Árvore de Natal e Decorações Natalinas são Paganismo


A CRUELDADE DO PECADO, E A PENA QUE CUSTOU PARA AFASTAR O PECADO DE NOSSAS VIDAS
William M. Branham
03 de Abril de 1953
Tabernáculo Branham – Sexta-Feira santa
Jeffersonville – Indiana – U.S.A.

 

82 – E cada homem ou mulher que vai à igreja…Hoje eu estava pensando nas catedrais celebrando, e os sinos tocando, e assim sucessivamente, e o povo indo à igreja, e se aprontando, e as mulheres comprando seus chapéus de Páscoa, e assim por diante. A que isto tem chegado? Que coisa! Como não posso compreender o que um coelho tem a ver com a ressurreição, veja, (não, senhor) como que uma árvore de Natal tem alguma coisa a ver com o nascimento de Cristo. É paganismo amigos. Nós saímos do caminho em algum lugar. Isto é certo. Mas agora um verdadeiro homem ou uma mulher nascido de novo sabe, porque existe vida dentro de você, lhe diz que aquilo é errado. Isto está certo? [A congregação diz: “Amém.” – Ed.]


POR QUE TIVERAM QUE SER PASTORES?
William M. Branham
21 de Dezembro de 1964
Tucson – Arizona – U.S.A.

 

14 – E dá-nos o Espírito, o verdadeiro Espírito de Natal. Quando hoje… que quando cerimônias pagãs, árvores de Natal adornadas, contos fictícios de um – um homem chamado Papai Noel, e de nossos coelhinhos de Páscoa, e as diferentes modas com a qual o mundo comercial se tem capitalizado, que seja isso lançado a um lado, Deus. Deixe que entremos dentro de Cristo, a Palavra, porque temos pedido em Seu Nome e para Sua Glória. Amém.


REPROVAÇÃO POR CAUSA DA PALAVRA
William M. Branham
23 de Dezembro de 1962
Jeffersonville – Indiana – U.S.A.

 

5 – …Nesta Véspera de Natal, Senhor, somos agradecidos pelo Presente de Deus. Pois Deus nos dando, ainda que isto seja algum – como cremos em nossos corações – a mesma superstição pagã do dia em que eles têm tratado de moldar isto e fazer isto parecer uma missa – Missa de Cristo.

261 – Porém não estamos vindo na maneira de Papai Noel e árvores de Natal e decorações, porém estamos vindo no Nome do Senhor Jesus para louvar o Deus do Céu que foi encarnado, carne como nós, e habitou entre nós e nos redimiu, e sofreu a reprovação do Nome – sofreu a reprovação da cruz para permitir que uma instituição mundana colocasse Emanuel à morte, para que Ele pudesse trazer-nos à Vida Eterna.

262 – Quem somos nós, Senhor? Quem somos nós que deveríamos evitar qualquer reprovação? Deus, faça de nós soldados corajosos. Eu entrego estas palavras a Ti, Pai. Elas devem ter sido quebradas – cansadas e fatigadas como eu sou, porém, Pai, recompensa este povo por assentar e ouvir, e que possa o poder que levantou nosso Senhor, e O apresentou a nós aqui como um Salvador nestes últimos dias, possa ele estimular todo espírito aqui, Senhor, para a proximidade da vinda do Senhor Jesus. Que seja assim, Pai.


CRISTIANISMO CONTRA IDOLATRIA
William M. Branham
17 de Dezembro de 1961
Tabernáculo Branham
Jeffersonville – Indiana – U.S.A.

 

29 – Deixe-me mencionar-lhes algo sobre a idolatria. Eu me esqueço o nome do deus que é o deus dos que caminham sobre as brasas, mas pe uma estátua muito grande que tem uma cara semelhante ao rosto humano, uma cara lavrada como de camafeu e tem orelhas mui grandes para escutar todos os seus pecados, etc. E tem rubis com brincos pendurados em suas orelhas, os quais provavelmente custaram meio milhão de dólares cada um, isso possivelmente seja um preço muito caro, porém talvez também seja menos do custo real. Porém tem jóias muito caras nesse ídolo. E o sacerdote do templo traz ao pobre camponês, e ali o que adora não tem que ser ninguém especial, este é um pobre camponês que deseja dar graças a seu deus por uma boa colheita. E ao fazer isto ele mostra sua fé nesse deus ao vir ao templo e é abençoado por seu sacerdote. Logo se prepara para chegar a um lugar como uma piscina que está cheia de brasas acesas, a qual é muito profunda, e com vários metros de largura, e tem um sistema para soprar estas brasas até que se tornam brancas e com um calor tremendo.

