico que faz o marido lembrar-se de que os biscoitos que a esposa fez são os melhores que experimentou há muito tempo, ou se não são bons, felicitá-la pelo pudim, ou pelo assado ou por qualquer coisa boa. É o moral que faz a esposa planejar com os filhos fazerem uma surpresa ao pai, arranjando um lanche especial exatamente para o momento em que ele retorna do trabalho, de modo que todos possam se reunir e comer juntos.

No que se refere ao lar, o moral é o amor em ação. Envolve o mencionar e dar atenção às coisas que produzem felicidade, e passar por alto tudo que desanima ou infelicita. Envolve o desenvolvimento de uma atitude de sincera gratidão pelas boas coisa que o lar oferece, ainda que não sejam tão perfeitas como se poderia supor que fossem.

O moral torna a família unida – uma união fecunda, impenetrável ao ciúme e à crítica que possam vir de fora.

O moral é independente das rendas financeiras. Pode a família não ser a mais abastada do quarteirão, mas pode ser, pelo menos, a mais feliz do Estado. Bondade e terno interesse de um pelo outro não se podem comprar com milhões de reais, mas nada custam para se obter, e quando estão no marido, na esposa, nos filhos, fazem seus portadores se sentirem as pessoas mais ricas do mundo.

Na cerimônia nupcial, prometeu o marido que seria exclusivamente de sua mulher pelo tempo em que ambos vivessem, e a esposa fez promessa similar em relação ao marido. Estas promessas incluíam mais do que conterem-se de grosserias um com o outro. Incluíam unir tanto, pelo qual as confidências e segredos pessoais que existirem entre os esposos jamais devem ser compartilhados com outros.

O círculo de santidade liga igualmente marido e mulher. A mulher ameaça enfraquecer o círculo em qualquer tempo que confia segredos pessoais a alguma outra pessoa.

A perfeita harmonia no matrimônio requer que cada uma das partes se disponha a sacrificar um pouco do próprio individualismo.

O casamento sendo ordenado por Deus, é sagrado!

Tão sagrada é a instituição do lar que Jesus a usou como melhor meio de figurar o Reino de Deus, comparando-o a uma grande família em que Deus é o Pai e os homens seus filhos.

“O Amor resiste à dor e ao infortúnio. Se fôssemos capazes de escolher um sentimento que perdurasse acima de todos os outros, haveria escolha melhor?”

Bondoso Pai Celestial,

Ajuda-me a crescer dia-a-dia rumo à perfeição, dá-me forças para vencer os embates da vida e, ser melhor hoje do que fui ontem.

Óh! Jesus, ensina-me a escolher como Tu escolherias; ensina-me a pedir como Tu pedirias, e não segundo o meu coração egoísta.

Senhor, desejo tanto a felicidade e sei que Tu queres que eu seja feliz, ensina-me a esquecer de mim mesmo(a) e a encontrar a verdadeira felicidade em obedecer as tuas leis, e a cumprir o teu plano em minha vida.

Tu Senhor, és a resposta aos anseios mais profundos do meu coração, ajuda-me a vencer as tentações, pois são numerosas e fortes, ajuda a nós todos que estamos neste caminho, nesta jornada; sei que Tu queres que sejamos vitoriosos nas tentações, perdoa-nos os erros, fortalecei-nos e orienta-nos como nos tem orientado, para que possamos viver de acordo com a Tua vontade.

Mas, eu sei que Tu estás acima de tudo, ajuda-me a conservar esta fé, e a segurar sempre a Tua mão para que eu não tropece.

Deus Bondoso, ajuda-nos a prosseguir sempre em direção ao Alvo Supremo – Cristo Jesus.

Permita que os nossos (meus) dias neste mundo, eu os passe servindo sempre a Ti, fazendo única e exclusivamente o bem, encha-me do Teu Espírito para que eu tenha vida verdadeira.

Óh! Jesus, eu quero ser forte, puro(a), corajoso(a) e verdadeiro(a), confesso-te a minha pequenez e a minha fraqueza, mas sei que se Tu estiveres comigo serei tão forte o quanto preciso ser.

Senhor, permita-me viver para servir somente a Ti, dá-me um coração como o Teu, para amar e a perdoar como Tu.

Concede-me forças para passar por estas provas com regozijo e não vacilar jamais;
No Nome do Senhor Jesus Cristo

Amém!!

tabernaculo-4 - Copia

Posted in Sem categoria.

Deixe seu comentário

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Estudo sobre padrão Cristão, Namoro e Casamento


Introdução

O Profeta desta Era, William Marrion Branham foi feliz em seus dois casamentos por adotar um verdadeiro namoro; no seu primeiro casamento, não teríamos tempo para detalhar toda sua vida e sua felicidade, ele propriamente conta em uma das suas mensagem intitulada, “A História de minha Vida”, como Deus cruzou o seu caminho, deixando-o passar por uma experiência amarga perdendo sua amada esposa Hope, “Deus deu, Deus tomou” ele disse, mas o Senhor Jesus não desampara jamais, mais tarde deu-lhe outra esposa chamada Meda com a qual foi também muito feliz e viveu até a sua morte. No decorrer deste estudo passaremos algumas experiências do nosso amado profeta, contadas por ele mesmo.”

Neste estudo gostaríamos de falar sobre o padrão cristão do namoro e casamento, usando referências das mensagens pregadas pelo profeta desta era, e pelos pastores desta mensagem; serão usadas neste, a sequência de mensagens “Casamento Compartilhado” pregada pelo Pr. Joaquim Gonçalves (Goiânia), busquei também em alguns livros edificantes, como “Alvos para a Vida” (Charles Wesley Clay), “O que um jovem esposo deve saber” (Sylvanus Stall), “O Poder do Pensamento Positivo” (John R. Bisagno), “A Felicidade Conjugal” (Dr. Haroldo Shryock), “Colunas do Caráter” (Dr. S. Júlio Schwantes) e outros .


Estudo sobre o Padrão Cristão do Namoro e Casamento

A vida cristã é vida completa, vida abundante. Precisamos imitar a Jesus, que crescia em sabedoria, em estatura e em graça diante de Deus e dos homens… isto é, no físico, na mente, no espírito e na moral, ou em outras palavras numa vida íntegra e completa.

Não é só escolher um alvo para a vida, mas é avançar dia após dia em direção ao alvo e não voltar para trás, é não ficar parado, é avançar sempre.

O importante não é a velocidade com que corremos, mas a direção em que vamos andando; a persistência vale muito mais do que a incerteza.

O valor principal do namoro é oferecer aos jovens namorados a oportunidade de se compreenderem melhor um ao outro, visando, possivelmente a união permanente no futuro. O namoro não deve esconder as verdadeiras características dos namorados, não deve fazer aparecer aquilo que não é na realidade; ao contrário deve ser a expressão franca e sincera daquilo que está no coração e na alma dos indivíduos. O namoro puro e cristão leva dois indivíduos à se conhecerem mutuamente; se depois de chegarem à este conhecimento resolverem que foram feitos um para o outro, se tornam noivos e mais tarde se casam, se a conclusão for outra, separam-se na mesma pureza e na mesma fé com que entraram na experiência. A dificuldade e tristeza é que, neste último caso, nem sempre os dois concordam em desmanchar o namoro.

“Se você gosta de uma pessoa excelente e Deus não aprova, você deve ficar contente, pois, é sinal que Deus tem algo ainda melhor para você.”

O namoro é o período de amizade especial. É o namoro um interessante período, de romance e companheirismo. É também um período importantíssimo no que diz respeito à vida dos que se amam, não apenas por causa das decisões de longo alcance que tomam, mas pelo feitio que imprimem em sua amizade. Se a amizade prossegue na vida matrimonial, os hábitos, costumes e atitudes firmadas durante o namoro fixarão as relações pessoais da vida posterior.

O caso típico é o moço que toma a iniciativa de demostrar à moça que a admira. Esta corresponde com um sorriso de aprovação e gestos delicados que lhe dão segurança de acolher as atenções dele.

Ouvindo algumas opiniões de jovens cristãos à respeito deste assunto resolvi passá-las mostrando o verdadeiro ensinamento cristão através desta mensagem verdadeira que nos foi enviada nesta última era. (Malaquias 4:5 ; Apocalipse 10:7)

“O namoro cristão é constituído por algumas fases ou etapas a que todo jovem deve transpor: a primeira etapa se dá quando o jovem ou a jovem se enamora por alguém; ele(a) procura conhecê-lo (a) melhor, tenta conquistar sua amizade e assim verificar se dali pode ocorrer um relacionamento a dois. Nesta etapa, eles estão sempre em meio à outros jovens, nunca estão sozinhos ou distantes.

Na Segunda etapa, se eles resolverem namorar, o jovem pede permissão aos pais da moça e começam um relacionamento sério, visando um conhecimento total entre os dois, é a fase das perguntas, dos elogios mútuos, das palavras de carinho, é neste tempo que os dois vão se conhecer realmente, maneiras, gostos e preferências, tudo deve ser verificado nesta etapa; a responsabilidade nesta fase é pouca, uma decisão repentina para terminar o namoro é normal, pois se está numa fase de descobertas, tudo pode acontecer.

Se o namoro perdurar, se os dois estiverem firmes entram na etapa final, a qual os dois jovens passam a pensar num compromisso mais sério: o casamento. Eles devem orar e juntos pedirem à Deus para os guiar sobre quais decisões tomar. O rapaz já deve ter em mente uma moradia, uma boa colocação profissional, condições reais para sustentar uma família; a moça igualmente pensando em seus enxovais, se preparando para ser uma verdadeira esposa. Nesta etapa, as tentações são muito grandes, os dois jovens devem sempre estar em oração para terem vitória sobre todas as lutas.

Um namoro verdadeiro hoje em dia está muito difícil de se ter; o mundo está numa condição terrível, os jovens cristãos devem estar firmados na Palavra de Deus para conseguirem vencer. A depravação da juventude mundana está tão grande que chega a afetar alguns jovens cristãos, alguns cedem à tentação e se perdem, se está numa época que só a misericórdia de Deus poderá salvá-los.

Sobre quando começar, para o moço cristão deve ser a partir dos dezoito anos (relativamente), suas idéias são mais claras, seus objetivos futuros já começam a se firmar, a maioridade lhe dá uma grande responsabilidade, apesar de ser depois dos vinte e um anos que ele está suficientemente maduro, e pronto para a vida. Quanto à moça, dos seus dezesseis anos em diante ela já tem capacidade de sustentar um relacionamento afetivo (a idade é relativa, depende também da pessoa), um namoro sério. Nisto tudo que se foi falado a posição de ambas as famílias é essencial, servindo como uma coluna forte ao lado desses jovens, dando-lhes apoio, experiência, conselhos e sobretudo, AMOR!

