AS SETE ERAS DA IGREJA – A ERA DA IGREJA DE LAODICÉIA
11 de dezembro de 1960
Jeffersonville – Indiana – E.U.A.
Tradução – GO


1 E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:
Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente: oxalá foras frio ou quente!
Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.
Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;
Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e vestidos brancos, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.
Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso e arrepende-te.
Eis que estou à porta, e bato: se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei e ele comigo.
Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Apocalipse 3:14-22.

A CIDADE DE LAODICÉIA
O nome Laodicéia, que significa “direitos do povo” , foi um nome muito comum e foi dado a várias cidades em honra às senhoras reais assim chamadas. Era uma das cidades políticamente mais importante e financeiramente mais florescentes da Ásia Menor. Enormes somas de propriedades eram legadas à cidade por cidadãos proeminentes. Era o local de uma grande escola de medicina. Seus moradores sobressaíam em artes e em ciências. Ela era frequentemente chamada a “Metrópole” como se fora a sede do governo de vinte e cinco outras cidades. O deus pagão adorado ali era Zeus. Com efeito esta cidade foi por certo tempo conhecida por Diópolis (Cidade de Zeus) em honra ao deus deles. No quarto centenário um importante concílio de igreja foi presidido lá. Frequentes terremotos acabaram finalmente por causar seu completo abandono.
2 Quão apropriadas foram estas características a esta última era para representar a era na qual estamos vivendo agora. Por exemplo, eles adoravam um deus, Zeus, que era o chefe e pai dos deuses. Este fato prediz as religiões do “único Deus, pai de nós todos” do século vinte, premissa que estabelece a fraternidade do homem, e agora está mesmo unindo os Protestantes, Católicos, Judeus, Hindus, etc. com a intenção que uma forma comum de adoração aumentará nosso amor, nossa compreensão, e cuidando uns dos outros. Os católicos e protestantes estão presentemente empenhando-se, e realmente ganhando terreno, nesta união com a propalada intenção que todos os outros os sigam. Esta mesma atitude foi notada na Organização das Nações Unidas quando os líderes mundiais recusaram reconhecer qualquer conceito individual de adoração, mas recomendaram deixar de lado todos aqueles conceitos separados com a esperança que todas as religiões tornem-se semelhantes a uma, porque todos anseiam os mesmos alvos, todas têm os mesmos propósitos e todas são basicamente certas.
3 Notem o nome, Laodicéia, “direitos do povo”, ou “justiça do povo”, já houve alguma época de igreja do século vinte que tem visto todas as nações levantando-se e exigindo igualdade social e econômica? Esta é a era dos comunistas, em que todos os homens devem ser iguais, ainda que isto exista somente em teoria. Esta é a era dos partidos políticos, os quais tomam por nomes Democratas Cristãos, Socialistas Cristãos, Federação Política Cristã, etc. Segundo nossos teólogos liberais, Jesus foi um socialista, e a Igreja Primitiva, sob a direção do Espírito Santo, praticava o socialismo e por isso nós devemos fa