DEUS EXISTE – é hora de buscá-Lo


Um homem foi ao barbeiro para cortar o cabelo como ele sempre tinha o costume. Ele começou a conversar com o barbeiro e conversaram sobre vários assuntos. Conversa vai, conversa vem e começaram a falar sobre Deus…

Então o barbeiro disse:

_”Eu não acredito que Deus exista, como você afirma!”

_Cliente: “Por que você diz isto?”

_Barbeiro: “Bem, é muito simples. Você só precisa sair na rua para ver que Deus não existe. Se Deus existisse, você acha que haveria tantas pessoas doentes? Haveria crianças abandonadas? Se Deus realmente existisse, não haveria dor ou sofrimento. Eu não consigo imaginar um Deus que permita todas estas coisas.”

O Cliente pensou por um momento, mas não quis dar nenhuma resposta para prevenir uma discussão. O barbeiro terminou o trabalho e o cliente saiu. Instantes depois, ele viu um homem na rua com barba e cabelos longos, parecia que já fazia muito tempo que ele não cortava o cabelo ou fazia a sua barba e o rapaz parecia sujo e arrepiado. Então o cliente retornou para a barbearia e disse ao barbeiro:

_”Sabe de uma coisa? Barbeiros não existem”.

_Barbeiro: “Como assim não existem? Eu estou aqui e eu sou um barbeiro”.

_Cliente: “Não! Eles não existem, porque se eles existissem não haveria pessoas com barba e cabelos grandes como aquele homem que está andando ali na rua”.

_Barbeiro: “Ah, mas barbeiros existem, o que acontece é que as pessoas não me procuram e, isso é uma opção delas”.

_Cliente: “Exatamente! É justamente isso, Deus existe, o que acontece é que as pessoas não O procuram, pois é uma opção delas, e é por isso que há tanta dor e sofrimento no mundo”.

(Autor desconhecido)

Por que as coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inexcusáveis.

Romanos 1:20

O que atenta prudentemente para a palavra achará o bem, e o que confia no Senhor será bem-aventurado.

Provérbios 16:20

tabernaculo-4 - Copia

Posted in História.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...