Na frase: “Tudo o que se começa bem, termina bem”…, eis uma verdade incontestável, o namoro sério, debaixo de orações, com o temor de Deus no meio dos dois jovens, um grande respeito entre os dois, tudo isto acrescentando uma escolha certa, com certeza tudo acabará bem e com Deus sempre abençoando.” (um irmão em Cristo)

A condição nossa para o rapto envolve além da eleição, da predestinação, “o casamento”. Se existe um passo, uma realização na vida que deve ser tomada, deve ser legítima e não é só por documento, é o casamento pois envolve principalmente o amor ágape, o amor de Deus.

O perigo do namoro está em deixar o fator biológico (sexual) predominar, com prejuízo dos fatores espirituais. O instinto sexual é tão forte que uma vez despertado, facilmente prevalece sobre a razão e o bom senso; o namoro não deve, portanto, estimular este instinto. O físico tem o seu valor e sua beleza, mas tudo isto é secundário em comparação com os fatores espirituais. O jovem par de namorados que se torna escravo dos seus instintos e relega para plano secundário os aspectos espirituais do namoro, está perdendo metade do gozo da experiência do namoro. “Creio que a razão de tudo isto (divórcios) é que o homem e a mulher se tem distanciado de Deus. Se o homem e a mulher oram sobre o assunto e não se deixam levar por um par de olhos ou por um corpo bem formado, ou coisas deste tipo; ou qualquer outra paixão humana, mas sim primeiro buscam a Deus e lhe pedem: Senhor, é este o teu plano?. . .(Escolhendo uma noiva parg. 39). O jovem que adotar padrão cristão no namoro, será infinitivamente mais feliz do aquele que nesta fase de sua vida, esquece-se de Jesus.

A moça e o rapaz tem que ter o potencial, a atração do amor, a fidelidade, a sinceridade, a lucidez, o sentimento de responsabilidade e a atração entre o sexo. O amor é causado inicialmente em nível físico e em atração mútua, mas essa atração mútua entre eles não é tudo.

“Não tem pecado nenhum pegar na mão da moça, você tem que estabelecer seus próprios limites, você conhece suas emoções, sua sensibilidade.” (Pr. Joaquim Gonçalves – Casamento Compartilhado n° 3).

Os jovens que respeitarem um ao outro e se disciplinarem, hão de colher suas recompensas. Claro que é difícil e, ficará ainda mais. O domínio próprio é uma conquista diária, em que as pequenas vitórias de hoje preparam as vitórias maiores de amanhã.

Você moça (o), sabe que o casamento é a principal coisa de sua vida, depois da salvação. Você tem direito de dizer ao rapaz, sim ou não, mostre suas idéias, sua maneira de ser, tudo deve ser esclarecido antes porque você precisa conhecê-la (o), e não é essa coisa nojenta, suja de viver junto para ver se vai dar certo primeiro; Não! Você tem que conhecê-la (o), conhecer suas idéias, maneiras, opinião e há coisas que você vai conhecer só depois do casamento.

Agora um jovem par deve manter por certo tempo o namoro antes de se comprometerem a casar-se. De fato, é desejável que a amizade prossiga baseada na compreensão comum por certo período, antes que o jovem faça o pedido de casamento. Este período preliminar de namoro, permite que se desenvolva mais penetração nas respectivas personalidades, de modo que o moço venha saber se realmente deseja a moça por esposa. E a ela permitirá tomar uma firme decisão, de modo a ter resposta pronta quando o pretendente fizer proposta de casamento. Portanto, a primeira parte do namoro é um período durante o qual o par pergunta um ao outro: -“Como nos amamos um ao outro?”

É bom que a moça veja o seu eleito com trajes de trabalho, e o moço se acostume a ver a futura esposa com um avental na cozinha.


O Namoro é conhecimento.

Conhecer: ter noção ou conhecimento de; saber. Ser muito versado em; conhecer bem. Ter relações ou convivência com. Estar ou ficar certo, convencido de; reconhecer. Conhecedor. O namoro cristão é diferente ao do mundo. No mundo, eles tem muita liberdade, falta de respeito para com o outro. Eles já se conhecem no namoro ou até antes, é um namoro mundano, para muitos é até um passa tempo. Apesar que… para ter um namoro mundano, não precisa estar no mundo, apenas o jeito em que o casal age no seu namoro, desrespeitando um ao outro com muita liberdade; isto já é um namoro mundano.

Para nós cristãos, o namoro é um processo para o casamento, é algo sério!

O profeta cita em uma de suas mensagens intitulada “Escolhendo uma noiva”: – O homem ou vice-versa, deveria orar sinceramente porque poderia arruinar a sua vida completamente. Recordem que o voto é: Até que morte os separe.

Quando Deus te dá alguém, Ele te dá por completo, vindicação, Amor. Não é preciso fazer propósitos. É somente espera em Deus.

Nossa escolha determina o nosso caráter.

Vou contar uma história do moço de Chicago que o profeta William Branham nos conta em uma de suas mensagens intitulada “A Revelação dos Sete Selos“, no 6° selo parágrafo 44,47 ao 67:

– Existiu uma grande companhia de carne de gado com seus escritórios instalados neste extremo do país, e os ranchos onde se criam as reses estavam ali no oeste. Um dia o filho do presidente da companhia foi ali ao rancho para fazer uma visita de inspeção. O que cuidava do rancho tinha umas filhas muito belas, e ao saber que vinha este homem importante, se vestiram todas ao estilo do oeste.

…estas jovens se vestiram da melhor maneira possível para receberem a este jovem, e cada uma abrigava a esperança de conquistá-lo.

Agora, também vivia naquele rancho uma prima dessas moças, a qual era órfã. Ela fazia o trabalho pesado de casa, porque as outras tinham que cuidar de suas unhas e não podiam lavar as louças para não irritarem a pele tão delicada.

Finalmente chegou este homem rico e o foram receber em sua carruagem de cavalos, e tudo estava cheio de alegria. Naquela noite tiveram um baile e ali estiveram todos os rancheiros vizinhos, e todos estavam festejando, e esta festa se prolongou por uns dois ou três dias.

Então numa das noites da festa, este jovem saiu para tomar ar fresco e para se separar um pouco destas moças. A olhar para o curral, viu uma jovem um pouco andrajosa que estava carregando uma vasilha de água suja onde havia lavado as louças. Ele pensou: “Eu nunca tenho visto esta moça antes. De onde haverá saído? E nisso se propôs chegar até onde ela estava.

Ao chegar frente a ela, notou que estava descalço. Então ela parou e abaixou sua cabeça, pois já sabia quem era aquele jovem, e ela não podia ocultar sua timidez em presença dele. Apenas era uma prima das outras jovens, cujo o pai cuidava daquele enorme rancho. E ela permanecia com sua vista para o solo, porque estava tão envergonhada por estar descalço. Então ele lhe perguntou: “Como te chamas?” E ela disse seu nome. Logo lhe perguntou: “Por que não estás ali na festa com as demais?” Ela lhe respondeu com certas escusas. Então, na noite seguinte ele foi vê-la de novo. Enquanto todos estavam felizes em seu barulho e alvoroço, ele estava ali sentado no curral, esperando quando aquela jovem viesse jogar água suja. Quando ela chegou, lhe disse:

“Conheces o verdadeiro propósito de minha vinda aqui?”

Lhe respondeu: “Não senhor, não sei”.

Meu propósito ao vir aqui, tem sido de buscar uma esposa, e em ti tenho encontrado o caráter que elas não tem”. Disse: “Te casarás comigo?”

Ela respondeu surpreendida: “Eu? Ora, eu nunca poderia pensar em tal coisa.”Ela sabia que aquele jovem era o filho do dono de todos aquele ranchos, das máquinas empacotadoras e quantas coisa mais.

Ele lhe disse: “Sim. É que não tenho podido encontrar uma esposa a meu gosto em toda a cidade de Chicago de onde venho. Eu quero uma verdadeira esposa, uma esposa com caráter. E tudo o que tenho procurado tenho encontrado em ti. Te casarás comigo?”

Lhe respondeu: “Sim”.

Então ele lhe disse que ia regressar. Lhe disse: “Prepara-te. Dentro de um ano, a partir de hoje, voltarei por ti e te levarei para longe deste lugar, e então já não terás que trabalhar desta maneira. Nós iremos a Chicago e te construirei uma casa como nunca tens visto.”

Ela disse: “Ora, eu nunca tenho tido um lar; sou órfã.”

Ele lhe disse: “Pois vou construir uma casa para você. Eu voltarei por ti.”

Ela começou a contar os dias, e se propôs trabalhar em tudo possível para economizar suficiente dinheiro para comprar seu vestido de casamento. (É um tipo perfeito da noiva). Ela estava se preparando. Quando as primas viram o vestido de casamento que havia comprado, lhe disseram: “Pobrezinha, você em verdade pensa que um homem como aquele vai ter algo que ver com uma pobre órfã como você?”

Ela lhe respondeu: “Porém ele me prometeu, e eu creio em sua palavra.”

“Pobrezinha, ele simplesmente está criticando de ti. Se ele houvesse, vindo para esse propósito, haveria escolhido a uma de nós.”

“Porém ele me prometeu, e eu o estou esperando.”

Os dias seguiram passando rapidamente, e por fim chegou o dia marcado. A certa hora ele chegaria. Ela pois se vestiu com seu vestido de casamento, ainda que até esse dia não havia voltado a ouvir nada dele, ela sabia que viria. Se vestiu e preparou tudo. Agora estavam rindo dela, já que aquele jovem havia vindo e nenhuma delas havia ouvido nada disto, para elas era uma coisa muito misteriosa. E em verdade assim ainda é.

Porém aquela jovem estava baseada na promessa que ele lhe havia feito, de que voltaria por ela. E as primas estavam rindo e fazendo toda classe de zombaria, mas ela se manteve em calma, sem nenhuma vergonha. Estava totalmente limpa, vestida com seu vestido de casamento e tinha um ramalhete de flores em sua mão. Ali estava com suas flores na mão, esperando-lhe. Lhe diziam: “Vês? Eu te disse , ele não vem.”

Respondeu: “Ainda faltam cinco minutos. Ele chegará.”Continuaram com sua zombaria; mas ao passar os cinco minutos se começou a ouvir o galope dos cavalos correndo e as rodas rodando. A carruagem parou frente a ela. Ela saltou dentre as primas e saiu correndo para sua carruagem, ao mesmo tempo que ele vinha se encontrar com ela. Então a recebeu em seus braços, e lhe disse: “Amada, tudo já tem terminado”. Deixou as primas assombradas, e se foi para Chicago ao novo lar que lhe havia sido prometido.

O casamento é uma revelação de coração para coração, o segredo é ser paciente, orar e esperar.