30 – Agora isto que fazem não é nada fingido, é a pura verdade. O candidato vai ante o ídolo e confessa seus pecados ao sacerdote, então o salpicam com uma água santa que o sacerdote tem benzido; logo muitas vezes tomam um anzol muito grande (como os de pescar, porém mede como que centímetro e meio a dois centímetros da ponta até a parte traseira do anzol) e sobre o anzol penduram uma bolinha como essas que usam para adornar a árvore de Natal e a enchem de água para ficar pesada. E tomam milhares dessas coisas e as engancham em seu corpo e logo as tiram e isso é para atormentar o corpo para agradar a seu deus, aquele ídolo. Eles não são hipócritas! Logo muitas vezes, tiram a língua e tem uma lança que na ponta está dividida como um garfo e essa ponta passa por toda a língua e até pelo nariz e assim mantém isso fixo. Também tomam uma agulha e linha e costuram os lábios se é que tem falado uma coisa errada. E tem tantas formas de torturar! E todos se assentam ao redor desta grande piscina de fogo. Sacrificam um cabrito para apaziguar ao ídolo, e dessa maneira oferecem uma vida por seus pecados. E você deveria ouvir o ruído quando esse cabrito é sacrificado. Eles confessam seus pecados sobre o cabrito e o matam. E o sangue lhes é como uma expiação.

31 – Logo este candidato que vai caminhar pelas brasas, se ele se assusta e corre pelas brasas, ele traz reprovação sobre si mesmo. Porém tem que caminhar devagar e firme por meio destas brasas acessas e às vezes tem uma profundidade de cinco metros e talvez trinta ou quarenta metros de cumprimento, e de largura uns três metros mais ou menos. E estas brasas ficam brancas de tanto calor. E o homem não tem nada sobre si, somente um pano sobre os lombos, como uma pequena tanga. E chega ante estas brasas com todos estes anzóis pendurados no corpo, e ele sangrando, se eleva a uma condição tão emocional ao ponto em que sai espuma de sua boca e se põe a caminhar por esse fogo e sai ao outro extremo sem nenhuma queimadura nem nada. E quando passou pelas brasas seus pés se afundavam talvez uns sessenta centímetros nas brasas e quando dava outro passo tirava as brasas vermelhas penduradas de seu corpo. E quando saía não tinha nenhum sinal de queimadura. A gente poderia olhar seus pés e suas pernas e não se via nada diferente.

32 – E ao ver isto a gente se põe a pensar que se um sacrifício de sangue de cabrito oferecido a um ídolo pagão e a fé que tem em tal coisa pode proteger a um pagão do fogo ardente, que fará o sangue de Jesus Cristo para o crente num Deus vivo?


A DEIDADE DE JESUS CRISTO
William M. Branham
25 de Dezembro de 1949
Tabernáculo Branham – Domingo – Manhã
Jeffersonville – Indiana – U.S.A.

 

82 – E irmão, irmã, aquela Deidade está em você. “Não, eu não andarei mais convosco. Mas vós Me vereis, porque Eu estarei convosco, mesmo em vós, até a consumação da era.” Cristo na manjedoura? Não. Cristo em você! Aleluia! Nós não estamos adorando a Cristo na manjedoura, mas Cristo em você, o Espírito Santo, a esperança da Vida, aleluia, o Criador, Deus Mesmo morando no ser humano. “Ainda não é manifestado o que havemos de ser, mas assim como Ele é O veremos.” Pois seremos feitos tais como Ele, o Espírito no ser humano.

