Uma Entrevista com o Rev. Branham – Segunda Parte


Publicamos a primeira parte da entrevista do irmão Branham em 1954 por Gordon Lindsay. Esta é a segunda parte da entrevista.

PERGUNTA: Irmão Branham, o diabo sempre tem suas falsificações. O espiritismo, que obviamente é do diabo, afirma revelar coisas ocultas na vida de uma pessoa, e talvez em alguns casos seja capaz de fazê-lo. Não é verdade que a operação da Palavra da Ciência e a operação do Dom de Discernimento de Espíritos são nitidamente diferentes das manifestações do espiritismo, na medida em que denunciam o pecado que não está coberto pelo Sangue de Jesus, e também alertam o indivíduo descuidado de que ele deve servir a Cristo de todo o coração se quiser receber e manter sua cura? Não é algo muito diferente do espiritismo!

IRMÃO BRANHAM: Sim, irmão Lindsay, é muito diferente do espiritismo. Se voltamos ao Antigo Testamento, descobrimos que quando Deus falou pelos profetas nos dias passados, Ele frequentemente revelou os pecados dos indivíduos. Foi o que aconteceu quando Elias se encontrou com Acabe. Quando o profeta se encontrou com Davi, revelou-lhe os seus pecados. O dom de Deus é o original. A falsificação que o diabo usa no espiritismo é apenas uma fé manufaturada, uma tapeação, uma imitação da coisa real.

Se o pecado está sob o Sangue, o irmão notará que nunca é mencionado. O Espírito Santo nunca o manifesta. Mas se houver pecado não confessado na vida da pessoa – um pecado costumeiro, ou algo que a impediria de ser curada, será revelado.

De certa forma, creio que meu ministério foi dado para preparar o caminho para outros que estão vindo – para que as pessoas saibam, quando vierem em busca da cura, que devem confessar seus pecados e se acertar com Deus, se quiserem obter libertação. Quando nosso Mestre Se encontrou com a mulher junto ao poço, Ele lhe pediu que lhe desse de beber. Então Ele foi direto ao ponto e lhe disse para trazer o marido, revelando assim uma situação que a estava impedindo de beber da Água que Ele lhe havia oferecido. Jesus disse: “Também fareis as obras que Eu faço.” (João 14:12). E este ministério hoje é apenas uma continuação das obras de Cristo através do Espírito Santo. Não tem nenhuma conexão com o espiritismo. Tenho certeza que o irmão notou como os espíritas são condenados quando vêm às nossas reuniões.


PERGUNTA: Tendo em vista os grandes milagres de cura que ocorrem em seu ministério, como a cura do ex-congressista Upshaw, que por 66 anos não conseguia andar por si mesmo, cremos que a autenticidade do seu ministério não pode ser contestada com êxito. A pergunta que fazemos é esta: Observamos em muitos casos que o irmão declara a cura de um indivíduo. Em muitos desses casos, investigações posteriores comprovam que a pessoa de fato recebeu a cura. No entanto, o irmão diria que pelo fato dessa declaração ter sido feita seria impossível a pessoa perder a cura e ficar doente de novo?

IRMÃO BRANHAM: Sim, é possível que a pessoa perca sua cura e fique doente de novo, porque a cura divina se baseia completamente na fé. Por esse motivo, se alguém descrer da Palavra de Deus que foi dita nas Escrituras, isso poderia fazer com que recaísse em sua doença ou no pecado. Eu mesmo sou secundário, mas a Palavra de Deus falada por um Dom através de mim é a Palavra de Deus para o indivíduo. Mas se essa pessoa permitir que um pensamento supersticioso, ou permitir que o diabo coloque dúvidas em seu coração, a Palavra de Deus estará inválida para ela.

Nem todos os enfermos que buscam a cura são curados, assim como nem todos os que vêm para ser salvos são salvos. Às vezes eu vejo a morte ao redor da pessoa. Mas mesmo quando a morte está perto, a oração muda as coisas. Lembra-se de quando foi dito ao rei Ezequias pelo profeta Isaías que pusesse sua casa em ordem porque ele ia morrer? Mas o rei virou o rosto para a parede e chorou amargamente, e pediu a Deus que o poupasse. Deus ouviu o clamor e mandou avisá-lo da sua cura, mudando assim o programa.

Existe muita ignorância quando se trata de coisas práticas reais relativas ao ministério do Espírito. Por exemplo, muitos supõem que se um milagre ocorrer, Deus certamente o concluirá em todos os casos. Mas há o caso de Pedro andando sobre a água – claramente um milagre; mas no momento em que sua fé vacilou, ele começou a afundar.


PERGUNTA: Irmão Branham, o irmão se importaria de nos informar quais são seus planos para os próximos seis meses? Tenho certeza que muitos gostariam de saber.

IRMÃO BRANHAM: Até onde sei, depois da reunião aqui em Shreveport, está previsto que eu tenha cinco noites em Nova Iorque, na Arena St. Nicholas. De lá vou para a África, retornando no começo do ano, querendo Deus. Então estou dependendo do Espírito Santo para me guiar no futuro.

Alguns me escreveram perguntando se pretendo deixar o ministério pelo fato de ter dito que não teria itinerário depois do começo do ano. Como Paulo disse no passado: “Ai de mim! – se não anunciar o Evangelho,” ou deixar de cumprir os deveres que Deus me deu para realizar aqui na terra. Muito pelo contrário, creio que Deus me concederá um ministério maior do que já tive até hoje – algo mais que irá além deste reavivamento atual. Minha intenção é ir para casa, ficar a sós com Deus e verificar qual será o próximo passo – não sair do ministério. Sinto que o tempo do fim está próximo e desejo descobrir qual é a vontade de Deus, e rogo que Deus a revele, e também que a Igreja se torne uma Igreja melhor e mais forte do que nunca antes nas coisas espirituais.

gravações a voz de Deus

Posted in Entrevistas.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...