A oração é a arma que temos para vencer todos os desafios. Tudo que deseja orando, crendo recebereis. E porque não orar para um verdadeiro casamento?

Em todo desafio somos mais do que vencedores. (uma irmã em Cristo)

O Namoro, que é essencialmente um preparo para a vida conjugal, deve conter em si uma prática maneira de tratar. Você deve antes de casar, estar seguro de que a escolha do companheiro(a) da vida é sólida, e que tenha tomado precauções para evitar que esta amizade ponha em perigo sua futura felicidade.


O segundo passo é o Noivado, ele deve estabelecer na mente dos dois a certeza absoluta de que o casamento terá bom êxito. Pode ser difícil a alguns jovens de natureza mais sociável desenvolverem uma atitude de mais afastamento para com os outros do sexo oposto. É o noivado o tempo em que se deve educar e cultivar esta restrição (limitar), pois não há fator mais importante ao êxito no casamento que a capacidade de “ser apenas dele ou dela enquanto ambos viverem”. Aqueles que tomarem a sério os princípios de Cristo nesta área do namoro, do noivado e do casamento, terão grande ventura, os que falharem correrão o risco de viverem numa espécie de inferno aqui na terra .

Moço, moça, você ora porque Deus te dá um sinal, tem que se conhecerem, ele (a) precisa de conhecer algo desse rapaz, dessa moça. Achegue-se a Deus sinceramente. Assim você deve fazer a eleição correta. Você tem que planejar, olhar e orar quando você está escolhendo, escolher uma esposa é algo mui sério . . . porque o voto é até que a morte os separe. ( Esc. uma noiva – fim do prg. 48,69 e38)

Não existe na vida de um moço, período de mais profundas alegrias e de maiores expectativas, do que o período em que ele e a sua noiva se preparam para o estabelecimento do seu próprio lar. São dias de alegres sonhos, dias de grandes ideais e de inúmeros planos a serem executados, dias que determinarão, em grande parte, o fracasso ou o bom êxito do futuro lar.

Agora, onde morar depois de casados é um dos problemas. Às vezes isto é resolvido, facilmente, outras não. Às vezes os noivos decidem ficar morando com os pais, o que não é recomendável, exceto em casos excepcionais, porque na maior das hipóteses aumenta as probabilidades de desarmonia.

“Quem casa quer casa”, diz o refrão popular. O ideal é morarem, os recém-casados, em casa própria, mesmo que seja pequena e humilde, porque só assim estarão começando um novo lar.

Um casal pode ser pobre em bens deste mundo, porém grandemente ricos em gozo e satisfação, que lhe advêm da harmoniosa fusão produzida pela completa união de suas vidas. Talvez não possuam luxos desta vida, porém podem desfrutar a maior felicidade possível aos seres humanos além da grande felicidade de conhecer à Cristo.

Viver em lar que seja vosso, sentar-se á própria mesa, será para vós mesmos a grande satisfação; a esposa trabalhará por embelezar esse lar, e os elogios e palavras de admiração, e de agradecimento que o marido lhe qualifique serão para ela um grande estimulante e uma recompensa. No entanto, muitos não tem condição de ter uma casa própria, mas isso não os privará de ter um “lar”.

“Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa só carne.”(Efésios 5:31). Entretanto, não se deve casar sem a aprovação deles. “Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque é justo.” (Efésios 6:1).
Aconselho-os a darem ouvido a seus pais se eles desaprovarem o companheiro(a) que escolheram. Deve-se lembrar de que os pais tem o conhecimento necessário para discernir as qualidades que vocês precisam encontrar no outro, talvez muito melhor do que vocês mesmos. Muitos problemas poderiam ter sido evitados se os filhos dessem ouvidos à avaliação cuidadosa dos pais antes de se casarem.

“A Bíblia não especifica qual a melhor idade para se casar, mas estabelece o princípio de que o homem deve ser capaz de total independência dos pais, para estabelecer seu próprio lar.”

O matrimônio é o estado no qual um homem e uma mulher podem viver juntos em relação sexual com aprovação de seu grupo social.

Casamento: união solene entre duas pessoas de sexos diferentes, com legitimação religiosa e/ou civil.

Agora existem dois tipos de casamento:

Casamento normal: União amorosa inclusive sexual, que permite adaptações contínuas nos mais diversos graus com relação ao casal, por amor.

Por atração em todos os aspectos estabelecendo conseções mútuas (dos dois), essas adaptações e conseções jamais podem ser iguais fora do matrimônio, se aquele casal não se casa, não tem como sofrer as coisas do casamento.

A Pessoa normal é capaz de amar e trabalhar, o homem que mais amou mais trabalhou (JESUS), quem mais ama mais trabalha; amar é próprio de todos os seres, e é próprio de ser normal amar e trabalhar.

Casamento Neurótico: onde as conseções mútuas são sufocadas, o ceder não existe, casamento sofrido, inibidos, fechados, às vezes por complexos, por razões pessoais, familiares ou sociais.

Casamento misto (encaixa-se no casamento neurótico): casar-se com alguém que não tem a mesma fé. O profeta disse que, Acabe fez essa coisa maligna.

O tempo é que vai responde se seu casamento é neurótico ou compartilhado normal.
No casamento, ele se põe no lugar dela, ela se põe no lugar dele.

Força de coesão interna:

Atração poderosa entre o sexo (biológico)
Amor ( uma necessidade humana e vital ( psicológica)
Fidelidade: pré-disposição de fidelidade, você cresce fiel.
Lucidez
Sinceridade
Sentimento de responsabilidade.

Casamento Normal é convivência, dia-a-dia, amor não é para ser pregado é para ser vivido, é interno permanente, ele está nela, ela está nele, acompanhamento interno, não é um acompanhamento cansativo de mente, este acompanhamento interno mesmo na ausência do outro. No casamento tudo que um fizer terá que ser vivido pelo outro sendo contra ou à favor.

Vamos a algumas sugestões concretas para jovens que desejam encontrar a verdadeira atitude cristã em suas vidas para um exemplar namoro e um verdadeiro casamento:

Cuidado com seus olhos. São as portas do coração e através dele penetra a maioria das coisas que causam problemas. Disse Jó : “Fiz acordo com meus olhos; como pois os fixaria numa virgem?” (Jó 31:1). Você pode pensar que Jó deve ter tido problemas, tropeçando no escuro com os olhos fechados. Mas espere. Há maneiras de olhar. Você não pode impedir o primeiro olhar, mas pode evitar o segundo. Para que sua vida seja construtiva, você terá que começar aprendendo a controlar seus olhos. Pois tendemos a nos transformar naquilo que pensamos. Você diz: “Mas, às vezes não se pode deixar de olhar.” Não, você não pode impedir que os pássaros voem acima de sua cabeça, mas pode impedí-los de fazer ninhos em seus cabelos. Cuidado com seus olhos!

Cuidado com sua mente. Não deixe que pensamentos maus lá permaneçam. Assim como o homem pensa, assim ele é. A batalha está mais na mente, por isso o homem é responsável por certos absurdos.

Cuidado com seus lábios. Eles falam o que há no coração. O que John me diz sobre Bill me revela mais a respeito de John do que de Bill. “Quando alguém diz uma coisa má de ti, se tu pensas te vingar disso, mostra que espírito tens; quando alguém dizer alguma coisa má de você, então lhe diga alguma coisa boa, se não podes dizer, então não diga nada. Deixe a coisa quieta, e quando haja passado tudo, ore por ela.” (William Branham – As três etapas-pg 15). Portanto cuidado com o que diz.

Cuidado com o que lê. As bancas de jornais estão cheias de sujeira. Evite-as como uma peste. Temos o suficiente que ler, o profeta nos disse que o verdadeiro cristão lê as mensagens , a Bíblia e ora todos os dias, então não procure lá fora o que ler se alimente da Palavra de Deus, e Deus te ajudará a vencer as provas.

Cuidado com o que veste. Não me dirijo aos homens mas às mulheres. As pernas masculinas, cabeludas e ossudas, não são atraentes, mas o mesmo não se aplica à mulher. Uma moça antes de se tornar cristã, se veste para impressionar os homens, mas uma moça cristã, se veste como se Jesus Cristo fosse seu par aonde quer que vá. Vista-se como se Jesus Cristo fosse seu acompanhante e não terão chance de errar. Dê o exemplo moça, você é filha do Rei, vista-se como tal.

Evite companhias erradas. Moça se aquele moço não a respeita o suficiente, deixe ele de lado. O amor não busca a si próprio – se ele realmente a ama, há de respeitá-la. A liberdade dos jovens de hoje está demais. Se aquele rapaz não a respeita o bastante para manter as mãos quietas, busque um que a respeite, para conseguir isso “ORE MAIS DO QUE TUDO”. “Se você beija na boca de um homem (mulher) que não é seu esposo você comete adultério.” Por isso, assegure-se em Deus, Sua Palavra dar-lhe-à forças para resistir à Satanás.

Finalmente assegure-se de ter Jesus Cristo em seu coração, Deus quer o que é melhor para você. Mantenha-o em seu coração, em sua vida, caso contrário fracassará. Qualquer pessoa pode ser mais um na multidão, ouse ser diferente, suba contra a corrente, somente peixes mortos vão a favor da corrente; e se o chamarem de fanático? Trata-se de sua vida, sua consciência e seu futuro! E um dia quando eles estiverem chorando você estará sorrindo, quando estiverem acabados, você estará apenas começando a viver. Mantenha-O em seu coração e em sua vida – ou terá pouca chande de vencer.

Jovens, “dêem uma polegada ao demônio e ele tomará uma milha. Dêem-lhe um segundo e ele tomará toda uma vida. Dêem-lhe uma palavra e ele escreverá um livro. Dêem-lhe um pensamento e formará uma personalidade.”

Às vezes não damos conta de praticar todo este contexto, o importante é quando Ele chegar, nos encontrar lutando, temos de nos esforçar para estar onde Deus nos colocou, permaneça onde Cristo ti colocou, e “se você tem barreiras que não pode transpor, encomende-as à Deus, nosso Deus pode fazer o que não podemos fazer”, você não tem que correr para lado nenhum, fique onde Deus te firmou e diga: “Cuida Senhor, e o que não estiver bom, o Senhor tira”, somente a pessoa que obedece pode estar totalmente descansada;

O Amor é um sentimento que predispõe alguém a desejar o bem do outro, é um sentimento de dedicação absoluta de um ser a outro; inclinação sexual forte por pessoa doutro sexo, afeição, amizade, simpatia.

Obviamente, “o mundo” não tem uma definição clara do amor. Os significados da palavra variam de acordo com experiências e pontos de vista individuais. O amor pode ser paixão, afeição, sentimento romântico, amizade, bem-querer, “apaixonite aguda”, ou inúmeras combinações dessas qualidades. Mas, quase sempre, o amor, da forma como o mundo o vê, inclui a expectativa de receber alguma coisa de volta.
A Bíblia revela outro tipo de amor que o mundo não compreende.