83 – Nenhum lugar para Ele. Pessoas por aqui dizendo que elas – elas são de Cristo, que a igreja deles é de Cristo, elas vão a um…E o que aconteceu ontem à noite? Elas abriram os seus presentes de Natal. Vamos ver a respeito do papai; lá dentro havia uma…estava sob a árvore de Natal, dentre muitos um homem, ontem à noite, pôs uma grande caixa de cerveja em algum lugar. Nenhum lugar para Jesus; tudo para a cerveja. Abriram o presente da mamãe, um baralho de cartas. Nenhum lugar para Cristo; as cartas. Isso é correto. Em vez duma pequena Bíblia ou algo para as crianças, é um livrinho de agentes do FBI, ou alguma coisinha assim. Nenhum lugar para Jesus. Em vez de irem à igreja, eles vão a um show, bailes, tudo mais, e se chamam cristãos.

84 – Irmão, quando a Deidade de Deus, pelo Espírito Santo, entra no coração humano, Ele faz sair tudo o que Cristo não criou. Vocês sabem que é a Verdade.

93 – E hoje, esse memorial do Seu dia de nascimento, o que eles fazem? Eles tomam uma árvore, a cortam, fazem uma árvore de Natal para as crianças. Porém acham…Isso está bem; eu não estou dando pontapés contra isso. Porém a coisa disto é, eles põem mais sobre a árvore de Natal do que eles fazem por Cristo.

94 – Kris Kringle [O mesmo que Papai Noel – Trad.] está por toda a nação. Quem era ele? Um alemão, um santo católico há muitos anos, um velho homem ocupado em fazer o bem. E hoje isto quase tem se tornado uma adoração. Isso é correto. Está bem dizer às crianças, ou seja o que for que você quiser fazer, no que me diz respeito. Porém a coisa disto é que é tão fácil cair nessa rotina do outro lado, e tirar Cristo, os verdadeiros princípios fundamentais de Cristo, do Natal. E o homem aceita Kris Kringle ao invés do verdadeiro Natal, isso é certo: “Nenhum lugar para Ele na estalagem.”

 


SE DEUS É CONOSCO, ENTÃO ONDE ESTÃO TODOS OS MILAGRES?
William M. Branham
31 de Dezembro de 1961 – Tabernáculo Branham
Jefersonville – Indiana – U.S.A

 

08 – Alguém, alguém mais aqui conheceu o mestre Lawson? Apenas alguns de vocês, eu quero dizer isto então. Uma coisa estranha aconteceu a ele. Ele era um real, pregadorzinho, bom irmão. E ele – ele não teve grandes mudanças,  aquela não era missão, mas eu creio que ele viveu verdadeiramente para o que ele foi colocado a dirigir, esta é a coisa principal.

09 – A sua esposa pensou que ele não estava ganhando dinheiro suficiente, pregando, assim queria que ele arranjasse um emprego. Ele estudava a Bíblia todo o tempo. Então um dia ela estava tão nervosa com ele, que ela agarrou a Bíblia de seu colo, tomou-a, levantou-a para cima, e jogou-a na fornalha e a queimou. Poucos meses depois ela estava colocando algumas lâmpadas de Natal, o fogo da árvore de Natal a pegou e a queimou exatamente no mesmo lugar. Veja, você tire proveito do que você viu. “Não toqueis em meus ungidos, não façais mal a meus profetas”. Vê?

 


PERGUNTAS E RESPOSTAS – NÚMERO 4
William M. Branham
30 de Agosto de 1964 – Tabernáculo Branham
Jeffersonville – Indiana – U.S.A.

 

149 – Agora, você diz: “Bom, essas pessoas têm fé”. Eu não digo que não tenham fé, se queimam a sí mesmos com uma tocha de acetilênio e coisas como esas, porém (vêem vocês?) mesmo isso não prova Deus.

150 – Tenho visto aos índios tomar uma – uma linha de fogo, três pés transversalmente e quarenta jardas de cumprimento, quando é abanado com folhas até que esteja branco de tão quente ( não homem especial, lavrador) tiram seus sapatos, tomam pequenos ( o sacerdote lhes abençoa com sangue de cabra) – e tomam pequenos ganchos de anzóis de pesca e os cravam na pele sobre a boca até que são uma grande mistura de – de água, o enchem de bolas da maneira das bolas que se usam na árvore de natal nessa forma: ornamentos, cheias; e grande anzóis de pesca que têm estado muito tempo cravados em sua carne (imaginaram o que é isso para colocar e tirar) e se põem de pé alí e caminham direto através desse fogo quente, ( e eles só verdadeiramente branco de quente, mas além de vermelho: branco de quente. Caminham direto atravessando esse fogo e,dão uma volta e regressam, nem mesmo uma leve queimadura em seus pés. E eles nem se quer crêem em nosso Deus. Eles adoram – adoração de demônios. Vêem? Por conseguinte isso não significa nada. Só mantém separado… Seja um cristão bem humilde e bom; viva a vida e então Deus se encarregará do resto disso.

