Como ser feliz no casamento?


Então, quando nos casamos, não tínhamos nada, nada para montar a casa. Acho que tínhamos dois ou três dólares. Então alugamos uma casa; custava-nos quatro dólares por mês. Era um lugar pequeno e velho de dois cômodos. E alguém nos deu uma velho catre. Eu gostaria de saber se alguém já viu uma velha cama dobradiça? E nos deram isso. E fui até à Sears and Roebucks [Nome de uma rede de lojas-Tradutor] e comprei uma mesinha com quatro cadeiras, e — e não era pintada, você sabe, e a compramos a prestação. E assim, então fui ao Sr. Weber, um negociante de ferro velho, e comprei um fogão. Paguei setenta e cinco centavos por ele, e um dólar e qualquer coisa pelas bocas para ele. Começamos a tomar conta de casa. Eu me lembro de tomar e pintar um trevo nas cadeiras quando as pintei. E, oh, éramos felizes, entretanto. Tínhamos um ao outro, isso era tudo que era necessário. E Deus, por sua misericórdia e bondade, éramos o casalzinho mais feliz que podia estar na terra.
Descobri isto, que felicidade não consiste em quanto dos bens do mundo você possui, mas em quão satisfeito você está com a porção que coube a você.
E após algum tempo, Deus desceu e abençoou nosso pequeno lar; tivemos um menininho. O seu nome era Billy Paul, ele está aqui no culto agora mesmo. E um pouco depois daquele tempo, mais ou menos onze meses, Ele nos abençoou de novo com uma menininha chamada Sharon Rose, tirado da palavra “A Rosa de Sarom.”
E eu me lembro que um dia eu tinha economizado meu dinheiro e ia tirar umas feriazinhas, indo a um lugar, o Lago Paw Paw, para pescar. E no caminho de volta…
E durante aquele tempo… Estou omitindo minha conversão. Fui convertido. E fui ordenado pelo Doutor Roy Davis, na Igreja Batista Missionária, e tinha me tornado um ministro e tinha o Tabernáculo em que agora prego em Jeffersonville. E estava pastoreando a igrejinha. E eu…
Sem dinheiro, pastoreei a igreja dezessete anos e nunca peguei um centavo. E não cria em tomar … Nem sequer havia um bandeja de ofertas nela. E os dízimos que tinha de trabalho, e outras coisas, tinha uma caixinha na parte de trás do prédio, dizia, uma plaquinha nela: “Quanto o fizeste a um destes pequeninos, a Mim o fizeste.” E então foi assim que a igreja foi paga. Tínhamos um empréstimo de dez anos para pagá-la, e foi paga em menos de dois anos. E eu nunca tirei uma oferta de qualquer tipo.
E então eu tinha, oh, alguns dólares economizados para minhas férias. Ela trabalhou, também, na Fábrica de Camisas Fine. Uma moça amável e adorável… E a sua sepultura provavelmente está coberta de neve hoje, mas ela ainda está em meu coração. E me lembro quando ela trabalhou tanto para me ajudar a ter dinheiro suficiente para ir até este lago para pescar…

Mensagem: 59-0419 A História da Minha Vida – Parágrafos: 141 ao 147

tabernaculo-4 - Copia

Posted in Perguntas e Respostas.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...