O amor ágape é incondicional, é dar sem medir o custo, o amor ágape é sobrenatural! É um amor derramado sobre nós em linda abundância, nada buscando além do que é melhor para nós. Acima da paixão, o amor cego.

A cegueira é terrível desvantagem, especialmente em relação à escolha do companheiro ou companheira da vida. O amor é cego para aqueles que não cuidam de ver. Se, bem cedo, se der devida atenção aos fatores que inclinam a favorecer a compatibilidade conjugal, dificilmente se errará na escolha; você tem que estabelecer que é a coisa mais importante da sua vida depois da salvação, é “o casamento”.

O amor verdadeiro se baseia em eleição seletiva individualizada. Um casal que se elegeu entre si, arrebente onde tiver que arrebentar, chegarão no fim juntos. Pois não podemos persistir na frase: “O amor é frágil”, não, o amor é forte e muitas vezes exigente. O amor é uma árvore que deve ser regada. Para o amor não existe pregação, existe prática. Você vai provar que a ama depois, não é agora não.

“O Amor não fica ali parado como uma pedra, tem que ser feito como pão, refeito o tempo todo, renovado.”

O amor é um sentimento sujeito ao dinamismo, ele está sujeito também à modificações em diversas etapas da vida (idade, filhos, saúde, variação do humor,etc.)

“Amar é olhar juntos na mesma direção, é uma unidade, companheirismo, é estar no mesmo barco.”

O profeta desta Era “Willian Branham”, nos conta em uma de suas mensagens intitulada “História de Minha vida“, um episódio de sua vida; ele nos fala a respeito de seu casamento com Hope :

…E assim eu me lembro que eu – eu resolvi que tinha que pedí-la em casamento, ou tinha que deixá-la e deixar que algum bom homem se casasse com ela, alguém que fosse bom para ela. Eu poderia ser bom para ela, mas eu-eu-eu estava ganhando só vinte centavos por hora. Por isso eu não podia oferecer uma vida muito boa para ela. E eu … Com toda família que nós tínhamos para cuidar, e papai decaído em saúde, e eu tinha que cuidar de todos eles, assim que eu estava tendo muita dificuldade.

Assim pensei: “Pois, a única coisa para eu fazer é dizê-la que eu-eu-(ela)-eu-eu não voltarei, porque eu tinha muita consideração por ela para estragar a vida dela e perder tempo comigo.” E então pensei: “Se algum puder conseguí-la e se casar com ela, e formar um lar admirável. E talvez se eu não pudesse me casar com ela, eu poderia – poderia saber que estava contente.

E assim pensei: “Mas eu – eu mal – eu mal posso desistir dela!”E eu estava numa situação terrível. E dia após dia eu pensava nisso. De forma que, eu era muito tímido para pedí-la em casamento. Toda noite eu resolvia:”Vou pedí-la.” E ora, o que é isso, borboleta, ou algo que vem no seu …? Todos vocês irmãos aí provavelmente tiveram a mesma experiência nisso. E uma sensação muito engraçada. Meu rosto ficava quente. Eu- eu não sabia. Eu não podia pedí-la.

Assim suponho que você se pergunta como eu cheguei a me casar. Você sabe de uma coisa? Escrevi uma carta para ela e a pedi. E assim seu …Agora, não foi “estimada senhorita,” foi um pouco mais (você sabe) no lado do amor do que isso. Não era simplesmente um – um acordo, era … eu-eu escrevi o melhor que pude.

E eu tinha um pouco de medo da mãe dela. Sua mãe era… era meia severa. E, mas seu pai era um velho holandês bom, um velho bom mesmo. Ele era um organizador da fraternidade e guarda-freios na estrada de ferro, ganhando mais ou menos quinhentos dólares por mês naquele tempo. E eu ganhava vinte centavos por hora, para casar-me com a filha dele. Ai! Eu sabia que isso nunca funcionaria. E sua mãe era muito … Agora, ela é uma mulher simpática. E ela-ela era mais ou menos uma destas de alta sociedade, você sabe, e meio vaidosa ,você sabe, e de maneira que ela não precisava muito de mim de qualquer modo. Eu apenas era um simples jovem caipira do campo, e ela pensava que Hope devia namorar um tipo de moço um pouco melhor, e eu-eu-eu creio que ela tinha razão. E assim . . . Mas eu-eu não pensava assim naquele tempo.

De maneira que pensei: “Bem, agora, não sei como. Eu-eu não posso pedir o pai dela, eu-eu com certeza não vou pedir à sua mãe. E desse modo tenho que pedi-la primeiro”. Assim escrevi uma carta. E aquela manhã a caminho para o trabalho, a coloquei na caixa de correspondência. A correspondência… Nós iríamos à igreja quarta-feira a noite, e isso foi na segunda-feira de manhã. Tentei o dia todo, no domingo, dizê-la que queria casar, e simplesmente não podia juntar coragem.

Assim que a coloquei na caixa de correspondência. E no trabalho aquele dia aconteci de pensar: ” E se a mãe dela pegou aquela carta?” Oh, que coisa! Então sabia que estava arruinado se – se ela a pegou, porque ela não me queria muito. Bem, eu estava suando frio.

E aquela quarta-feira a noite quando vim, ó, que coisa, pensei: “Como vou chegar lá? Se a mãe dela pegou aquela carta ela me tratará duro, por isso espero que ela a recebeu.” Eu a escrevi para “Hope”. Esse era seu nome, Hope. Assim eu disse: “Eu só escreverei aqui para Hope.”E assim… E achei que talvez ela não tenha pego a carta.

Desse modo eu sabia que não parar lá fora e buzinar para ela vir. Ora, ora! E qualquer moço que não tem coragem suficiente de chegar até à casa e bater na porta e perguntar pela moça, não tem nada que sair com ela, de qualquer maneira. Isso é exatamente certo. Que tolice. Que atitude barata.

E assim parei meu velho Ford, você sabe, e tinha dado brilho nele. E desse modo fui e bati na porta. Misericórdia! A mãe dela veio à porta. Quase não consegui pegar o fôlego. Eu disse : “Como- como- como vai, Sra. Brumbach?”é…

Ela disse: “Como vai, William?”

Eu pensei: “Que coisa, William!”

E-e ela disse: “Você vai entrar?”

Eu disse: “Obrigado.”Entrei. Eu disse: “A Hope está quase pronta?”

E bem naquela hora vem Hope dando pulinhos pela casa, apenas uma garota de mais ou menos dezesseis. E ela disse: “Oi, Billy!”

E eu disse: “Oi, Hope.” E eu disse: “Você está quase pronta para ir a igreja?”

Ela disse: “Num minutinho.”

Pensei: “Ó, que coisa! Ela não a pegou. Ela não a pegou. Que bom, que bom, que bom. Hope também não a recebeu, por isso tudo estará bem, porque ela a teria mencionado a mim.” Assim que me senti bem.

E então quando saí da igreja, me ocorreu de pensar: “E se ela a recebeu?” Vê? E não podia ouvir o que o Doutor Davis estava dizendo. Eu olhei do lado dela, e pensei: “Se talvez ela só está segurando para não falar, e vai me dizer umas verdades mesmo quando sair daqui por tê-la pedido.” E não podia ouvir o que o irmão Davis estava dizendo. E-e eu olhava do lado dela, e pensei: “Que coisa! Detesto deixá-la, mas… E eu- eu … a demonstração dos fatos certamente virá.

Assim, após a igreja começamos a andar juntos pela rua, indo para casa, e – e assim fomos até o velho Ford. E de modo que o tempo todo a lua está brilhando forte, você sabe, olhei de lado e ela era bonita. Que coisa, eu olhava para ela e pensava: “Que coisa! Como gostaria de tê-la por esposa, mas suponho que não posso.”

E de modo que andei um pouco mais, você sabe e olhei para ela de novo. Eu disse: “Como –como você se sente hoje à noite?”

Ela disse: “Ah! Estou bem.”

E paramos no velho Ford e começamos a sair, você sabe, pelo lado, virar a esquina e ir para a sua casa. E estava indo até à porta com ela. E pensei: “Sabe, ela provavelmente nem recebeu a carta, por isso é melhor esquecer. De qualquer modo eu terei outra semana de graça.” Por isso comecei a me sentir bem.

Ela disse: “Billy?”

Eu disse: “Sim.”

Ela disse: “Recebi sua carta.” Que coisa!

Eu disse: “Você recebeu?”

Ela disse: “Sim.” Bem, ela simplesmente continuou andando, não disse nenhuma palavra.

Pensei: “Mulher, me diz alguma coisa. Mande-me embora, ou me diz o que você acha disso.” E eu disse: “Você-você a leu?”

Ela disse: “Sim.”

Que coisa! Você sabe como uma mulher pode manter você em suspense. Oh, eu-eu não falei isso com intenção de criticar, está vendo. Vê? Mas, de qualquer modo você sabe, eu-eu pensei: “Porque você não diz alguma coisa?” Vê? E continuei. Eu disse: “Você a leu toda?”

E ela … ” Sim.”

Assim estávamos quase à porta, e pensei: “Que coisa! Não me leve até à varanda porque talvez não possa correr mais do que eles, por isso me diga agora.”E continuei esperando.

E ela disse: “Billy, eu gostaria muito de fazer isso.” Ela disse: “Eu lhe amo.”Deus abençõe sua alma agora, ela está na Glória. Ela disse: “Eu lhe amo.” Disse: “Eu acho que devemos dizer ao nosso pai, aos pais a esse respeito. Você não acha?”

E eu disse: “Querida, ouça, vamos começar isto fazendo uma proposta de meio a meio.” Eu disse: “Eu direi a seu pai se você disser à sua mãe.” Jogando a pior parte nas mãos dela , para começar.

Ela disse: “Muito bem, se você disser ao papai primeiro.”

Eu disse: “Está bem, direi a ele no Domingo à noite.”

E assim a noite de Domingo veio, eu a trouxe para casa, da igreja, e eu… Ela ficava olhando para mim. E eu olhei, e era nove e meia, era hora de eu ir. De modo que Charlie estava sentado à sua escrivaninha, datilografando. E a Sra. Brumbach sentada no canto, fazendo um tipo de crochê, você sabe, ou aqueles pequenos aros que você coloca em cima de coisas, você sabe. Não sei como se chama isso. E então ela estava fazendo um pouco daquele tipo de coisa. E Hope ficava olhando para mim, e franzia a sobrancelha para mim, você sabe, dando sinal em direção ao pai dela. E eu . . . Ó, que coisa! Eu pensei: “E se ele disser: ‘Não’?” Assim comecei a andar em direção à porta, eu disse: “Bem, acho que é melhor eu ir.”

