Eu Sei que o Meu Redentor Vive


Recebemos este testemunho de um irmão aqui da Gravações “A Voz de Deus.”

Gostaria de compartilhar uma história de como Deus proveu cura de maneira extraordinária.

Machuquei minha lombar em março durante alguns exercícios físicos. Começou com uma dor se espalhando até minha perna direita. A dor era suportável, mas dificultava tarefas como me agachar para amarrar os sapatos. Comecei a falar com o nosso Pai Celestial sobre isso, sabendo no coração que Ele já proveu minha cura na cruz. Isso me deu paz, sabendo que tinha o preço de compra. Eu sabia que Ele iria cuidar disso da mesma forma que fez tantas vezes em outras provações na minha vida.

Aproximadamente três meses depois de ter sentido isso, eu deveria consultar um médico para fazer uma ressonância magnética e ver o que estava acontecendo. Continuei falando com o Senhor, mantendo Sua promessa no coração. Meu clínico geral disse que tínhamos de “experimentar” com medicação antes que o plano de saúde pudesse cobrir uma ressonância. Ele me deu doses para dez dias de esteroides. Como esperado, todos os sintomas sumiram enquanto o medicamento estava em meu corpo.

No décimo segundo dia do tratamento com esteroides, acordei com a pior dor da minha vida. Não podia me mexer, não podia sentar na cama, nada. Nós decidimos que eu deveria ir para o pronto-socorro. Tomamos essa decisão às 9 da manhã, e demorou até às 2 da tarde até que encontrasse coragem e força suficientes para conseguir ir até o carro. No pronto-socorro, o médico fez uma tomografia e revelou que havia uma hérnia no disco L5. O médico me colocou em outra dose de esteroides e disse para consultar meu clínico geral e conversar sobre as opções. Eu sabia que isso significava cirurgia.

Como era de se esperar, depois de dois dias usando esteroides, eu consegui andar e me movimentar novamente. Então, retornei ao meu clínico geral. Ele fez uma ligação para um amigo, que por sinal é um dos melhores neurocirurgiões da área (também dava aulas na universidade). O cirurgião disse que eu precisaria de uma ressonância magnética, a qual eu fiz e levei para a consulta. Ela mostrava em detalhes o disco com a hérnia.

Ele disse que precisaria de uma cirurgia de microdiscectomia para remover o disco rompido. Isso foi desolador. Eu não queria cirurgia. A esta altura, não parecia haver esperança, mas continuei confiando no Pai, sabendo que eu tinha a promessa.

Fui feliz em estar na equipe designada para viajar até Beaumont, Texas, como parte da equipe auxiliar da Turnê Ágape. Sabendo disso, perguntei ao médico se poderíamos adiar a cirurgia até que retornasse. Ele concordou e também aprovou minha viajem. Claro, o diabo ficou me dizendo para não ir e citou as razões pelas quais aquilo poderia terminar mal. A minha maior preocupação era que a viajem ia coincidir com o final da segunda vez tomando esteroides, e como você pode imaginar, tive lembranças do último episódio de abstinência que terminou no pronto-socorro. Decidi ir, confiando no Senhor e crendo que Ele podia me curar.

A viajem foi memorável. Tivemos um maravilhoso companheirismo com os preciosos santos no Texas. Quando chegou a hora de partir de Beaumont, reunimos todos novamente para nos despedir da equipe do ônibus e do irmão José (a equipe auxiliar ia de avião). Quando o irmão José se despediu de mim, pedi que se lembrasse em oração da minha cirurgia marcada para a manhã seguinte. Ele parou, me abraçou firme por um momento, sem dizer nada. Então saiu e pediu para que o mantivesse atualizado. Oh, gostaria de poder explicar a paz renovada que tive naquele momento. Algo aconteceu dentro de mim, eu sabia que tudo estava bem.

