AS SETE VISÕES DE WILLIAM BRANHAM


127 – Em junho de 1933, quando W. Branham celebrava uns serviços na velha Sala Maçônica, na avenida Meigs, sete eventos de maior importância lhe foram mostrados mediante visão; os quais têm de acontecer antes do retorno de Jesus Cristo. Foi uma manhã de Junho, pouco antes dele sair para a igreja e ensinar na Escola Dominical, que estas lhe foram mostradas enquanto ele estava em êxtase.

PRIMEIRA VISÃO: “MUSSOLINE INVADE A ETIÓPIA”

128 – Ele viu na visão que Benito Mussoline invadiria a Etiópia, e de acordo à voz que lhe falava, a Etiópia “cairia sob seus pés.” Também a voz profetizou um fim desastroso para este ditador, onde haveria de ter uma morte horrível, e sua própria gente cuspiria sobre ele.

SEGUNDA VISÃO: “GUERRA MUNDIAL”

129 – A outra visão indicou que a América seria induzida a uma guerra mundial contra a Alemanha, sendo encabeçada pelo austríaco Adolfo Hitler. A voz predisse que esta terrível guerra destruiria a Adolf Hitler e o levaria a um final misterioso. Nesta visão, lhe foi mostrado a linha Siegfrid onde o exército americano haveria de pagar um grande preço para obter a vitória. Seria bom mencionar aqui que numa visão subsequente relativa a esta guerra, predisse que o presidente Roosevelt haveria de declarar guerra contra a Alemanha e ao fazê-lo, seria eleito para um quarto período na Presidência.

TERCEIRA VISÃO: TRÊS ISMOS: “FASCISMO, NAZISMO E COMUNISMO”

130 – Na terceira visão lhe foi mostrado que ainda que houvesse três Ismos [Fascismo, Nazismo e Comunismo] no mundo, os primeiros dois resultariam em nada, enquanto o Comunismo floresceria. A voz lhe admoestou a vigiar a Rússia em relação a eventos futuros, porque tanto o Nazismo como o Fascismo seriam absorvidos pelo Comunismo.

QUARTA VISÃO: “O TREMENDO AVANÇO CIENTÍFICO”

131 – A quarta visão que lhe apareceu foi uma na qual se predisse um tremendo avanço tecnológico, imediatamente depois da guerra. Isto foi simbolizado num carro com formato de ovo e uma capota plástica em forma de bolha, que corria numa tremenda autopista, o qual era guiado completamente por controle remoto. O carro não tinha condutor, e os que viajavam nele, aparentavam estar jogando “damas”, uma espécie de jogo que existe.

QUINTA VISÃO: “QUEDA MORAL DO MUNDO”

132 – A quinta visão tinha que ver com a mulher. Nesta cena contemplou a rápida decadência moral da mulher. Começando ali quando a ela foi dada,  a assim chamada liberdade, para participar dos assuntos mundiais através do voto; ela imediatamente começou a usar roupa mui escandalosa. Ela cortou o cabelo e adotou a roupa de homem. Finalmente a visão a mostrou quase sem roupa, coberta somente por um minúsculo avental do tamanho de uma folha de figueira. Havendo decaído os valores morais da mulher a nível tão baixo, uma tremenda decadência sobreveio sobre toda a carne ao redor da face da terra, trazendo consigo uma perversão semelhante à predita na Palavra de Deus.

SEXTA VISÃO: “SUBJUGAÇÃO DA NAÇÃO AMERICANA”

133 – Então, na sexta visão se levantou nos Estados Unidos uma mulher extremamente bela, vestida com grande esplendor e exercendo grande poder. Seu semblante era mui formoso, porém se via uma severidade que não se pode descrever. Formosa, porém cruel, perversa e mui astuta. Dominava ao país com sua autoridade, tinha um domínio total sobre as pessoas. Esta visão parecia indicar-lhe que esta mulher haveria de levantar-se literalmente sobre a América ou que seria tipo de uma organização religiosa que escrituristicamente se simbolizava com uma mulher. Embora a voz não lhe dissesse quem era ela, ele sentiu em seu coração que esta mulher representava o levantamento da Igreja Católica Romana nos Estados Unidos.

SÉTIMA VISÃO: “RUÍNAS SOBRE A AMÉRICA”

134 – A voz lhe ordenou olhar outra vez, e quando assim o fêz, uma grande explosão estalou sobre a nação, deixando a terra Americana fumegando e em completa ruína. Até onde pôde olhar, não viu outra coisa senão crateras, montões de ruínas fumegando sem rastro de vida humana ao alcance da vista. Então, a visão se foi dele.