E fui até à porta, e-e ela começou à vir até a porta comigo. Ela sempre vinha até à porta para me dizer boa noite.” Assim que comecei a ir em direção da porta, e ela disse: “Você não vai dizer para ele?

E eu disse: “Quê!”Eu disse: “Com toda certeza estou tentando, mas eu-eu-eu não sei como vou fazer isso.”

E ela disse: “Eu volto e você o chama para fora.”De maneira que ela voltou e me deixou em pé lá.

E eu disse: “Charlie.”

Ele virou e disse: “Sim, Billy.”

Eu disse: “Poderia conversar com o senhor só um minuto?”

Ele disse: “Claro.” Ele se virou de sua escrivaninha. Sra. Brumbach olhou para ele, olhou para Hope, e olhou para mim.

E eu disse: “O senhor faria o favor de sair na varanda?”

E ele disse: “Sim, eu sairei.”De modo que ele saiu para a varanda.

Eu disse: “Com certeza é uma noite bonita, não é?”

E ele disse: “Sim, é.”

Eu disse: “Com certeza tem feito calor.”

“Certamente que tem,”ele olhou para mim.

Eu disse: “Tenho trabalhado tanto,”eu disse, “sabe, até minhas mãos estão criando calos”.

Ele disse: “Pode se casar com ela, Bill.”Ó, que coisa! “Pode se casar com ela.”

Pensei: “Ó, assim é melhor.” Eu disse: “O senhor realmente fala sério, Charlie? Ele disse… Eu disse: “Charlie, olhe, sei que ela é sua filha, e o senhor tem dinheiro.

E ele estendeu sua mão e me pegou pela mão. Ele disse: “Bill, ouça, dinheiro não é tudo na vida humana.”Ele disse…

Eu disse: “Charlie, eu-eu só ganho vinte centavos por hora, mas eu a amo e ela me ama. E eu lhe prometo, Charlie, que trabalharei até que estes… os calos se gastem das minhas mãos, para ganhar o pão para ela. Serei o mais fiel que posso para ela.”

Ele disse: “Acredito, Bill.”Ele disse: “Ouça, Bill, quero lhe contar.” Disse: “Sabe, felicidades, não se necessita completamente de dinheiro para ser feliz.”Disse: “Apenas seja bom para ela. E sei que você será.”

Eu disse: “Obrigado, Charlie. Farei isso com certeza.”

Então foi a vez dela de dizer à mamãe. Não sei como ela se arranjou, mas nós nos casamos.” ( História de minha vida parag. 105 ao 140)

Fidelidade é ser fiel, digno de fé, leal, honrado, que não falha, seguro, verídico.

Aquele que é fiel no mínimo, é fiel no máximo; a fidelidade não deve ser cobrada, se você não pode ser fiel no seu namoro, não será fiel no casamento.

A fidelidade liberada essa sim é que permite o amor durável, e você não pode pensar em vida duradoura com ausência de crises, de lutas, com alterações do desejo; Deus não gosta de nada por força, por violência, coabite com ela com entendimento. A fidelidade não é um direito de propriedade sobre o outro, isto acaba com o casamento.

O homem na hora certa em casa representa fidelidade, ele na igreja é fidelidade com Deus, a sua presença significa fidelidade.

Mas, ao contrário da fidelidade, a infidelidade tem rompido muitos pactos de fidelidade; “vírus da infidelidade” é ser um homem volúvel, vulnerável em sua personalidade, em seu caráter.

Bases motivações para a fidelidade:

Impregnação * infiltrar-se em; penetrar, imbuir. Embebe-se, ensopar-se.

Satisfação

Lucidez, que tem ou apresenta clareza, penetração da inteligência ou da razão. (Lúcido) É perspicaz, não é a sabedoria intelectual, cada pessoa tem o seu mundo. “O homem é certo ter mais lucidez que a mulher.”

Vale o conhecimento, vale ser esclarecido, mas a lucidez mata, “a lucidez do mundo”, quanto mais conhecimento você tem mais você se condena, mas… a lucidez de Deus, se você tem falta de sabedoria, peça à Deus pois, a sabedoria no lar é indispensável, sem o qual, o lar cai. A lucidez é para discernir o certo do errado, o bem do mal, é somente a lucidez que tem a perspicácia para ver.

A lucidez tem um caráter mais íntimo, sabedoria com o manejo com a mulher, com o homem.

Sincero é aquele que se expressa sem intenção de enganar, verdadeiro, autêntico; sinceridade.

A pessoa sincera não tem como ser fingida, a falta de sinceridade afasta o casal; não existe sinceridade sem caráter, não existe caráter sem fidelidade.

Você conhece o caráter através da sinceridade, o sincero diz: sim, sim; não, não!

A sinceridade fornece auto-crítica. Há pessoas que nunca olham para si próprias, mas também não deixe o diabo explorar sua sinceridade, não se acumule de complexos de inferioridade, nada de complexo, seja mais sincero.

Um fator muito importante é saber pedir desculpas com franqueza, para assegurar o respeito e o devotamento do cônjuge. Foi sábia a pessoa que afirmou: não dever o marido ou a esposa jamais dormir abrigando mágoas no coração, o respeito deve ser mútuo, nas palavras, na reverência.

A sinceridade é franca, mas antes de tudo ela ama. A Sinceridade é uma qualidade indispensável no casamento. A sinceridade deve vir junto com a sabedoria, a lucidez.
Agora, ser sincero não quer dizer que é para falar tudo em relação ao outro, assim você mata o outro, o diálogo tem seus limites, ser sincero não significa dizer tudo, expor sua vida para os outros, isto é falta de pudor.

Respeitar a sinceridade interior de cada um, é saber que cada um é humano.

O diálogo é uma arma tremenda para o casamento, solução para problemas; a sinceridade contribui para encorajar, animar.

Sentimento de responsabilidade- deveres domésticos para os homens, isto não vai fazê-lo um homossexual, isto é sentimento de responsabilidade, casar com um homem que não tem sentimento de responsabilidade é a pior desgraça que tem.

No período inicial do casamento, quando os cônjuges estão se adaptando um com o outro, convém que o marido se familiarize com os deveres domésticos. Isto não somente lhe dará maior percepção dos problemas da esposa em manter o lar, como também assegura a ela que o lar é a coisa de interesse e preocupação mútua.

Sentimento de responsabilidade traz força de coesão interna (união íntima das partes de um todo, ligado)

Temos que aprender a respeitar a liberdade interior de cada um que, o próprio Deus respeita.

“A parte externa é que recebe o bombardeio, mas a parte interna está para sustentar o edifício.”

Forças de dissociação:

Incompatibilidade física e psíquica- você tem que compreender seu marido, sua esposa, seus filhos;

O casamento foi dado primeiramente para procriação, para ter um leito sem mácula, onde ele pode reclinar sua cabeça…

Falta de diálogo- comunicação, através da qual você esclarece as suas idéias.

Um homem que não tem diálogo é muito difícil, o macho tem muito que ouvir da fêmea e vice-versa.

O fracasso da comunicação – você tem que sempre estar pronto para sofrer danos e perdas; este fracasso faz parte das dificuldades da vida.

Chantagem sentimental – explorando afetos, emoções e diálogos;

No diálogo há espontaneidade é importante desde que não perturbe o outro, a ponto de que a pessoa desista de falar com você, “Não adianta falar com ele, ele não deixa eu falar”, aí faz escondido.

Falta de comunicação; “eu tenho medo de falar com ela, dá um ataque de nervos”; aí você inibe a outras pessoa, deve-se escutar o outro, entender o que ele está querendo dizer!

Há diálogos de sentimentos, existe diálogo em silêncio:

  • Diálogo intelectual;
  • Diálogo espiritual;
  • Diálogo sexual.

O diálogo sexual não esgota o diálogo normal e analisa de uma maneira fundamental e correta, se há diálogo na cama, tem que haver diálogo na mesa, no quintal, etc. , todo o problema do casal, cada um tem a arma do diálogo.

O casamento, o amor é uma maneira de reeducar, valorizar. O amor conjugal é formado de: interesses, projetos compartilhados, ternura, curiosidade e desafios.

O amor se estimula com desafios, ele gosta de ser desafiado. A vida sem desafios fica monótona, e você está sempre saindo na frente vitorioso.

Desafio – ato de desafiar

Desafios que a todo momento devem ser renovados.

Interesses e projetos compartilhados – tira o machismo, inclusive o desejo de filhos, pois os desejos devem ser os mesmos, é normal que o homem sacrifique mais seus desejos pela mulher. Os filhos são resultado de uma vida amorosa.

Ninguém se basta a si mesmo, é a dois.

Os sintomas legais para o moço ou a moça conhecer o outro:

Se ele (a) é dizimista;

Respeita e honra o dia da ressurreição;

Vai às escolas dominicais;

Não se associa e come com mal dizentes;

Tem facilidade de brincar, mas de orar não;

Não tem asseio, não tem asseio com determinadas palavras;

Se respeita seu pai e mãe;

E não demonstre potencial entre estes 7 pontos.

O casamento que começa errado vai terminar errado, e depois não vá culpar à terceiros, a culpa é toda sua. Há situações que caímos, que são buscadas por nós, pela nossa teimosia, pelas nossas próprias mãos. Por isso não ignoremos estes pontos principais para conhecer o caráter cristão do outro companheiro.

“A verdadeira grandeza de um homem é medida pela força dos sentimentos que ele domina, e não pelos sentimentos que o dominam.”

Em quase todos os momentos da vida precisamos estar prontos para tomar uma decisão, na vida temos duas das quais são as mais importantes, “a primeira é tomar a decisão de onde hão de passar a eternidade, a outra decisão que temos que fazer na vida, é eleger o companheiro ou a companheira de toda a vida. Ao rapaz e a moça que se lançam à vida tem sido dado direito de fazer uma seleção.” (“Escolhendo uma noiva” parág. 27)

“NÃO SE CASE COM ALGUÉM QUE NÃO SEJA UM CRISTÃO.” ( II Coríntios 6:14)

Cristão: relativo ao cristianismo, ou que professa. Cristianismo : baseados nos ensinamentos, pessoa e vida de Jesus Cristo.