Na manhã seguinte, acordamos com uma tempestade terrível. Tudo estava inundado no sul do Texas. Fomos de ônibus até Houston para pegar nosso voo de volta à Louisville. No momento que chegamos em Houston, nosso voo foi cancelado devido à chuva. Tentamos alugar um carro e ir para casa, mas o aeroporto estava ilhado. Todas as rodovias de acesso ao norte estavam inundadas. Depois de muitas tentativas e horas esperando em filas, finalmente encontramos um voo que ia para Atlanta. Naquele momento, estávamos todos falando sobre como o Senhor talvez não quisesse que eu fizesse aquela cirurgia. Louvado seja o Senhor!

Bom, conseguimos o avião com conexão em Atlanta que nos levaria para casa tarde. Eu ainda tinha uma chance de chegar a tempo.

Enquanto a comissária falava no microfone dando as explicações de decolagem, ela recebeu um chamado que a interrompeu antes que pudesse terminar de nos preparar. Alguns minutos depois ela retornou dizendo que a porta da cabine não fechava e que estavam chamando um mecânico para consertar. Depois de um tempo, consertaram a porta mas pediram que saíssemos para que pudessem testar a pressurização. Então todos saíram. A esta altura, nós perdemos nossa conexão em Atlanta. Um dos irmãos comentou que teriam que me tratar como Jonas e me jogar ao mar para que pudessem ir para casa. Demos boas risadas. Senti uma paz tão grande em saber que isso era a mão do Senhor.

Surpreendentemente, a atendente no portão de embarque encontrou um assento disponível em outro voo que com certeza ia direto para Lousville. Os irmãos gentilmente me cederam o assento, sabendo que precisava voltar. Fui em direção ao portão esperando minha vez de partir. Enquanto isso, os irmãos voltaram para seu avião e partiram para Atlanta. Enquanto estava sentado ali procurando no painel o meu portão, ele mudou de “no horário” para “cancelado”. “Mas que coisa! Agora eu sei que é o Senhor!” Bem, não havia nenhum outro que partiria aquela noite, tudo estava cancelado. Eu estava preso. Porém, curiosamente todos os outros conseguiram. Comecei a pensar naquele comentário sobre Jonas!

Felizmente, eu tenho familiares que moram em Houston, então liguei para meu irmão e perguntei se ele conseguiria atravessar a inundação. Ele tinha uma grande camionete 4×4 e conseguiu chegar ao aeroporto e me pegar. Fiquei com ele aquela noite e toda minha família veio para o jantar. Foi uma reunião familiar muito boa, porém, muito inesperada.

No dia seguinte cheguei em casa, não deu para fazer a cirurgia, mas sabia que estava TUDO operando de acordo com Seu plano. Liguei para o consultório do médico e disse que remarcaria para a semana seguinte. A esta altura, eu estava desfrutando o desdobramento de tudo e maravilhado com a maneira que o Senhor estava operando. Bem, a semana seguinte chegou, e estava me sentido ótimo. Estava sem os esteroides por uma semana e mesmo assim me sentia bem. Louvado seja o Senhor! Liguei para o médico e remarquei para duas semanas depois, porém, tinha em meu coração que iria cancelar completamente. Antes que tivesse a chance, recebi uma ligação do próprio neurocirurgião. Ele me disse que obviamente não precisava da cirurgia, que meu corpo devia ter absorvido o disco e se recuperado. ELE cancelou a cirurgia. Não tive que fazer nada.

Deus me guiou por tudo, em cada passo. Não fiz nada a não ser confiar Nele e observá-lo resolver tudo para o meu bem. Ele não só me curou, mas permitiu ir com a turnê, segurou o avião (duas vezes) para evitar a cirurgia de que eu não precisava, e permitiu que me reunisse com minha família.

AMÉM! Eu sei que o meu Redentor vive!

Irmão David

Fonte: Voice of God Recordings

gravações a voz de Deus

Posted in Testemunhos.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...