135 – Alguns estudantes das Escrituras lhe admoestaram dizendo-lhe que suas visões não eram inspiradas por Deus. Frequentemente isto lhe perturbava, e em sinceridade ele buscava a Deus pedindo-lhe que tirasse dele este raro ministério. Contudo, as visões continuaram vindo como antes e sempre cumprindo-se ao pé da letra. Ninguém era prejudicado por elas, porém pelo contrário, o povo de Deus prosperava através delas. Até esta ocasião, ele ainda não havia se dado conta que mesmo o próprio Jesus foi acusado de ser um diabo. Tão pouco se dava conta que seu ministério ao ser identificado por astrólogos, não era diferente do tempo quando demônios identificaram o ministério de Paulo.

136 – Os anos passaram e ele servia a Deus da melhor forma que suas habilidades o permitiam, tanto como pastor ou como simples obreiro. Ele trabalhava de fiscal de caça com o governo estadual de Indiana. Um dia, 7 de maio de 1946, quando ia em viagem de caça com um amigo, enquanto ele passava debaixo de uma árvore de ácer, no pátio de sua casa, um vento forte começou a estremecer a copa daquela árvore. Parecia que a árvore ia ser despedaçada por aquele vento. Ele cambaleou sob este tremendo impacto. Sua esposa correu para ele pensando que se havia adoecido. Então foi quando ele lhe disse: “Por espaço de vinte anos eu mesmo não tenho podido entender este ministério. Eu não posso continuar assim. Tenho que encontrar a resposta. Será isto Deus? De que se trata tudo isto? Tenho que sabê-lo. Vou me embora e te deixo com o menino. Não regressarei até que encontre a resposta. Buscarei a Deus lendo minha Bíblia e orando, e tenho que encontrá-lo ou não regressarei mais.” Isto era, sem dúvida, algo difícil de dizer e de fazer. Que dedicação a Deus: encontrá-lo ou morrer!

137 – Estando já decidido em sua mente, se foi só em busca de Deus num lugar secreto, com firme determinação de saber a resposta e encontrar descanso para sua vida. Escondido de todo o tumulto, caiu sobre seus joelhos em terra gritando com grande clamor a Deus, pedindo-lhe que lhe perdoasse por todos seus fracassos; e fielmente encomendou a si a Deus e a Sua vontade perfeita. Quando já havia derramado seu coração diante de Deus, se assentou a esperar a resposta. Como que às onze horas, viu uma luz que aparecia. Ali estava aquela grande estrela. Não tinha cinco pontas, mas era como uma bola de fogo. Então ouviu uns passos que se aproximavam, e imediatamente se apresentou um homem de grande estatura, talvez de umas duzentas libras [aproximadamente 98 quilos] de peso, tez escura, com cabelos que caíam sobre seus ombros. Seu rosto não tinha barba. Quando fitou os olhos deste estranho personagem, teve medo. Porém o desconhecido o olhou com ternura, e lhe disse: “Não temas. Tenho sido enviado da presença do Todo Poderoso a dizer-te que tua vida tão peculiar e teus modos tão estranhos, têm sido para indicar-te que Deus tem te enviado a levar um dom de Cura à gente do mundo. Se fores sincero e conseguires com que as pessoas creiam em ti nada poderá fazer frente a tua oração, nem mesmo o câncer.”


OS DOIS SINAIS

138 – Após haver explicado isto ao irmão Branham, o anjo prosseguiu dizendo-lhe que como Moisés, a ele seriam dados dois sinais mui peculiares; uma das quais levantaria a fé do povo, enquanto que o outro seria um sinal da Segunda Vinda de Cristo. O primeiro sinal lhe seria dado pouco tempo antes do segundo, e que seria um sinal mui peculiar em sua mão. Este sinal seria tal, que ao tomar a mão de uma pessoa que padecesse de uma enfermidade causada por um gérmen, sua mão começaria a suar e a mudar de cor, através do que conheceria os nomes das enfermidades. Em caso que a enfermidade não fosse do tipo causado por bactérias, então o Espírito lhe faria saber por revelação qual era o problema. A operação deste dom tem sido visto por muita gente e é tremendo para levantar a fé. Contudo, o ler meramente sobre este dom sem ter a oportunidade de vê-lo, é um pouco confuso. Sem dúvida, é um dom genuíno.

139 – O segundo sinal que haveria de seguir, seria a habilidade de saber pelo Espírito os segredos dos corações dos homens, assim como sua condição física. Também este sinal tem sido visto por inumerável público, e não somente levanta a fé, mas desde que esta é uma habilidade que pertence ao profeta, é um sinal definitivo de breve retorno de Nosso Senhor.

140 – Não tomando muito tempo em espalhar estas notícias, não tardou muito quando o irmão Branham foi chamado de muitas partes do mundo. Ele celebrou grandes campanhas em toda a América do Norte e em muitas partes do mundo. Algumas destas campanhas no exterior foram de particular interesse porque evidenciaram o poder de Deus em sua vida. Por exemplo, é bem conhecido que o Rei Jorge VI da Inglaterra, foi curado de uma enfermidade em sua perna. Também uma grande parte da Finlândia conheceu a ressurreição de um menino enquanto ele esteve ali.

tabernaculo-4 - Copia

Posted in Estudos | Destaques, Matérias do Profeta.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...