E nenhum crente nunca deve se casar com um descrente sob circunstância alguma. Deve sempre casar-se com crente. Mas Acabe fez esta coisa malígna. E sem dúvida Jesabel era uma mulher bonita. E ele foi pela sua aparência ao invés de ir pelo que ela era. Que… Então muitas pessoas cometem aquele mesmo engano nestes dias.” (Esteja Certo de Deus prg. 6-7)

Outro fator muito importante é que devem estabelecer desde o início uma parte importante em seu lar, formando o propósito de ter o culto doméstico e estar sempre nas reuniões ou seja, no companheirismo cristão, onde não existir harmonia e cooperação entre os pais em relação a fé, dificilmente conseguirá um lar feliz. “Busque caráter, caráter de Cristo, essa é a única forma de você escolher. Primeiro busque caráter, e logo se você a ama, bem.” (Profeta William Marrion Branham)

Ouçamos mais uma opinião de um jovem desta mensagem:

“Lembra-te do teu criador nos dias de tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas dizer: não tenho neles contentamento.

Antes que se escureçam o sol, e a luz, e a lua, e as estrelas, e tornem a vir as nuvens depois da chuva.

No dia em que tremerem . . . (ao 11) . . . As palavras dos sábios são como aguilhões, e como pregos bem fixados pelos mestres das congregações, que nos foram dadas pelo único Pastor (Jesus).

E, demais disto, filho (a) meu, atenta; não há limite para fazer livros, e o muito estudar enfado é da carne.

De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque este é o dever de todo homem.

Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau. (Amém)

Através desse capítulo de Eclesiastes 12, fiquei meditando a quantia que isto é aplicado na vida de jovens da mensagem completa do nosso profeta William Marrion Branham.

Aprendemos com o profeta a voltar à Palavra Original, ou seja, tudo tinha sido transtornado, inclusive o namoro cristão.

Sem entrar em detalhes sobre doutrinas, podemos refletir sobre o verdadeiro namoro cristão dentro da Palavra, onde a única consequência é um casamento abençoado, filhos abençoados, é mais um exemplo para jovens que buscam a felicidade em coisas vãs; disse o profeta:

. . . Naquela rocha eu firmo, que é Cristo Jesus com ternura, pois todos outros terrenos são areia movediça! …

O que para nós cristãos é vão, para o mundo é normal, e nós podemos afirmar que o que parece idiota e careta para o mundo, é a única forma de estarmos em comunhão constante com Cristo. Salomão disse: — “Vã é a formosura”(Prov. 31:30).

Com certeza, o eleito não prosperará se estiver na carne ou seja, praticando aquilo que não lhe convém. Tudo que fizer no seu namoro refletirá no seu casamento.

Certo dia, fui fazer um juramento da Bandeira Nacional para receber dispensa do exército; lá havia mais ou menos cem jovens, todos com suas respectivas “madrinhas”. No sermão o Coronel, sempre em alta voz, após deixar claro o que é patriotismo, encerrou perguntando à todos; – Quais “madrinhas” eram namoradas do dispensado. Teve mais ou menos 70% dos casais, em seguida dirigiu à eles colocando o exemplo para todos:

-Vocês respeitam essas moças o suficiente para que elas no futuro possam ser mães de seus filhos?

Houve um pequeno período em silêncio, e logo terminou sem mais tocar no assunto.

Eu admiro àquele homem, nunca mais esquecerei, pois ali eu vi que eu era um dos únicos ou o único que tinha já aquilo em mim. Eu acho que é tudo a graça de Deus. Na mensagem “Escolhendo uma Noiva”, o profeta diz que se um jovem se casar com uma mundana, isto mostra que ele ou ela caiu da graça.

Mas o que pode ser o namoro? Creio que é a coisa mais pura e sincera que podemos ter em uma fase. Época de conhecimentos, se resume em um aprofundamento de uma grande amizade.

Dali podemos perceber se isto é Amor.

Mas algo me intriga, é o namoro fora da mensagem. Não é só namorar denominacionais ou mundanos, é simplesmente ter um namoro como o mundano. Não é preciso entrar em detalhes. (namoro errado, só traz maldição)

Creio que Deus nos tem dado jovens capazes de suportar o mundo e as tentações, como disse antes e tem que ficar marcado: “Tudo refletirá no seu casamento”.

Para tudo que vamos fazer é necessário muita oração, quanto mais para o namoro e futuro casamento.

-“Mais oração, mais benção; pouca oração, pouca benção; nada de oração, nada de benção.”(W.M.B)

Tanto o namoro, quanto o casamento é necessário compreensão de ambas as partes. A troca de elogios é fundamental como estimulante de um namoro. É preciso ter sinceridade, não uma sinceridade grosseira.

No mundo o estimulante é o sexo, onde mesmo antes do casamento já existe, sendo assim, não tem nenhuma diferença após o casamento. Por isso há tantos divórcios, eles se asseguram apenas no que lhe traz felicidade momentânea. Um momento que eles fiquem sem o “carinho”, já converte-se em brigas, mesmo no namoro. O mundo não sabe que o namoro é para ver se realmente um aceita o outro como são, independentes de prazer ou não.

Não quer dizer que o cristão não tem prazer. O cristão é o sêr mais completo e feliz. Só temos uma diferença que parece tão simples e fácil de pronunciar, mas é só para aqueles que O temem. Essa diferença se chama “Jesus”. Não é tão simples como todos pensam. Isto é o que há em um namoro de um verdadeiro cristão, pois Ele é Amor. (um irmão em Cristo)

É como já mencionamos, se o jovem ama a moça o suficiente a respeitará.

Gostaria de passar para vocês, qual é o desejo de uma mulher; o que toda moça almeja encontrar em seu amado; o que toda esposa almeja encontrar em seu marido:
“Desejo de Mulher”( Escrito pelo Pr. Joaquim Gonçalves Silva)

… Sem querer magoar qualquer sentimento, principalmente o masculino, deixamos aqui bem claro os seguintes pontos: quem ama, não fala, manifesta; quem gosta, não diz, age. Quando um homem se interessa verdadeiramente por uma mulher, nunca justifica falhas próprias ou de alguém; nunca lamenta passado, presente ou futuro. Simplesmente toma atitudes sérias e objetivas; adquire responsabilidade e enfrenta qualquer tipo de problema. Não recorda ou remonta frustrações, mas encara com seriedade aquilo que deseja. Não procura a quem diz que ama ou gosta nos momentos difíceis de sua vida, mas nos momentos de melhores condições mentais, físicas, espirituais, morais e até mesmo financeiras.

O homem que procura uma mulher somente quando está arrasado, fraco, abatido, desprezado, é porque está almejando uma escora ou apoio para a presente fase, mas, quando esta passa, esquece-se dessa mesma mulher.

O homem que tem sentimento briga por tudo que quer; sabendo porque quer, quando quer e onde quer. Homem que só dá valor à mulher quando está no lixo, na poeira, na lama ou na sarjeta, como muitos se julgam estar, é semelhante ao homem que só dá valor ao amigo quando este está longe, à liberdade quando se encontra preso e à própria mãe quando esta se encontra morta.

Um homem quando ama verdadeiramente uma mulher, não se deixa dominar por sentimentalismo torpe, banal e vulgar; restabelece-se de seus fracassos; equilibra-se emocionalmente, mentalmente, espiritualmente e materialmente. Adquire responsabilidades reais e palpáveis; constrói primeiro em volta de si um mundo, não de ilusões, mas real, objetivo, com toda a segurança, conforto e satisfação, para depois ir em busca daquilo que diz ou de quem diz que amam, ou gosta, ou admira ou quer bem.

Existe dentro de qualquer ser humano o sentimento, e a razão, e, estes devem estar constantemente em equilíbrio, para que haja harmonia para consigo mesmo e o seu semelhante; quando este ser humano perde o equilíbrio e deixa-se dominar pelos sentimentos ou pelo razão ao extremo, o fim dele é trágico e irremediável.

Nenhuma mulher deseja viver com um homem que se diz fraco, que demonstra ser fraco e que na realidade é fraco; isto porque o desejo de toda mulher é estar segura, amparada, protegida e acima de tudo: amada.

Nenhuma mulher gosta de promessas vãs de qualquer homem, mas, de atitudes ou ações que demonstrem alta personalidade e firmeza de caráter.

Nenhuma mulher quer ser enganada com frases românticas.

Nenhuma mulher gosta de ouvir lamúrias, pesares ou qualquer tipo de choro, mas, sempre espera ouvir de um homem, verdadeiramente homem, palavras fortes, de coragem, de otimismo, de luta, de vitória e de firmeza.

O Homem para recuperar a confiança de uma mulher, tem que nascer de novo, ser um homem modificado, um outro homem, totalmente diferente em todas as circunstâncias da hora, tempo e lugar; tem que absorver na íntegra e deixar circular em seu próprio sangue , cérebro e alma, todas as condições apresentadas acima. Despertar para o mundo e para as realidades. Levantar-se de entre os mortos e adquirir conhecimento de causa, sabedoria, mantendo-se de pé, de cabeça erguida, olhando não para cima, nem tão pouco para baixo, mas, para frente, onde caminhando com firmeza pode seu intento alcançar.

O Desejo de mulher é expressado desta forma, de dentro do seu corpo, alma vida e sangue, a fim de que qualquer homem possa obter um parecer seu, uma sugestão, uma resposta, uma conclusão, uma atitude ou qualquer opinião sua.

“O Fundo clama o Fundo, e para Fundo clamando há um Fundo que responde no Profundo…”

Agora, o sêr ideal não existe! “Aquele objeto que eu mandei preparar!” Não, não é assim!! O sêr ideal é fazer de seus compromissos um momento de devoção. É uma eleição, você escolhe, você elege. O próprio homem (mulher) que você casou é sempre um novo homem, é uma renovação para você.

Quando Deus deu ao homem uma esposa, lhe deu o melhor que podia dar-lhe com exceção da salvação; agora é conveniente que se um cristão tem de escolher uma esposa, ele deve escolher uma mulher genuinamente nascida de novo, porém quando se trata de tomar o lugar do homem, então é a pior coisa à qual o homem pode apegar-se. A sua escolha reflete seu próprio caráter cristão. (Escolhendo uma Noiva – partes dos parágs. 54/52)

Faça seu próprio casamento; viva seu próprio casamento; viva seu próprio esposo; viva sua própria esposa, o casamento é o que os cônjuges fazem dele.

O casamento pode ser aqui mesmo e presentemente como, “um pedacinho do céu”, contudo este ideal somente será atingido quando o marido e a esposa se unem um ao outro e a Deus, de tal maneira que o lar seja impregnado daquele tributos cristãos que servem a base a toda verdadeira felicidade.

Doação – Ato ou efeito de doar; transmitir gratuitamente.

O casamento deve ser um relacionamento de doação. Enquanto o marido está dando amor, dando cada partícula de energia, cada partícula de conhecimento que possui para fazer o que é o melhor para a esposa e a família, a esposa deve reagir a esse amor. Essa reação conduzirá a uma disposição em satisfazer as necessidades do marido, antes mesmo que ele peça.

Sabemos que a submissão tem de ser uma dádiva dela para ele, por contrair a todas as tendências naturais. À medida que é ofertada, ela libera um manancial sobrenatural de amor entre marido e mulher.

