A Voz Mansa e Delicada #1


O que falhamos em enxergar é o ouvir aquela Voz mansa e delicada que nos fala, então nos envolvermos em Sua justiça, e sair dizendo: “Senhor Deus, Tu falaste comigo? Significa que sou eu, ó Senhor? Estou aqui esta noite; estou doente; estou necessitado. Oh, se tão somente eu pudesse ter estado no Monte Carmelo e visto Elias, depois de todo aquele jejum e oração, fazer descer aquele Fogo do Céu, fazer descer um sinal do Céu e provar que Tu ainda eras Deus, o Deus que esteve com os filhos hebreus na fornalha ardente. O Deus que esteve na sarça ardente com Moisés, aquele mesmo Deus esteve aqui no Monte Carmelo. Se eu pudesse Te ver fazer isso, ou fazer como fizeste quando Te manifestaste em carne aqui na terra, eu Te adoraria de todo o coração.” Então você ouvirá Deus falar com você, quando fizer isso.

59-0412E O que Ouves, Elias?

Depois de ficar dentro de casa a maior parte do inverno, nossa família estava ansiosa para a primavera chegar para podermos começar a desfrutar de um pouco de sol e de temperaturas mais quentes fora de casa. Normalmente, quando o tempo está bom, nós procuramos aproveitar o tempo para realizar pequenos projetos do lado de fora, mas neste dia nós tínhamos parado para desfrutar do bom tempo na nossa varanda da frente. Levamos algumas cadeiras para cima e começamos a desfrutar juntos como família. Nosso filho mais novo, que tem dois anos, estava feliz em arrastar do porão seus brinquedos e trazê-los para fora um a um até onde estávamos sentados, para também poder se divertir um pouco!

Em uma de suas últimas idas ao porão, ele já tinha entrado pela porta, e como eu lhe disse algo, ele parou e começou a sair. Nesse ponto, nós o ouvimos gritar de dor e nos levantamos rápido para ver o que era. Eu abri a porta, e assim que o fiz, isso soltou seu dedo do interior da nossa pesada porta contra tempestades. O mecanismo que impede que o peso da porta a faça bater tinha quebrado cerca de um mês antes, e descobrimos que a porta tinha batido e fechado completamente, com o dedo mindinho no batente. Eu rapidamente o agarrei, e olhando vi que a porta tinha feito um corte em todo o seu dedo. Estava sangrando muito, de modo que eu o trouxe para minha esposa enquanto ia buscar algo para cobri-lo. Enquanto caminhava até a cozinha, algo me disse para orar por ele. Acho que na agitação das coisas, e estando tão preocupado em parar o sangramento, eu não o fiz.

Passaram-se cerca de 15 minutos, e continuamos a confortá-lo. Minha esposa o segurou e fez uma oração rápida, enquanto ele continuava a chorar. Nosso filho mais velho, que tem 12 anos, estava lá e também estava tentando acalmar seu irmão mais novo, mas não conseguia fazê-lo. Nós finalmente o pusemos sentado e pudemos concluir que ele precisava ir ao hospital ou ao pronto-socorro para um raio-x e possivelmente alguns pontos. Algo de novo me disse para orar por ele, e por algum motivo eu pensei que, como minha esposa já tinha orado, ele ficaria bem. Tentamos tocar sua mão bem de leve, mas cada vez ele simplesmente gritava de dor, e sua mão tinha começado a tremer toda de dor. Podíamos ver que o corte tinha sido muito profundo, e na minha mente eu estava pensando que seu dedo esteve perto de ser cortado completamente, ou que no mínimo ele tinha quebrado o dedo. Ele é o nosso terceiro filho, de modo que estamos um pouco acostumados a concluir quando um acidente como este precisa de mais cuidados do que poderíamos dar. Este foi um desses momentos.

Nós então tomamos a decisão de levá-lo ao médico do pronto-socorro ou ao hospital, e todos estavam correndo para se aprontar para levá-lo. Ele continuava a chorar e se aproximou de mim em busca de consolo. Eu o segurei e perguntei se ele gostaria que o papai orasse por ele, e ele disse que sim. Ele colocou a cabeça no meu peito e eu orei para que o Senhor tirasse a dor e curasse seu dedo, e em meu coração eu estava reconhecendo que Deus era o único que poderia curá-lo e parar a dor. Nós então dissemos: “Amém.”

Ele ainda estava chorando no momento em que o coloquei no chão, mas menos de um minuto depois, quando saímos para levá-lo ao médico, ele parou de chorar completamente. Ele então olhou para nós, e meio que sorrindo, disse: “Papai, quero jogar a bola de beisebol.” Meu filho mais velho e minha esposa olharam um para o outro, então ambos olharam para mim e eu olhei para eles. Todos tínhamos a mesma expressão, como: “O que aconteceu?”

Eu então lhe perguntei se seu dedo doía, e ele disse: “Não, papai orou. Posso jogar a bola agora?” Assim eu lhe entreguei uma bola de beisebol e ele a jogou para mim como se nada tivesse acontecido. Eu joguei a bola para ele várias vezes para provar que ele estava bem, e ele agiu como se nada tivesse acontecido. Minhas lágrimas rolavam, louvando ao Senhor, pois isto foi realmente um testemunho do poder de cura instantânea do Senhor!

Ele nunca chorou ou se queixou outra vez disso. Embora tenha sido há mais de um mês e meio, ainda se pode ver o local em seu dedo que agora está quase completamente curado. Toda vez que o vejo, serve como lembrete para eu não ignorar aquela Voz mansa e delicada que falou ao meu coração.

Duas vezes distintas eu a ouvi e falhei em agir, mas Ele Se certificou de que na terceira vez eu O ouviria e assim agiria. Louvado seja o Senhor Jesus!

Um irmão abençoado em Cristo!

Fonte: Voice of God Recordings

gravações a voz de Deus

Posted in Testemunhos.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...