 


A QUEDA DO MUNDO
William M. Branham
16 de Dezembro de 1962 – Tabernáculo Branham
Jeffersonville – Indiana – U.S.A.

 

133 – Havia um velho sapateiro e eu creio que foi na Alemanha onde ele – ele fazia seus sapatos. E certo dia enquanto…Na sua hora de folga ele costumava pegar sua Bíblia, e ele A lia. Ele lia o contexto e o texto na Escritura, e ele se torno profundamente sincero. Ele disse, “Sabe, ele disse,” Eu – eu…quando chegar este Natal, eu não vou enfeitar nenhuma árvore de Natal “. Mas ele disse,” Sabe de uma coisa?”Ele disse,” Eu vou fazer uma grande Ceia, e vou cozinhar meu…assar meu cordeiro e vou colher minhas frutas, e todas minhas compotas e coisas “. E ele morava sozinho. E ele disse,” Eu vou preparar uma mesa e vou convidar a Jesus para vir e assentar à mesa comigo. Eu quero conhecer o Messias de Deus e o que poderei fazer em consideração “. Ele disse,” Eu – eu vou fazer tudo isto. E então eu vou me assentar à mesa e pedir a bênção, e vou agradecer a Deus pelo que Ele tem me dado. E então eu vou dizer, “Senhor Jesus, não queres vir e assentar aqui, apenas para a Ceia do Natal comigo?”

134 – A simplicidade, Deus sempre ouve isto, a sinceridade. E o velho sapateiro economizou seu dinheiro para fazer a determinada ceia, você sabe, e seria convidado o Rei dos Reis. E ele preparou aquilo, e ele havia cozinhado, e colocou aquilo na mesa. E ele se limpou muito bem, e – e arrumou-se e penteou o seu cabelo. E se assentou à mesa, e colocou uma cadeira para Jesus, e algumas outras cadeiras ao redor. “Poderia ser para os apóstolos”, ele disse, “Se eles puderem vir”.

135 – Então o velho companheiro inclinou sua cabeça e pediu a bênção, e – e agradeceu a Deus pela comida. E ele disse, “Agora, Jesus, Tu não queres vir para cear comigo nesta ceia de Natal?” E ele começou a comer e a olhar para a cadeira. Ninguém chegou. Ele comeu mais um pouquinho, e disse, “Senhor Deus, eu te convidei à minha casa. Tu não queres vir para estar comigo?” E ele começou a se mover para apanhar algo para comer, e alguém bateu à porta.

136 – E ele foi até a porta. Era um homem velho, de ombros inclinados, vestindo trapos. Ele disse, “Bondoso Senhor, tenho frio, me permitirias que me aquecesse?”

137 – E ele disse, “Entre”. E ele entrou e sentiu o aroma daquele alimento, sua boca encheu d’água, ele virou. Disse, “Gostaria de se assentar?” Disse, “Estou esperando companhia, mas gostarias de te assentar e simplesmente comer comigo até que a companhia chegue?”

138 – Ele disse, “Obrigado. Eu ficarei grato”. E ele se assentou, e eles jantaram. O velho homem o agradeceu, se levantou e saiu.

139 – E o – o sapateiro virou, e disse, “Senhor Deus, porque Tu me desapontaste?” Disse, “Eu fiz tudo tão certo. Eu fiz tudo o que soube fazer”. Se você simplesmente fizer aquilo. “Eu fiz tudo que sabia como fazer, e pensei que Tu virias e cearias comigo”. E ele começou a chorar, e correu e caiu na cama. E ele estava deitado ali na cama, chorando. “Eu – eu – eu fiz tudo que pensava ser certo, Senhor, e por que Tu não vieste cear comigo?”

140 – E uma Voz falou com ele, e ele lembrou da Escritura, “Aquilo que fizerdes ao menor destes meus pequeninos, a mim o fizestes”.

tabernaculo-4 - Copia

Posted in Matérias do Profeta.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...