Se essas duas atitudes de amor e submissão forem ignoradas, dificilmente, possivelmente um desastre, estará à espreita do casal. Se o amor e a submissão forem colocados em ação, um casamento maravilhoso resultará, pois Deus muito simplesmente diz que é dessa forma que Ele o planejou. “O marido deve ser o cabeça do lar e a esposa respeite seu marido”.

Casamento é uma evolução um para o outro, ele(a) nunca deve perder a importância para você; o amor conjugal compartilhado é permanência do amor atrativo.

Agora é na convivência que descobrimos o bom e o ruim de cada um. A natureza humana é de tal modo constituída que duas pessoas instalaram a vida conjugal, apresenta-se-lhes mais fácil descobrir faltas no outro cônjuge do que admitir os próprios defeitos. Podem, portanto, ocorrer desavenças que seriam evitadas se o casal tivesse a necessária prudência e discernimento bastante de suas próprias personalidades, para corrigir-lhes as deficiências antes que estas venham a produzir graves tensões.

Vocês estão casados para melhor e para pior! Frequentemente, porém, as personalidades não se manifestam senão quando uma nova complicação na vida matrimonial a descubram. Ninguém deve fingir que é diferente do que realmente é; devemos aceitá-lo(a) da maneira que é. É claro que, muitas das nossas maneiras e gostos podemos sacrificar um pelo outro; “nenhum conflito é tão severo como o daquele que luta para dominar o eu”.

De quando em quando, quase todo casal tem uma desinteligência. Isto porém não significa necessariamente que não sejam felizes.

Certo jovem afirmava, depois de quatro anos de casado, que, ele e sua esposa jamais haviam trocado palavras iradas. Afirmava que viviam em perfeito acordo sobre todos os assuntos que consideravam. Quando porém estivemos em contato com a esposa, tornou-se patente que o motivo desta perfeita harmonia consistia no fato de que a probrezinha não ousava erguer a voz em protesto contra as normas que seu voluntarioso esposo lhe havia imposto. Certamente não era feliz, ainda que jamais houvessem brigado.

Não tem nada de errado, um homem atender um conselho de uma esposa, uma opinião, ouvir o não da mulher, mas aí entra o machismo ignorante! Agora, bem entendido, naquilo que ela tem direito, de acordo com a Bíblia!

Quando a esposa tem problemas, deve o marido de bom grado compartilhá-los com ela. Quando o marido os tem, fará bem em buscar o conselho dela. Somente quando trabalham com respeito mútuo, em julgamento, podem experimentar aquele sadio companheirismo que os faz verdadeiramente felizes.

O maior desejo do amor é o de encontrar um amor correspondente. A maior mágoa do amor é o de, o outro não acreditar nele. Mas se ela puder olhar para o marido com os olhos cheios de reverência, ele se tornará um rei dentre os homens.

Por sua vez, ele deve dar à esposa o lugar de honra, um lugar de privilégio e cuidados especiais. Muitos homens tem esposas de segunda categoria porque lhes dão tratamento de segunda categoria. Eles jamais ganham a rainha com quem gostariam de estar casados; simplesmente não percebem que a esposa é, de muitas formas, um reflexo do marido. A esposa é elevada à posição de rainha pelo marido sábio e amoroso, à medida que os grandiosos princípios do casamento planejados por Deus são colocados em funcionamento.

A vida, o casamento, é um treinamento constante para sermos melhores cada dia um para o outro.

Domínio Próprio é coragem em outra forma; o domínio próprio é sempre melhor… nem mesmo Deus pode controlar-nos de fora e deixar-nos na posse da liberdade. O mais poderoso conquistador é aquele que conquista a si mesmo.

Tem que compartilhar, o casal compartilhado é único em sua dinâmica própria.

O casal compartilhado é fruto da fascinação de uma ilusão amorosa, tem que existir a poesia, o romance. Você tranquiliza uma pessoa, cada pessoa traz dentro de si este jeito de tranquilizador; a força da mulher é extraordinária, ela tem domínio afável, carinhosa.

Para a solidez do casamento, o caminho é:

* Amizade – Amor – em um sentimento agradável não há frustrações.

Casar é formar um lar, uma família, viver em função do outro toda a vida!

Quando se entra no campo de namoro e casamento, existem muitas teses e coisas diferentes em relação a isso. Através destas linhas, tentarei expressar minhas experiências pessoais baseado na mensagem à qual eu creio e que indubitavelmente, faz parte de minha vida.

Vejo no mundo uma mocidade solícita e perdida em meio as grandes influências que a mídia lhes imprime e que a sociedade lhes força a ver como a melhor saída e o mais belo caminho.

Na loucura das transformações decorrentes da idade adolescente e da força utilizada pela sociedade para que os adolescentes conheçam logo as coisas referentes à vida conjugal, muitos jovens tem passado por experiências amorosas e até sexuais durante sua adolescência; fato que marca suas vidas e que depois de amadurecidos, trazem consequências que muitas vezes, não terão retorno, pois, a maioria dos que passam por esse tipo de experiência, se mergulham neste mundo e se envolvem com todo o tipo de situações comprometedoras, o que faz com que suas personalidades sejam deformadas por não poderem ver em uma pessoa nada além da beleza física ou condição social entre outras coisas.

Nós, jovens que temos tido a oportunidade de participar de uma fé diferente, como também de conhecimentos preciosíssimos, temos aprendido a enxergar as pessoas como elas são através das ações e reações de cada uma.

Os maiores defeitos e as melhores virtudes de cada pessoa, estão expostos em cada pequeno gesto ou reação, o que mostra a personalidade de cada um.

Quando um rapaz ou moça se interessa por outro, deve-se levar em consideração estas minúcias.

Cada um deve observar as atitudes mais simples do outro para ver até que ponto pode se dar bem. Para que isso ocorra com sucesso, é necessário, primeiramente, que cada um conheça a si mesmo, sabendo firmemente as coisa que lhe agradam e as que lhe desagradam e, até que ponto desagradam.

Tendo em vista o que foi dito anteriormente e o fato de que não existem pessoas sem defeito, vejo que se deve buscar uma pessoa pela qual se tenha uma forte atração física, porém, não predominante; um sentimento puro que não tenha pressa com coisa alguma (que caracteriza a possibilidade de ser o início de um amor real); e que tenha defeitos suportáveis os quais, através do convívio se tornarão admiráveis e bonitos por se tratar da característica individual e própria do cônjuge.

Em um relacionamento, o meio e o fim depende de como foi o início. Se um namoro é com muitas ilusões, palavras bonitas e toques físicos, dificilmente isso chegará a um fim duradouro porque ambos se envolvem tanto nas baladas poéticas e românticas que não tem tempo para conhecer a fundo, procurar descobrir o que é oculto, conhecer e principalmente orar afim de conhecer a vontade perfeita de Deus.

Tenho visto muitos namoros de abraços e beijos que aparentam serem tão firmes, mas que na primeira dificuldade que lhes sobrevêm, não suportam a pressão e terminam. Esse tipo de namoro não tem a aprovação de Deus e se quebram facilmente por estar baseado em sensações físicas.

O namoro verdadeiramente cristão tem outro sentido, pois, o fato de não praticarem nenhum tipo de toque físico, lhes dá a oportunidade de construir um namoro baseado no diálogo, na troca de olhares profundos e compenetrados, na vontade de rever o(a) outro(a), na busca de expressão de sentimentos através de atitudes, o que por si só, já mostra muitas coisas do cônjuge desde que se esteja atento e, também oferece uma consciência tranquila diante de Deus por ter a certeza que Ele está observando tudo e agirá a favor de ambos conforme sua sinceridade.

Ao meu ver, um rapaz ou moça, nunca devem procurar um cônjuge. Na hora certa Deus envia a pessoa certa, da maneira certa e basta que você esteja buscando a Deus em primeiro lugar que todas as demais coisas serão acrescentadas.

“Enquanto eu buscava um amor, encontrava experiências e cabeçadas, mas, quando larguei tudo e busquei só ao Senhor, então Ele deixou que eu conhecesse um pouco do significado da palavra que eu buscava; o AMOR.” (um irmão em Cristo)

Consulte a Deus quando tiveres de escolher uma companheira(o) para a vida. Baseia a tua escolha em algo mais que a atração física. Escolhe uma companheira(o) na qual o teu interesse e o teu amor continuarão depois que as forças físicas começarem a desvanecer. Não procures, tão pouco, perfeição absoluta, porque tu mesmo não és perfeito.

“Passamos a amar não quando encontramos uma pessoa perfeita, mas quando aprendemos a ver perfeitamente uma pessoa imperfeita.”

A escolha do companheiro para o resto da vida é demasiadamente importante. Agora, que é este amor do qual se diz que uma pessoa está “caída”? É alguma coisa sobrenatural, predeterminada, infalível? Não; não é sequer misterioso. É simplesmente um estado de alegria intensa, estimulada pela atração mútua e física.

“Enamorar-se” é uma agradável experiência. Um casal enamorado procura a aprovação mútua.

“O jovem que se casa encontra-se desde o primeiro momento em condições de vida completamente novas. O amor transforma seu viver, dá-lhe mais profundeza e amplitude. Antes de casar-se, somente de si mesmo, parece, deveria preocupar-se; entretanto casado assume sobre seus ombros novas responsabilidades.

Já não vive para si, vive também para sua esposa, para seus filhos, o que também ocorre com a jovem esposa. E como o amor é a morte do egoísmo , deve esquecer-se de si mesmo e buscar na felicidade de outrem a sua própria.

O amor é um sentimento que tudo vivifica, anima nossas forças, enobrece e suaviza nosso ser, desenvolvendo e enriquecendo a alma de alegria. Se esses sentimentos e emoções não fossem tão fortes e poderosos, nenhum homem se atreveria a chamar sobre si os riscos do matrimônio, riscos e responsabilidades de variedade indefinida e que podem provir de causas tão distintas, de incompatibilidade de gostos e caracteres, de grandes diferenças cuja união se impõe.

Sem o amor, como se decidiria uma mulher a consagrar sua vida inteira a um homem?

Se amar vossa mulher e quereis a vossa ventura, guarde a fidelidade para com ela. Vós lhes deveis da mesma forma que ela vos deve. A pureza e a virtude não são exclusivas da mulher, são igualmente necessárias ao homem. Deus disse: “Não cometerás adultério”. A infidelidade é um crime para o homem como para a mulher. Em nome do amor que sentes por tua mulher e teus filhos, em nome do amor e o respeito que tendes a Deus, guarde a vossa(o) esposa(o) a fidelidade que lhe deveis, a que respeite os votos do matrimônio. Nele está tua felicidade presente e futura.

Agora a infidelidade não corresponde somente em procurar outra pessoa a qual não é sua esposa (seu esposo); Infidelidade com palavras, infiel na sinceridade, infidelidade no amor, etc… No casamento não pode haver infidelidade de nenhuma maneira ou forma, o casamento deve ser um ato de muitíssima sinceridade, fidelidade, é viver com quem se ama, se confia, é servir e ser servido, é trabalhar por alguém, é dar a vida um pelo outro; depois da salvação é a coisa mais maravilhosa que pode acontecer na vida de um(a) jovem.” (“O que um jovem esposo deve saber” Edição de 1937).

“O maior segredo é esperar em Deus. Esperar em Deus é uma atitude passiva, mas é algo muito ativo que implica muito trabalho.

Esperar em Deus exige que lutemos contra nossas próprias idéias, nossos arranjos, nossas saídas de emergência. Esperar em Deus demanda que lutemos contra a ansiedade, contra os temores, contra a falta de fé e contra o impulso de nossa carne de querer ajudar a Deus. Esperar em Deus leva-nos a voltar sempre os olhos para o Senhor,o invisível Soberano, e afastá-los de tudo que é visível, lógico e palpável – essas coisas querem provar que é inútil esperar Deus agir, por isso não devemos dar ouvidos às razões da carne.

Esperar em Deus não é cruzar os braços e esperar que as coisas simplesmente aconteçam, mas é dobrar os joelhos, orar e esperar o momento de Deus cumprir Sua vontade.

Esperar em Deus é mesmo chorando diante de Sua presença, dizer-lhe que ama Sua vontade, ainda que não a compreenda plenamente.

Espera em Deus é desistir de qualquer ação ou pensamento, a não ser o de descansar em Seus braços, confiante em Seu amor e desígnios.

“Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa. Espera . . . no Senhor, desde agora e para Sempre.” (Salmos 62:1/ 131:3)”

“Sobre ter um namoro correto, isto é essencial. Creio que quando há o temor de Deus, a auto-estima, o respeito e o amor para com a pessoa companheira, não há como deixar o pecado tomar lugar entre duas pessoas.

Guardei uma frase de um amigo que está conhecendo uma moça e também estou de acordo: – Quando nos assentamos juntos, o Senhor Jesus está entre nós dois. (em nós)

É um casal de namorados que temem a Deus e andam em Sua presença.

É tão bom fazer o correto desde o princípio e mesmo se adiante um dos dois resolverem romper e somente ir cada um para seu lado, sem comprometer a nenhum dos dois. Guardei também uma frase de alguém que disse: – “Se um dia eu estiver namorando e a pessoa(ele) tocar em meu corpo eu largo na mesma hora.”

Achei isto bonito é um ótimo exemplo para uma moça cristã. Deve-se saber provar, ver a intenção e a qualidade de caráter da pessoa.

Creio que todo cristão ou cristã que tem uma consciência (amor) para com Deus, que quer cumprir com os mandamentos de Deus não gostaria de se envolver em um namoro errado, e é onde todos devem vigiar e não dar liberdade á carne, não facilitar, evitar de estar em lugares separados e ter atitudes que contribuem ao pecado. (O pastor Joel Nintz pregou no encerramento do encontro em Moji Mirim dia 21/02/99: “Eu desafio um rapaz tentar colocar a mão numa moça cheia do Espírito Santo! Tem que ser vazia para ser conduzida. Aut.) O que devemos fazer é evitar; porque esta carne nunca se converterá, a única maneira de vencermos é viver uma vida submissa à Deus, enchermos cada vez mais com o Espírito Santo e oferecer em sacrifício, como um culto a Deus. (Romanos 12:1); onde o nosso eu tem que morrer dia à dia e em nossa alma fazer habitar pela graça de Deus o Espírito de Cristo.

“A fidelidade e o respeito são o reflexo do amor” (Quem é fiel obedece)

Além das consequências que pode causar um namoro errado, nos filhos que hão de vir e outras consequências mais, os dois podem se prenderem por afetos e carícias e pensar que isso é amor. “A escolha deve ser pelo que a pessoa é no interior, não pelo que ela oferece em seu exterior.”

Temos que saber colocar as coisas cada uma na hora certa. A pessoa que realmente ama se preocupa em fazer com que a outra se sinta feliz e realizada. (um irmão em Cristo)

Mas o que nem todos reconhecem é que, esses privilégios são só genuínos onde há amor genuíno. Ora, não pode haver amor verdadeiro onde não há responsabilidade. Amor irresponsável é indigno do nome. Onde a paixão impera não tem, e nem pode haver genuíno prazer, mas amargura e desapontamento.

A maior prova de amor é a distância, é quando você respeita a ausência.

O casamento bem-sucedido compreende mais do que uma agradável lua-de-mel. “Até que a morte nos separe” é o critério final pelo qual se terá que julgar um enlace matrimonial.

Não tem como desfazer um casamento, casamento não se corta com tesoura. (Pr. Joaquim Gonçalves 19/05/99- Esc. Dom.)

É uma relação sagrada e assim deve ser considerado para que perdure e tenha êxito. O pedirem juntos à Deus para que os guie e lhe dê tolerância, que capacite os desposados a atravessarem com êxito o período de adaptação que se segue à lua-de-mel. Então, à medida que experiências semelhantes exerçam efeitos similares na fusão das personalidades, ambos se sentirão cada vez maia atraídos pelos laços do companheirismo cristão.

Eu creio que o cristão sincero não somente atenta para as simples evidências a fim de saber se um amigo ou amiga dará um bom cônjuge, como faz disto objeto de oração, rogando ao Senhor conduzir e orientar o desenvolvimento desta amizade especial na decisão quanto a culminá-la em casamento. Quando o moço ou moça se aproximam do assunto do casamento com fé sincera, confiando em que Deus responda a suas orações e submetendo-se à direção divina, sabendo que o casamento é inteiramente “escolha”, pois a sua escolha determina o seu destino, mas se pedires à Deus com fé e sinceridade, Deus lhe dará uma direção a seguir.

Além disso, essa fé sincera posta em prática pelo casal, na vida doméstica, uma vez estabelecido o lar, assegura êxito, harmonia e felicidade. Os descontentamentos, as desavenças e críticas não podem perdurar no lar em que a afinidade cristã de pais e filhos os levam a ajoelharem-se juntos para a oração da manhã e da noite.

O moral é coisa intangível (em que não se pode tocar). É difícil de ser definido. É, porém, fácil de ser reconhecido quando está presente.

É o moral doméstico que faz o marido lembrar-se de que os biscoitos que a esposa fez são os melhores que experimentou há muito tempo, ou se não são bons, felicitá-la pelo pudim, ou pelo assado ou por qualquer coisa boa. É o moral que faz a esposa planejar com os filhos fazerem uma surpresa ao pai, arranjando um lanche especial exatamente para o momento em que ele retorna do trabalho, de modo que todos possam se reunir e comer juntos.

No que se refere ao lar, o moral é o amor em ação. Envolve o mencionar e dar atenção às coisas que produzem felicidade, e passar por alto tudo que desanima ou infelicita. Envolve o desenvolvimento de uma atitude de sincera gratidão pelas boas coisa que o lar oferece, ainda que não sejam tão perfeitas como se poderia supor que fossem.

O moral torna a família unida – uma união fecunda, impenetrável ao ciúme e à crítica que possam vir de fora.

O moral é independente das rendas financeiras. Pode a família não ser a mais abastada do quarteirão, mas pode ser, pelo menos, a mais feliz do Estado. Bondade e terno interesse de um pelo outro não se podem comprar com milhões de reais, mas nada custam para se obter, e quando estão no marido, na esposa, nos filhos, fazem seus portadores se sentirem as pessoas mais ricas do mundo.

Na cerimônia nupcial, prometeu o marido que seria exclusivamente de sua mulher pelo tempo em que ambos vivessem, e a esposa fez promessa similar em relação ao marido. Estas promessas incluíam mais do que conterem-se de grosserias um com o outro. Incluíam unir tanto, pelo qual as confidências e segredos pessoais que existirem entre os esposos jamais devem ser compartilhados com outros.

O círculo de santidade liga igualmente marido e mulher. A mulher ameaça enfraquecer o círculo em qualquer tempo que confia segredos pessoais a alguma outra pessoa.

A perfeita harmonia no matrimônio requer que cada uma das partes se disponha a sacrificar um pouco do próprio individualismo.

O casamento sendo ordenado por Deus, é sagrado!

Tão sagrada é a instituição do lar que Jesus a usou como melhor meio de figurar o Reino de Deus, comparando-o a uma grande família em que Deus é o Pai e os homens seus filhos.

“O Amor resiste à dor e ao infortúnio. Se fôssemos capazes de escolher um sentimento que perdurasse acima de todos os outros, haveria escolha melhor?”

Bondoso Pai Celestial,

Ajuda-me a crescer dia-a-dia rumo à perfeição, dá-me forças para vencer os embates da vida e, ser melhor hoje do que fui ontem.

Óh! Jesus, ensina-me a escolher como Tu escolherias; ensina-me a pedir como Tu pedirias, e não segundo o meu coração egoísta.

Senhor, desejo tanto a felicidade e sei que Tu queres que eu seja feliz, ensina-me a esquecer de mim mesmo(a) e a encontrar a verdadeira felicidade em obedecer as tuas leis, e a cumprir o teu plano em minha vida.

Tu Senhor, és a resposta aos anseios mais profundos do meu coração, ajuda-me a vencer as tentações, pois são numerosas e fortes, ajuda a nós todos que estamos neste caminho, nesta jornada; sei que Tu queres que sejamos vitoriosos nas tentações, perdoa-nos os erros, fortalecei-nos e orienta-nos como nos tem orientado, para que possamos viver de acordo com a Tua vontade.

Mas, eu sei que Tu estás acima de tudo, ajuda-me a conservar esta fé, e a segurar sempre a Tua mão para que eu não tropece.

Deus Bondoso, ajuda-nos a prosseguir sempre em direção ao Alvo Supremo – Cristo Jesus.

Permita que os nossos (meus) dias neste mundo, eu os passe servindo sempre a Ti, fazendo única e exclusivamente o bem, encha-me do Teu Espírito para que eu tenha vida verdadeira.

Óh! Jesus, eu quero ser forte, puro(a), corajoso(a) e verdadeiro(a), confesso-te a minha pequenez e a minha fraqueza, mas sei que se Tu estiveres comigo serei tão forte o quanto preciso ser.

Senhor, permita-me viver para servir somente a Ti, dá-me um coração como o Teu, para amar e a perdoar como Tu.

Concede-me forças para passar por estas provas com regozijo e não vacilar jamais;
No Nome do Senhor Jesus Cristo

Amém!!

tabernaculo-4 - Copia

Posted in Sem categoria.

Deixe seu comentário